Laocoonte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Laocoonte foi um personagem do ciclo épico sobre a guerra de Troia.

Mito[editar | editar código-fonte]

Laocoonte era filho de Acoetes, irmão de Anquises; ele era um sacerdote de Apolo, mas, contra a vontade de Apolo, se casou e teve filhos, Antífantes e Timbreu. Quando Laocoonte estava fazendo um sacrifício a Netuno, Apolo enviou duas serpentes de Tênedos, que mataram o sacerdote e seus descendentes. Segundo os frígios, isto aconteceu porque Laocoonte havia arremessado sua lança contra o Cavalo de Troia[1] .

Possivelmente a mais antiga referência ao mito seja uma tragédia perdida de Sófocles, que possuía mesmo nome[2] . A lenda seria relembrada por Quinto de Esmirna em seu trabalho Posthomerica, uma continuação da Ilíada. No entanto, o relato é mais popularmente conhecido pela escultura que inspirou e pelo poema épico latino Eneida, de autoria de Virgílio no século I a.C.

Arte[editar | editar código-fonte]

Uma das expressões mais importantes da Antiguidade, sobretudo do período helenístico, é a escultura que representa Laocoonte e seus filhos sendo atacados. A obra foi objeto de estudo por vários historiadores da arte após sua redescoberta no século XVI. De datação incerta, as estimativas variam entre 140 a.C. até 37 d.C., época do imperador romano Tito (a mais aceita atualmente é 40 a. C.). Winckelmann, Lessing e outros tentaram avaliar a importância da escultura na estética grega, além de considerar uma possível relação com a Eneida[2] [3] .

Faziam arcomonotaisna

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Higino, Fabulae, CXXXV, Laocoonte (em inglês). Visitado em 4 de julho de 2013.
  2. a b Lessing, Gotthold Ephraim, Laocoonte, ou sobre as fronteiras da pintura e da poesia. São Paulo: Iluminuras, 1998. ISBN 8573210869.
  3. Gonçalves, Aguinaldo José. Laokoon Revisitado: relações homológicas entre Texto e Imagem. São Paulo: Edusp, 1994. ISBN 853140178X.