Landnámabók

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Página do Manuscrito

Landnámabók (que significa "O Livro de colonização", muitas vezes abreviado para Landnámabók) é um manuscrito medieval islandês descrevendo em pormenor o estabelecimento ("landnám") da Islândia pelos nórdicos entre os séculos 9 e 10 dC.

Landnáma[editar | editar código-fonte]

O Landnámabók é dividido em 5 partes, tendo mais de 100 capítulos. A primeira parte narra como a terra (Islândia) foi encontrada, as primeiras ações dos colonos e suas posteriores explorações, que começaram no oeste e terminaram no sul. Conta eventos históricos importantes relacionados às famílias no século XII, e peculiaridades dessas famílias; descreve mais de 3.000 pessoas e 1.400 assentamentos. Lista 435 homens como os colonos iniciais; a maioria deles fixou-se em partes do norte e do sudoeste da ilha. Continua a ser uma fonte inestimável sobre a história e a genealogia do povo islandês. Sugere-se um único autor para a obra, mas há quem creia que foi escrita por várias pessoas.

Versões sobreveviventes[editar | editar código-fonte]

As versões de sobreviventes datam o Landnámabók a partir da segunda metade do século VIII ou um pouco mais tarde, embora se sugira que possa ter sido composto antecipadamente por Ari Þorgilsson (1068-1148). O povoamento inicial da Islândia em grande parte ocorreu entre 870 e 930, mas Landnámabók menciona descendentes significativamente mais tarde do que o período de assentamento, pelo menos até o século XI.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]