Leitão assado à Bairrada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Leitão assado à bairrada)
Ir para: navegação, pesquisa
Leitão à Bairrada

Leitão assado à Bairrada é um dos pratos regionais mais conhecidos e apreciados da região da Bairrada, em Portugal, tendo sido nomeado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal.

História[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

Apesar de se saber que os romanos já apreciavam leitão, não são muitos os livros de gastronomia que o referem assado. Facto é que desde o século XVII que a criação de suínos se tornou excedentária em terras da Bairrada e esse facto constituiu um grande impulso que o levou à sua comercialização.

O documento mais antigo que se refere a esta iguaria é uma receita conventual de 1743, provavelmente do Mosteiro do Lorvão ou do Mosteiro da Vacariça, compilada num caderno de refeitório de 1900 por António de Macedo Mengo, na qual é descrita uma receita que quase coincide com a receita actual.

Devido a esta falta de documentação mais exacta, todos os concelhos da região da Bairrada reivindicam a sua origem, desde o concelho da Mealhada, a Sul até ao de Águeda, a Norte, não sendo consensual e gerando várias disputas.

Comercialização[editar | editar código-fonte]

A sua comercialização assado terá começado em Covões (Cantanhede),[1] segundo um documento do início do século XX, de uma encomenda feita pela Sociedade das Águas de Luso, mas o seu grande arranque terá sido levado a cabo por Álvaro Pedro, nascido em Alpalhão, freguesia de Aguim (Anadia), começou por vender no seu negócio em 1943, as famosas sandes de leitão aos parcos automobilistas que então circulavam na EN1 e mais tarde, 1949, abre o primeiro restaurante que comercializa para o grande público leitão assado à Bairrada, situado na então aldeia de Sernadelo, a parcos quilómetros de Alpalhão e hoje integrada na malha urbana da Cidade de Mealhada.[2] Depois deste arranque muitos restaurantes se seguiram preenchendo as laterais da EN1 de uma ponta à outra de Mealhada, mas a ideia também pegou nos concelhos vizinhos e também parte integrante da Bairrada como Anadia, Cantanhede, Oliveira do Bairro e Águeda.

Localização[editar | editar código-fonte]

É na Estrada Nacional 1, entre Coimbra e Anadia, mas principalmente na zona da Mealhada, que se encontram dezenas de restaurantes, dedicados à venda deste prato típico, que anualmente trazem milhares de turistas a esta zona.

É nos concelhos da Mealhada, Anadia, Águeda, Oliveira do Bairro, Cantanhede, mas também no norte do concelho de Coimbra, que a tradição do Leitão Assado à Bairrada mais se confirma, dando emprego a milhares de pessoas.

Defesa e Regulamentação[editar | editar código-fonte]

O leitão assado à Bairrada é defendido, para além dos respectivos municípios, por duas confrarias: a Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada,[3] fundada em 1995 e com sede em Sangalhos (Anadia), e a mais recente Confraria do Leitão da Mealhada.[4]

Já existiram várias propostas de regulamentação e certificação do leitão mas as disputas pela sua origem e tentativas de monopólio só têm levado a um afastamento entre o povo da Bairrada, ainda assim, cada um dos municípios interessados faz regularmente festivais com o tema centralizado no leitão e seus derivados sendo o mais agressivo na divulgação o concelho de Águeda.[5] Por seu lado, o concelho de Mealhada, devido à enorme densidade de restaurantes, matadouros e assadores, e ao grande peso que o leitão representa na sua economia, decidiu, por conta própria, lançar a marca 4 Maravilhas da Mesa da Mealhada em que se inclui o leitão, para certificar os estabelecimentos concelhios do cumprimentos das normas e a manutenção do bom nome.[6]

Preparo[editar | editar código-fonte]

Amarelo e apaladado por séculos de tradição, o leitão da Bairrada, é a maior riqueza gastronómica da região.

Com o peso em vivo a oscilar entre os seis e os oito quilos, um mês, mês e meio de idade, o leitão sai do leite materno para se transformar numa iguaria ímpar famosa em todo o país.

Temperado à boa maneira da tradição com uma pasta de sal e pimenta, enfiado no espeto durante duas horas em forno a lenha pelas mãos de especialistas nas voltas e mais voltas da sua confecção, amarelo como ouro na sua pintura a calor lento, o leitão é verdadeiramente um manjar divino.

Ao contrário do leitão de Negrais, assado aberto, o leitão da Bairrada é enfiado no espeto, fechado com a pasta de sal e pimenta no seu interior.

Candidatura às 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal[editar | editar código-fonte]

Em 2011, este prato foi candidato a uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal, sendo um dos 21 pratos finalistas.[7]

Referências

  1. Covões - Lugar e Freguesia Covões.com. Página visitada em 6 de Março de 2010.
  2. Pedro dos Leitões Sociedade Hoteleira Pedro dos Leitões. Página visitada em 6 de Março de 2010.
  3. Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada Confraria Gastronómica do Leitão da Bairrada. Página visitada em 6 de Março de 2010.
  4. Confraria do Leitão da Mealhada Aquece Motores Região Bairradina. Página visitada em 6 de Março de 2010.
  5. Festa do Leitão - Águeda ACIA e CMA. Página visitada em 6 de Março de 2010.
  6. 4 Maravilhas da Mesa da Mealhada CMM. Página visitada em 6 de Março de 2010.
  7. Candidatura 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal - Leitão.