Lavras da Mangabeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Lavras da Mangabeira
"Terra do Boqueirão"
"Vale do Salgado"
"Sétima Maravilha do Ceará"
"Lavras"
Vista panorâmica da praça central do município, tendo ao fundo a igreja matriz de São Vicente Férrer

Vista panorâmica da praça central do município, tendo ao fundo a igreja matriz de São Vicente Férrer
Bandeira de Lavras da Mangabeira
Brasão de Lavras da Mangabeira
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de agosto de 1816 (198 anos)
Fundação 1816
Gentílico lavrense
Prefeito(a) Gustavo Augusto Lima Bisneto (PRB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Lavras da Mangabeira
Localização de Lavras da Mangabeira no Ceará
Lavras da Mangabeira está localizado em: Brasil
Lavras da Mangabeira
Localização de Lavras da Mangabeira no Brasil
06° 45' 10" S 38° 58' 19" O06° 45' 10" S 38° 58' 19" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Centro-Sul Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Lavras da Mangabeira IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Cedro, Icó e Umari
Leste: Baixio e Ipaumirim
Sul: Aurora e Caririaçu
Oeste: Granjeiro e Várzea Alegre
Distância até a capital 434 km
Características geográficas
Área 947,957 km² [2]
População 31 096 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 32,8 hab./km²
Altitude 239 m
Clima semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,636 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 95 925,503 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 133,59 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura http://www.lavras.ce.gov.br

Lavras da Mangabeira é um município brasileiro do estado do Ceará. Localiza-se na microrregião de Lavras da Mangabeira, mesorregião do Centro-Sul Cearense. O município tem cerca de 31 mil habitantes e 993 km².

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O topônimo Lavras da Mangabeira é uma alusão à atividade que foi exercida no local, a mineração, e o nome da árvore abundante na região, a mangabeira (Hancornia speciosa). Sua denominação original era São Vicente Ferrer de Lavras de Mangabeira, depois São Vicente das Lavras, Lavras e, desde 1911, Lavras da Mangabeira.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Vila de São Vicente das Lavras.

As terras localizadas às margens do Jaguaribe-Mirim ou rio Salgado, eram habitadas pelos índios de diversa etnias tais como os Kariri, os Guariús.[7] [8]

Com a definitiva ocupação do território de Ceará no século XVII, na região dos Cariris, chegaram diversas entradas. Os integrantes das entradas, militares e religiosos, mantiveram os primeiros contatos com os nativos, estudaram as tribos, catequizaram os índigenas e os agruparam em aldeiamentos ou missões.

Os resultados destes contatos e descobrimentos desencadearam notícias que na região das Minas de São José dos Cariris Novos (atual município de Missão Velha), tinha ouro em abundância e em seguida desencadeou-se uma verdadeira corrida para os sertões brasileiros, onde famílias oriundas de Portugal, sonhando com as riquezas de terras inexploradas e com a esperança de encontrar o minério, que as levariam a aumentar o seu patrimônio material, além de aumentar o seu prestigio pessoal com a corte portuguesa.

A busca do metal precioso, nas ribanceiras do Rio Salgado, trouxe para a região do Sertão do Cariri, a colonização e com consequência a doação de sesmarias, o que permitiu o surgimento de lugarejos e vilas.

A febre do ouro durou até a segunda metade do século XVII. Várias prospecções se realizaram, porém em vão, uma vez que a extração de referido minério se tornou onerosa às Cortes de Lisboa, que determinaram a sua suspensão, em 1758.

Essas aventuras auríferas que se fizeram, entre outros, nos sítios Fortuna, Oiteiro, Barreiros e Morros Dourados e, especialmente, no lugar denominado Boqueirão de Lavras; a criação da capela de São Vicente Férrer, foram as bases que deram início ao centro urbano que hoje chama-se Lavras da Mangabeira.

