Lauro de Freitas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Lauro de Freitas
"Lauro"
Lauro de Freitas do alto.jpg

Bandeira de Lauro de Freitas
Brasão de Lauro de Freitas
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 31 de julho
Fundação 1962 (52 anos)
Gentílico laurofreitense
CEP 42700-000
Prefeito(a) Márcio Paiva (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Lauro de Freitas
Localização de Lauro de Freitas na Bahia
Lauro de Freitas está localizado em: Brasil
Lauro de Freitas
Localização de Lauro de Freitas no Brasil
12° 53' 38" S 38° 19' 37" O12° 53' 38" S 38° 19' 37" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Metropolitana de Salvador IBGE/2008 [1]
Microrregião Salvador IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Salvador
Municípios limítrofes Salvador, Simões Filho e Camaçari
Distância até a capital 15 km
Características geográficas
Área 57,687 km² [2]
População 184 383 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 3 196,27 hab./km²
Altitude 30 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 alto PNUD/2010 [4]
Gini 0,63 PNUD/2010[5]
PIB R$ 3 156 015 mil IBGE/2010[6]
PIB per capita R$ 19 313,00 IBGE/2010[6]
Página oficial
A cidade vista da janela do avião
Praia de Buraquinho
Enchente na cidade em 2010
Loja Insinuante da Estrada do Coco
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Lauro de Freitas

Lauro de Freitas é um município da Região Metropolitana de Salvador, no Litoral Norte do estado da Bahia, no Brasil. Abriga moradores famosos, com o pugilista Acelino "Popó" Freitas, a apresentadora Scheila Carvalho e os músicos Daminhão Experiença e Jimmy Cliff, entre outros cantores e políticos famosos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2013 sua população era estimada em 184383 habitantes, espalhados em 57 km², resultando em aproximadamente 3196 habitantes por quilômetro quadrado. O município é um dos que mais cresce no país e foi considerado o quarto município que mais gerou empregos no ano de 2009,[7] fato que se repete ao longo dos anos.[8] [9]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A freguesia de Santo Amaro de Ipitanga tinha esse nome pois cresceu a partir da igreja matriz de Santo Amaro de Ipitanga. Assim ficou até sua emancipação de Salvador, em 1962, quando o vereador Paulo Moreira de Souza propôs substituir Santo Amaro de Ipitanga por Lauro de Freitas, homenageando o político baiano Lauro Farani Pedreira de Freitas, candidato a governador da Bahia e falecido na campanha de 1950 juntamente com Gercino Coelho (pai do ex-governador Nilo Moraes Coelho), em um acidente aéreo em Bom Jesus da Lapa.[10]

Essa homenagem póstuma foi uma grande motivação, assim como ocorreu em Simões Filho, para que o distrito soteropolitano se transformasse em um município. Atualmente, há um movimento polêmico na cidade para que se retorne ao seu antigo nome, Santo Amaro de Ipitanga. Por causa disso, a prefeitura pretende conscientizar os cidadãos da história da cidade para, depois, realizar um plebiscito para definir o nome da cidade.[11]

História[editar | editar código-fonte]

Por volta do ano 1000, a região atualmente ocupada pelo município foi invadida por povos tupis procedentes da Amazônia, os quais expulsaram os seus antigos habitantes, os tapuias, para o interior. No século XVI, quando chegaram os primeiros europeus à região, a mesma era habitada pelo povo tupi dos tupinambás[12] . Em 1552, Garcia d'Ávila recebeu, de Tomé de Sousa, lotes de terra no litoral baiano. Ali, foi instalada, com apoio da família d'Ávila, proprietária da Casa da Torre, uma missão jesuíta, a qual deu origem, em 1758, à freguesia de Santo Amaro de Ipitanga,

A região era habitada por indígenas no Morro dos Pirambás. Por situar-se numa zona próxima ao mar, o que favorecia o escoamento da produção agrícola, vieram os engenhos de açúcar e, com eles, os escravos africanos, que influenciaram fortemente a cultura local. Ainda hoje, se podem encontrar descendentes de famílias escravas, guardiãs dos costumes africanos e praticantes do candomblé.

No século XVII, a história da cidade foi marcada por um surto de cólera que dizimou parcela considerável da população, e pela construção da matriz de Santo Amaro de Ipitanga, erguida na parte mais alta da cidade. A matriz se constituiu na construção mais representativa desse período colonial no Brasil.

