Larva migrans visceral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde julho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Larva migrans visceral
Classificação e recursos externos
CID-10 B76.9
CID-9 126.9
DiseasesDB 3263
MeSH D007815
Star of life caution.svg Aviso médico

A larva migrans visceral ('LMV) é uma síndrome causada pela migração de larvas de Toxocara canis e Toxocara cati pelo organismo humano.

Como essas larvas (L3) não podem se reproduzir em humanos, elas migram por vários tecidos do corpo, como coração, causando miocardite, músculos, pulmões e até para o SNC onde podem provocar encefalites, meningites e convulsões. Se essas larvas migrarem para os globos oculares, essa condição se chamará "larva migrans ocular".

Transmissão[editar | editar código-fonte]

A LMV é contraída a partir da ingestão de larvas infectantes presentes em carnes e vísceras cruas ou mal passadas, ou pela ingestão de ovos embrionados do T. canis e T. cati. Esses ovos são eliminados nas fezes dos cães e gatos, passam por um período de embrionamento no ambiente, e se ingeridos junto com alimentos ou água, eclodem no trato gastrintestinal humano e as larvas migram para os tecidos para provocar a doença.

Diagnóstico e Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Para o diagnóstico, é necessário biópsia do órgão para visualizar-se as larvas. Testes sorológicos como o ELISA também são confirmatórios.

Protocolos terapêuticos a base de mebendazol, albendazol ou outros vermífugos de uso humano são comumente receitados pelos médicos. O tratamento dos sinais clínicos em função das lesões provocadas pela migração das larvas muitas vezes requerem o uso de anti-inflamatórios e antibióticos.

Controle[editar | editar código-fonte]

A infecção pelo Toxocara pode ser evitada com práticas de higiene quanto às fezes dos cães e gatos, limpar regularmente a caixa de areia do gato, não permitir que crianças tenham contato com areia de praças e locais acessíveis aos cães de rua, lavar sempre as mãos antes de comer, bem como verduras e legumes, beber água filtrada, vermifugar os animais domésticos; e não consumir carnes cruas ou mal passadas que podem conter a larva do toxocara nos tecidos.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Parasitologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.