Com a expansão da Estrada de Ferro de Baturité até a cidade do Crato em 1910, no município de Lavras da Mangabeira foram inauguradas três estações de trem (Arrojado – antigo Paino; Lavras da Mangabeira – antiga Lavras; Iborepi – antigo Riacho Fundo).[9] [10] [11] Esta malha feroviária representou o impulso para a economia local, principalmente porque a partir da estação de Paino ou Arrojado, o Ceará ficou ligado a Paraíba via o Ramal da Paraíba.[12]

Famílias que vieram a Lavras da Mangabeira em busca do ouro, estabeleceram-se de modo a constituir essa cidade e consolidar sua própria história. Buscando conservar seu sangue, herança genética e seus sobrenomes, mantiveram uniões entre certas famílias e podem ser observados como verdadeiros clãs, que ainda hoje conservam esses padrões e moram ou mantem fortíssimas ligações com a cidade e entre sua família.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Tropical quente semiárido com pluviometria média de 908,9 mm[13] com chuvas concentradas de janeiro à abril.[14]

Hidrografia e recursos hídricos[editar | editar código-fonte]

As principais fontes de água fazem parte da bacia do rio Salgado, sendo as principais os riachos São Lourenço, do Meio, do Machado, das Pombas, Unha de Gato e Extremo de Cima, do Mês, do Rosário e outros tantos. Existem 192 açudes, sendo os de grande porte os açude: do Rosário, da Extrema, Pau Amarelo, Três Irmãos.[15] [16]

Relevo e solos[editar | editar código-fonte]

As terras de fazem parte da Depressão Sertaneja, As principais elevações possuem altitudes entre 200 e 500 metros acima do nível do mar. Com solos que apresentam rochas do embasamento cristalino pré-cambriano, representadas por gnaisses e migmatitos diversos, xistos, filitos e metacalcários. Sobre esse substrato repousam rochas sedimentares (conglomerados, arenitos, siltitos, folhelhos e calcários) do mesozóico.[15]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação é bastante diversificada: caatinga arbustiva densa, caatinga arbustiva aberta, floresta caducifólia espinhosa e mata ciliar (floresta mista dicótilo-palmácea) ao longo dos cursos hidrícos. Também há uma pequena área de cerrado no alto do Boqueirão do Rio Salgado.[15]

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

O município é dividido em seis distritos: Lavras de Mangabeira (sede), Amaniutuba, Arrojado, Iborepi, Mangabeira e Quitaiús.[6]

Aspectos socioeconômicos[editar | editar código-fonte]

A maior concentração populacional encontra-se na zona rural. A sede do município dispõe de abastecimento de água, fornecimento de energia elétrica, serviço telefônico, agência de correios e telégrafos, serviço bancário, hospitais, hotéis e ensino de 1° e 2ºgrau.[15]

A partir de Fortaleza, o acesso ao município pode ser feito por via terrestre através da rodovia Fortaleza/Russas/Icó/Ipaumirim (BR 116) e a rodovia Lavras da Mangabeira/Várzea Alegre/Farias Brito/Crato (BR 230, a mesma Transamazônica que começa em Cabedelo e vai até à Amazônia). As demais vilas, lugarejos, sítios e fazendas são acessíveis (com franco acesso durante todo o ano) através de estradas estaduais, sendo elas rodovias asfaltadas ou estradas carroçáveis.[17]

A economia local é baseada na:

Turismo[editar | editar código-fonte]

O turismo também movimenta a cidade devido as suas belezas naturais, com destaque especial ao Boqueirão e a sua gruta, que além de ser um local de imensa beleza, é um objeto de estudo que recebe estudiosos e diversas escolas do interior do estado, para conhecer sua impressionante formação geográfica e histórica, sendo um alvo de lendas que compõe a história da cidade.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos culturais são: a festa do padroeiro, São Vicente Ferrer (5 de abril e a SEACE(Semana de Arte Cultura e Esportes) comemorada todo ano na semana de aniversário da cidade. (20 de Agosto) Vale destacar também as festas dos padroeiros dos distritos, como São José em Amanuituba e são Francisco co-padroeiro, São Sebastião em Mangabeira, Nossa Senhora do Rosário em Quitaius, Coração de Jesus em Arrojado que também comemora o São Pedro, e Nossa Senhora das Candeias em Iborepi. Alguns nomes da música em Lavras da Mangabeira animam os finais de semanas, como Viquinho e seus teclados, Rosivan, Nailton, Ciço Lifrat, Juscelino, Ivo Teles & Darly, Luis Seresteiro, Forrozão Gata Moral . Poetas como Zé Teles, Manoel de Mundoca, Mundoquinha, Zael de Besouro, Valdir Teles, enriquecem a cultura lavrense.