Originalmente, Lauro de Freitas pertencia a Salvador, até que, em 1880, passou a ser distrito de Montenegro, atual Camaçari. Em 1932, retornou a Salvador, até que, em 31 de julho de 1962, foi transformado em município. Onze anos depois, passou a integrar a Região Metropolitana de Salvador.[13]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Lauro de Freitas tem, como distrito único, a sede. Está dividida em bairros, os quais são Areia Branca, Buraquinho, Caixa d'Água, Caji, Centro, Ipitanga, Itinga, Jambeiro, Miragem, Portão, Vida Nova, Vilas do Atlântico e Jardim do Jockey.

Areia Branca é o mais distante, a 30 km do Centro e preserva bastante costumes rurais. Caji e Jambeiro são áreas rurais, apesar de Caji possuir um condomínio na margem da Estrada do Coco, o Condomínio Beira Rio, que fica em frente à loja matriz da Insinuante, conhecida também como Mega Insinuante da Estrada do Coco. Itinga possui mais da metade da população do município: mais de 70 000 habitantes. Está localizado a cinco quilômetros do Centro de Lauro de Freitas. Portão é o segundo maior bairro em população e está separado pela Estrada do Coco de Vilas do Atlântico, que originalmente foi um condomínio de luxo construído para abrigar a classe média que fugia da agitação de Salvador. Vida Nova vem se destacando pelo rápido crescimento e também pelas empresas que se instalaram no local, sobretudo as que fazem parte do chamado Polo de Brinquedos (Acalanto, BabyBrink e outras), e também pelos investimentos em conjuntos habitacionais com o apoio da Caixa Econômica e dos Governos Federal e Estadual, juntamente com a Prefeitura. O Jardim do Jockey é um bairro de classe alta, o mais próximo do Centro. Está praticamente incorporado ao Centro. Situa-se na margem do Rio Ipitanga.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Região Metropolitana de Salvador, em destaque Salvador

Lauro de Freitas está localizado ao norte da capital baiana, na região do Litoral Norte da Bahia. Faz divisa ao sul com Salvador pela praia de Ipitanga; também a oeste com Salvador; ao norte, com Camaçari, divisa pelo Rio Joanes, que se encontra em estado de poluição elevada, e Simões Filho, pelo Centro Industrial de Aratu; e a leste com o Oceano Atlântico.

Possui uma clima tropical quente úmido de temperaturas médias anuais equivalentes a 24 graus centígrados. Os períodos chuvosos são no mês de abril e de junho. A precipitação média anual de 1 800 milímetros.

Seu relevo é composto por tabuleiros, planaltos costeiros, baixos tabuleiros e colinas do Recôncavo.

O solo são do tipo latossolo vermelho amarelo distrófico, podzólico vermelho amarelo, com predominância de areias quartzozas marinhas distróficas.

A vegetação compreende a cobertura vegetal da orla marítima com coqueirais em solo arenoso e dunas recobertas por plantas rasteiras, arbustos e semiarbustos.

Lauro de Freitas possui um litoral de seis quilômetros banhados pelo Oceano Atlântico, divididos em três praias: Buraquinho, Praia de Ipitanga e Vilas do Atlântico.

Os rios principais do município são o Rio Joanes, que desagua no Oceano Atlântico e separa Lauro de Freitas e Camaçari, e o Rio Ipitanga, que corta a cidade desaguando no Joanes. Há também vários córregos e outros dois rios, Sapato e Goro, entretanto ambos estão em acelerado processo de deterioração.

A unidade de conservação do município que se destaca como apta à prática do ecoturismo é a Área de Proteção Ambiental Joanes/Ipitanga, com cerca de 22 000 hectares de mata atlântica.

Economia[editar | editar código-fonte]

