Lei de Dalton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A lei de Dalton, é uma lei acerca do comportamento dos gases ideais, que defende que se as moléculas de dois gases não se atraem nem se repelem, as colisões de cada um deles não são afetadas pela presença do outro. Por essa razão cada um dos gases exerce mesma pressão na mistura gasosa que exerceria se estivesse sozinho; a isto se chama pressão parcial de um gás[1] . A lei de dalton, textualmente, afirma:

"Numa mistura gasosa, a pressão de cada componente é independente da pressão dos demais, a pressão total ( P) é igual à soma das pressões parciais dos componentes".

A pressão total exercida sobre as paredes em que a mistura está contida é calculada através da soma das pressões parciais.

\ P_t = p_1 + p_2 + ... + p_n

A expressão matemática da lei de Dalton é:

\ p_A = P_t x_A

sendo pA a pressão parcial de A, Pt a pressão total da mistura e xA a fracção molar de A.

Referências

  1. Lei de Dalton (em português) Brasil Escola. Página visitada em 17 de junho de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Angus Smith, "Memoir of John Dalton and History of the Atomic Theory"
  • Arnold Thackray, John Dalton: Critical Assessments of His Life and Science, Harvard University Press, (1972) ISBN 0-674-47525-9

Ver também[editar | editar código-fonte]