Política[editar | editar código-fonte]

A administração municipal localiza-se na sede, Lavras de Mangabeira.[6] 12345

Gestores[editar | editar código-fonte]

Entre os anos 1989 e 1992, foi eleito Prefeito o dentista Edmilson Goncalves da Silva (Dr. Edmilson). Já em 1992, Carlos Francisco Gonçalves (Carlos de Olavo) logrou êxito e alcançou o Governo Municipal. Nas Eleições de 1996, Francisco Aristides Ferreira (Chico Aristides) chegou ao Poder Executivo local pelo então PPB, após ter sido eleito com 57,06% [19] dos votos, 9.193[20] , permancendo até 2004, após ter sido reeleito [21] pelo então PSD no ano 2000. Em 2004, Edenilda Lopes de Oliveira Sousa (Dena) PMDB assume o Paço Municipal, após ter sido eleita com 58,15%[22] (9777) dos votos válidos e reeleita (Eleições 2008) com 53,94%[23] (9392). Em 2012, o médico e atual prefeito Gustavo Augusto Lima Bisneto PRB , chamado popularmente de Dr. Tavinho, foi eleito para o quadriênio 2013-2016 obtendo a fatia correspondente a 56,13%[24] (9825) dos votos válidos.

Esportes[editar | editar código-fonte]

O esporte principalmente o futebol é uma das maiores paixões do Lavrense. Tiveram grandes equipes e jogadores ao longo de sua existência. Com destaque para a equipe do MONTILLA que, desde 1997 vem sendo um ícone do futebol amador da região conquistando vários títulos ao longo de sua existência. O Montilla F. C. é atualmente Penta-Campeão de Lavras da Mangabeira, sendo o maior também em títulos municipais, como também conquistando os principais títulos nos municípios circunvizinhos, como Várzea Alegre, Cedro, Aurora e no vizinho estado da Paraíba. Existem outras equipes que rivalizam com o Montilla, como o Cruzeiro(Tri-Campeão Lavrense),ALFA(Leomar Bezerra) o Meia lua(Campeão) e o Padre Cícero(Campeão). Também vale destacar a força das equipes dos distritos como o Iborepi, Amaniutuba, Mangabeira, Arrojado, Quitaiús, e também da zona rural, como o Nacional das Melancias, o Guarani do Boqueirão, o Botafogo da Carnaúba, etc. Grandes jogadores fizeram história no nosso município, como José Alves, Cabo Bené, Neném Alves, Audizio, Bim, Danda, Fanca, Dr. Tavinho, Gerácio e Leonardo (Sendo estes dois os primeiros a atuarem como profissionais), Dr. Mirialdo, Vicente de Tereza, Tatal, Magela, Zé Nailton, Paulinho, Tim, Basto, Diassis, Danile, Geraldino, entre outros. O Futsal é uma das bases sociais na infância do Lavrense. Gato Preto e Cipreg foram duas grandes equipes e famosas na região, mas hoje não tem nenhum clube registrado. Atualmente a cidade envia apenas a seleção municipal para jogos representativos.

Lavrenses notórios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. a b c http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/dtbs/ceara/.pdf
  7. Sebok. Lou, Atlases published in the Netherlands in the rare atlas collection. Compiled and edited by Lou Seboek. National Map Collection (Canada), Ottawa. 1974
  8. Aragão, R. B, Índios do Ceará e Topônimios Índigenas, Fortaleza, Barraca do Escritor Cearense. 1994
  9. [1]
  10. [2]
  11. [3]
  12. [4]
  13. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME.
  14. Instituto nacional de Pesquisa espacial - INPE.
  15. a b c d http://www.cprm.gov.br/
  16. [5]
  17. [6]
  18. [7]
  19. http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-anteriores/eleicoes-1996/resultados-das-eleicoes
  20. http://apps.tre-ce.jus.br/tre/download/Eleicoes%201996.pdf
  21. http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-anteriores/eleicoes-2000/resultado-da-eleicao-2000
  22. http://eventos.noticias.uol.com.br/eleicoes/CE/index-14516.html
  23. http://apps.tre-ce.jus.br/tre/eleicoes/ele2008/resultados/HTML/resultado-LAVRAS_DA_MANGABEIRA.html
  24. http://eleicoes.terra.com.br/apuracao-resultado/2012/1turno/ce/lavras-da-mangabeira,14516.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]