Latona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Latona (na mitologia romana), ou Leto (na mitologia grega), era uma titã filha de Febe e Céos,[1] e mãe de Febo (Apolo) e de Diana (Ártemis). Era a deusa do anoitecer.

Leto foi foi um das Titãs amantes de Zeus, com quem teve os gêmeos Apolo e Ártemis. Ela era uma deusa da maternidade e com seus filhos, uma protetora das crianças. Seu nome e iconografia sugerem que ela também era uma deusa da modéstia e recatada. Assim como sua irmã Astéria ela também pode ter sido uma deusa da noite, ou, alternativamente, da luz do dia. [2]

Quando engravidou dos dois, cujo pai era Júpiter (Zeus), teve que fugir da ira da ciumenta deusa suprema Juno (Hera), que tinha pedido que Gaia não cedesse lugar na terra para que a deusa pudesse dar à luz seus filhos. A ilha flutuante de Delos, eventualmente, lhe forneceu refúgio. Para dar á luz as crianças na ilha, ela teve que fugir da serpente Píton, que Febo mataria mais tarde.

Mais tarde, quando ela foi posteriormente viajou para Delpho, os titãs tentaram raptá-la, mas Apolo interveio e matou-o com flechas. [2]

Na pintura de vasos gregos Leto foi descrita geralmente como uma mulher que levanta o véu em um gesto de modéstia. Ela foi descrito geralmente acompanhada de seus dois filhos. O significado exato de seu nome é obscuro, alguns comentaristas conectá-lo com a palavra Letho, para passar despercebido, sugestivo de modéstia, outros derivar da palavra Lícia para a mulher, lada.[2]

Sempre que aparece nas imagens aparece a proteger os seus filhos, por causa da serpente Píton. Isto deve-se ao problema que surgiu com Hera.

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências

  1. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro V, 67.2
  2. a b c Leto Teogenia.