Leão-europeu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaLeão-europeu
Leão-europeu esculpido em mármore, 400 aC.

Leão-europeu esculpido em mármore, 400 aC.
Estado de conservação
Status iucn3.1 EX pt.svg
Extinta  (100 dC) (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Género: Panthera
Espécie: P. leo
Subespécie: P. l. europaea
Nome trinomial
Panthera leo europaea

O leão-europeu (Panthera leo europaea) é uma possível subespécie de leão que habitava o continente europeu e que se encontra extinto desde o ano 100 d.C., quando os últimos indivíduos desta subespécie foram mortos na Grécia. No entanto este leão pode na verdade ter sido uma extensão européia do Leão asiático (Panthera leo persica) ou então um remanescente do Leão das cavernas (Panthera leo spelaea) que sobreviveu em épocas históricas.

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Na Europa, os leões habitavam a Península Balcânica. Habitavam as atuais Grécia, Bulgária, Macedônia, Romênia e países que integravam a extinta Iugoslávia e seu habitat se estendia até à península Ibérica, passando pelo sul da França, Itália, Hungria e o sul das atuais Áustria e Suíça. Das subespécies de leão, era a que vivia mais ao norte. Alguns escritores gregos como Heródoto e Aristóteles falam da presença de leões na península Balcânica em meados do primeiro milênio antes de Cristo. No ano de 480 a.C., a marcha do Imperador persa Xerxes foi atrapalhada por um ataque de leões a seus camelos de carga. Viviam em florestas temperadas e áreas de vegetação mediterrânea, e se alimentavam de bisões, cervos, alces, auroques e outros herbívoros europeus.

A sua Extinção[editar | editar código-fonte]

Junto com o leão-do-atlas, trazido do norte da África, e o leão-asiático (trazido do Oriente Médio), também foram utilizados leões-europeus nas arenas romanas, o que, a longo prazo, afetou fortemente as populações, e quando os leões-europeus se encontravam a beira da extinção, os romanos passaram a utilizar o leão-do-atlas nas arenas para devorar cristãos e lutar contra gladiadores e outros animais tais como o tigre-do-cáspio e o urso-do-atlas. Além disso os leões-europeus também foram afetados pela caça (o leão era um objetivo de caça muito popular entre gregos, macedônios e romanos) e competição com cães ferais. Antes do nascimento do Cristo foram extintos da Itália e por volta do ano 1 foram extintos da Europa Ocidental. Por volta do ano 70 se encontravam restritos ao norte da Grécia, numa área que se estendia entre o rio Aliakmon e o rio Mesta, até que no ano 100 foram extintos por completo. Por conta de sua extinção remota, não se sabe muito a respeito desta subespécie. Depois disso apenas uma população de leões no Cáucaso pertencente à subespécie asiática restava na Europa. Tal população viria a ser extinta no século X.

Ver também[editar | editar código-fonte]