Lauro de Freitas possui um produto interno bruto de mais de 1 000 000 000 de reais. É considerado um dos municípios mais industrializados da Bahia; possui uma fábrica da Lenoxx[14] e ocupando a 3ª posição entre eles, detendo um grande polo de "indústrias limpas". O comércio de Lauro de Freitas é concentrado na Estrada do Coco (BA-099), que corta o município, mas também nos centros dos seus principais bairros. Areia Branca, Jambeiro, Capelão, Capiarara (Capim de Arara) não são mais áreas rurais e sim "áreas mistas", assim considerados pela prefeitura. Areia Branca ainda possui um problema que são as divisões de terras, pois parte pertence ao município de Lauro de Freitas e parte a Salvador. Considera-se que o bairro de Barro Duro também é pertencente ao município de Lauro de Freitas, apesar das proximidades da Ceasa e de Simões Filho. Jambeiro possui uma barragem grande que retém as águas que servem a Salvador e que foi reformada em 1956. As matas que cercaneiam Areia Branca são dos poucos locais entre Salvador e Lauro de Freitas que ainda se mantêm intocáveis, possuindo uma vasta fauna e flora.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes de Lauro de Freitas, a frota de veículos do município é cerca de 85 000 automóveis. Foi em Lauro de Freitas, então Santo Amaro de Ipitanga, que surgiu o primeiro campo de aviação terrestre da Bahia, construído pela empresa francesa de aviação civil Latécoére entre 1930 e 1940, o Aeródromo Santo Amaro de Ipitanga, que foi o antecessor do Aeroporto de Ipitanga, mais tarde Dois de Julho, e atualmente Deputado Luís Eduardo Magalhães.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Localizada na praça principal da cidade, a Igreja Matriz de Santo Amaro de Ipitanga é o mais representativo monumento arquitetônico. Datada do final do século XVII a igreja do padroeiro localiza-se em um dos pontos mais altos do município e com a sua festa em janeiro onde ocorre a lavagem, a procissão e a missa solene torna-se o maior evento religioso local e importante atrativo turístico com a participação de baianas típicas.

Foi o primeiro município brasileiro a criar uma secretaria de políticas para mulheres para atuar no combate as desigualdades entre os sexos e a implantar um departamento de políticas públicas para promover a igualdade racial.[15]

Eventos e datas comemorativas[editar | editar código-fonte]

Festival Ipitanga de Teatro: o Festival Ipitanga de Teatro era realizado a partir da primeira semana de janeiro, como parte das comemorações ao padroeiro da cidade, mas foi adiado para abril. Recebe patrocínio público estadual do Fundo de Cultura da Bahia, além da reforma do Centro de Cultura de Lauro de Freitas. Sua quinta edição foi realizada entre 12 a 22 de maio de 2010.[16]

O festival se tornou um dos mais importantes do estado, com a participação de espetáculos de vários estados brasileiros: Bahia, Sergipe, Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, Amazonas, Minas Gerais, Goiás, Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, com apresentação de mais de cem espetáculos.

O evento é organizado pela Sociedade Cultural Távola e tem, como diretor e produtor geral, Nivaldo Nery Filho, o Duzinho Nery.

Natal de Vilas
Praias de Lauro de Freitas e parte das praias de Salvador

Evento que ocorre desde 23 se dezembro de 2006 no último final de semana antes do dia 24 de dezembro. Visa comemorar o nascimento de Jesus. É uma belíssima encenação que envolve as artes teatrais, música (coral infantil e adulto), dança e cenografia. Este evento é promovido pela Igreja Batista de Vilas do Atlântico e é aberto ao grande público.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. IBGE - Censo Brasileiro 2013 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 30 de setembro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 07 de agosto de 2013.
  5. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). Perfil do município de Lauro de Freitas - BA. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Página visitada em 4 de março de 2014.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 12 dez. 2012.
  7. Site Oficial de Lauro de Freitas. Chineses interessados em projeto hoteleiro em Lauro de Freitas Página visitada em 6 de outubro de 2010.
  8. As cidades médias dão show na hora de criar empregos. EXAME.com (7 de novembro de 2011). Página visitada em 23 de julho de 2014.
  9. As 20 cidades que criaram mais empregos no 1º semestre. EXAME.com (18 de julho de 2014). Página visitada em 23 de julho de 2014.
  10. Bahia JÁ - Jornalismo de Conteúdo.. www.bahiaja.com.br. Página visitada em 24 de abril de 2012.
  11. Jornal Bahia Norte. web.archive.org. Página visitada em 24 de abril de 2012. Cópia arquivada em 15 de abril de 2008.
  12. BUENO, E. Brasil: uma história. 2ª edição. São Paulo. Ática. 2003. p. 19.
  13. Site Oficial de Lauro De Freitas. www.laurodefreitas.ba.gov.br. Página visitada em 24 de abril de 2012.
  14. CORREIO. www.correio24horas.com.br. Página visitada em 24 de abril de 2012.
  15. Site Oficial de Lauro De Freitas. www.laurodefreitas.ba.gov.br. Página visitada em 24 de abril de 2012.
  16. www.PortalVilas.com.br :: Villas do Atlântico :: Lauro de Freitas. web.archive.org. Página visitada em 24 de abril de 2012. Cópia arquivada em 14 de abril de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]