Laurie Anderson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Laurie Anderson
Informação geral
Nome completo Laura Phillips Anderson
Nascimento 5 de junho de 1947 (67 anos)
Local de nascimento Glen Ellyn, Illinois
 Estados Unidos
Gênero(s) Música experimental, Art rock
Instrumento(s) Violino
Synclavier
Percussão
Vocais
Período em atividade 1975 - atualmente
Outras ocupações Músico, Performer
Gravadora(s) Warner Bros. Records
Nonesuch/Elektra Records
Afiliação(ões) Lou Reed
Janice Pendarvis
David Van Tieghem
Página oficial www.laurieanderson.com

Laurie Anderson (Glen Ellyn, 5 de junho de 1947) é uma artista experimental norte-americana, conhecida por suas performances multimédias e por numerosos álbuns musicais que realizou.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Laurie Anderson é diplomada em história da arte e escultura. Desde os anos 1970 vem realizando performances em New York especificamente no espaço intermidia chamado The Kitchen[1] .

Em 1981, grava o EP "O Superman" em edição limitada sob o selo One Ten Records[2] . O disco é apreciado e relançado pelo influente "branché" da mídia inglesa John Peel, e se torna um sucesso, chegando a segunda posição nas paradas inglesas. O sucesso a faz sair do estatuto de artista "avant-garde" e lhe oferece uma notoriedade entre artistas mais populares. A artista fecha contrato então com a Warner. Um fragmento de O Superman será incluído em seu álbum Big Science assim como na sua considerada obra prima: United States part one to four[3] performance-contínua de oito horas que se torna, em 1983, parte de um disco: United States Live.

Em seguida, a sua carreira é composta de numerosas performances, exposições, discos e colaborações diversas: William Burroughs, John Giorno, Arto Lindsay, Ian Ritchie, Peter Gabriel, Perry Hoberman, David Sylvian (ex-Japan), Jean Michel Jarre, Brian Eno, Nona Hendryx, Bobby McFerrin, Dave Stewart, Hector Zazou, Andy Kaufman, Philip Glass, Marisa Monte, Ryūichi Sakamoto, Lou Reed.

Seus temas prediletos dizem respeito à tecnologia e seus efeitos sobre as relações humanas.

Em 2001, efetua uma tournée pelos Estados Unidos. A data programada para Nova Iorque é 19 de setembro de 2001, pouco depois dos ataques de 11 de setembro. O concerto é mantido e suas palavras apocalípticas em O Superman ("Eis os aviões... Estes são os aviões americanos..."), tomam então um sentido todo particular. Em 2003, ela se torna a primeira artista em residência da NASA, o que resultará na performance The end of the moon.

No Brasil, já colaborou com a revista de arte contemporânea Confraria do Vento, editada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro[4] .

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

  • CD-ROM "Puppet Motel" (1994)
  • "Rien dans les poches (Nothing In My Pockets)" (2006), un journal intime sonore en 2 parties d'une heure, coproduit et diffusé par France Culture.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Laurie Anderson