Leão de São Marcos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de en:Lion of Saint Mark. Ajude e colabore com a tradução.
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página está a atravessar um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a dar o seu contributo e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Stegop (D C) 4 meses atrás. (Recarregar)

O Leão de São Marcos presente na bandeira da República de Veneza

O Leão de Saõ Marcos (em vêneto: Leon de San Marco; em italiano: Leone di San Marco) é uma representação simbólica do evangelista São Marcos retratado na forma de um leão alado do tetramorfo. É frequente ser representado com um livro debaixo duma pata, uma auréola por cima da cabeça e segurando uma espada numa pata.

É um dos elementos mais conhecidos da iconografia cristã, é o símbolo da cidade de Veneza e foi o símbolo da antiga República de Veneza. Está também presente nas bandeiras das marinhas mercante e de guerra de Itália, da região de Véneto e da província de Veneza. É também o símbolo do Festival de cinema de Veneza, cuja galardão máximo, o Leão de Ouro é a imagem do um Leão de São Marcos; da companhia de seguros Assicurazioni Generali; do clube de futebol Unione Venezia; além de numerosos organismos civis e militares italianos.

Veneza e São Marcos[editar | editar código-fonte]

O Leão na fachada ocidental da Basílica de São Marcos de Veneza

Segundo a tradição veneziana, quando São Marcos stava a viajar através da Europa, chegou a uma lagoa em Veneza, onde lhe apareceu um anjo que lhe disse: «Pax tibi Marce, evangelista meus. Hic requiescet corpus tuum» ("Que ap paz seja contigo, Marcos, meu evangelista. Aqui descansará o teu corpo"). Esta tradição, provavelmente apócrifa, foi usada como justificação por Rustico da Torcello e Bon da Malamocco em 828 para roubar os restos mortais de São Marcos do seu túmulo em Alexandria e levá-los para Veneza, onde acabaram por ser enterrados na Basílica de São Marcos.

Simbolismo e representações[editar | editar código-fonte]

Estátua do Leão por cima da Porta de São Marcos de Livorno

A representação de São Marcos como um leão uma iconografia cristã típica derivada das visões proféticas contidas no verso do Apocalipse de São João 4:7. O leão é uma das quatro criaturas descritas nesse livro como estando em volta do trono do Todo-o-Poderoso e são os símbolos dos quatro evangelistas. Esse seres tinham sido descritos antes pelo profeta Ezequiel.

O leão veneziano é representado de duas formas distintas. Uma é um animal alada que repousa sobre água, simbolizando o domínio sobre os mares, segurando o Evangelho de São Marcos debaixo de uma pata dianteira. Estes animais poderosos podem ser vistos por todo o Mediterrâneo, geralmente no cimo de uma coluna clássica. O outro tipo de representação é conhecida como o leão "in moleca", na forma de um caranguejo. Aqui o leão é representado de frente, com as asas rodeando a cabeça , fazendo lembrar as pinças de um crustáceo. Está a emergir da água, pelo que é associado com a laguna e a cidade, enquanto que o leão em pé é mais associado com os territórios venezianos em volta do Mediterrâneo.

Notas[editar | editar código-fonte]