Lei das proporções definidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joseph Louis Proust

A Lei das Proporções Definidas ou Lei das Proporções Constantes foi elaborada no ano de 1794 pelo químico francês Joseph Louis Proust (1754 – 1826) e é mais conhecida como a Lei de Proust e afirma que “Uma determinada substância pura contêm sempre os mesmos elementos combinados na mesma proporção em massa, independente da sua origem.” Essa Lei, serviu de inspiração para a lei de Dalton, e constitui a base da estequiometria.

História[editar | editar código-fonte]

A lei das proporções definidas foi observada pela primeira vez pelo químico francês Joseph Proust, com base em vários experimentos realizados entre 1798 e 1804. Para um químico moderno conhecedor da definição de composto químico, a Lei das Proporções Definidas pode parecer óbvia, contudo no final do século 18, época em que o conceito de um composto químico ainda não tinha sido totalmente desenvolvido, a lei era nova. Quando proposta pela primeira vez causou grande polêmica e foi contestada por outros cientistas, mais notadamente pelo companheiro de Proust, o francês Claude Louis Berthollet, que afirmava que os elementos poderiam se combinar em qualquer proporção. A existência de tal debate demonstra que a distinção entre as substâncias puras e as misturas ainda não tinha sido completamente desenvolvida. A lei das Proporções Definidas contribuiu para a base teórica da teoria atômica que John Dalton promoveu inicialmente em 1803, explicando que a matéria é constituída por átomos, que para cada elemento existe um átomo especifico, e que os compostos são feitos de combinações de diferentes tipos de átomos em proporções fixas.


A Lei das Proporções Definidas[editar | editar código-fonte]

Proust observou que as massas dos reagentes e dos produtos que participam de uma reação obedecem a uma determinada proporção constante, que não depende da quantidade em massa dos reagentes utilizados. Tal proporção é específica de cada reação. Vejamos um exemplo que ilustra Lei de Proust: Considere a reação da combustão do metano representada pela equação:

CH4+ 2O2→CO2+ 2H2O

A partir da mesma os seguintes valores experimentais foram obtidos:

Experimento Metano(g) oxigênio(g) dióxido de carbono(g) água(g)
I 16 64 44 36
II 8 32 22 18
III 2 8 5,5 4,5

A partir da tabela observamos que metano e oxigênio quando combinados sempre na mesma proporção de 1:4 resultam em gás carbônico e água combinados também sempre na mesma proporção de aproximadamente 1,22:1. Uma importante observação é que a soma das massas dos reagentes é igual a soma das massas dos produtos, um fato que concorda com a Lei de Lavoisier da conservação das massas que garante que num processo químico não acontece nem a criação nem destruição de massa.. No caso de uma reação de síntese, que são aquelas que originam uma substância a partir dos elementos que a constitui, a lei de Proust postula o seguinte enunciado: "A proporção, em massa, dos elementos que participam da composição de uma substância é sempre constante e independente do processo químico pelo qual a substância é obtida." Temos como exemplo a reação de síntese do ácido carbônico:

H2O + CO2 → H2CO3

E os dados experimentais foram tabelados como segue abaixo:

Experimento Água(g) Dióxido de Carbono (g) Ácido Carbônico (g)
I 18 44 62
II 9 22 31
III 1 2,44 3,44


Neste experimento observamos que a razão entre a massa gás carbônico com a massa de água é sempre 2,44, a razão entre as massas de ácido carbônico com a massa de água é sempre 3,44, e para a massa de água e de gás carbônico a razão é sempre 0,4. Ou seja, qualquer amostra de ácido carbônico apresenta sempre 70,96% de gás carbônico e 29,03% de água em massa combinados nesta proporção.

Referência Bibliográfica[editar | editar código-fonte]

ATKINS, P.; JONES, L., “Princípios de Química: Questionando a Vida Moderna e o Meio Ambiente”.

MAHAN, B., “Química: um curso universitário”.