Leomar Quintanilha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leomar Quintanilha
Senador do  Tocantins
Mandato 1º de fevereiro de 1995
31 de janeiro de 2011
(2 mandatos consecutivos)
Deputado Federal do  Tocantins
Mandato 1º de fevereiro de 1989
até 31 de janeiro de 1995
(2 mandatos consecutivos)
Vida
Nascimento 23 de outubro de 1945 (68 anos)
Goiânia, GO
Dados pessoais
Partido PMDB
Profissão Pecuarista
linkWP:PPO#Brasil

Leomar de Melo Quintanilha (Goiânia, 23 de outubro de 1945) é um político, brasileiro.

Bancário de carreira do Banco do Brasil, Leomar é formado em Direito pela Universidade Federal de Uberlândia. É pecuarista e dirigente esportivo: é presidente da Federação Tocantinense de Futebol (FTF) desde sua fundação, em 1991.

Careira política[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira política na Arena durante a ditadura militar no Brasil. Candidatou-se duas vezes à prefeitura da cidade de Araguaína em 1976 e 1982, assim como a deputado estadual em 1986 pelo extinto PDC, não sendo eleito em nenhum pleito.

Com a criação do estado do Tocantins em 1989, elegeu-se deputado federal constituinte pelo PDC, mas exerceu durante o curto mandato o cargo de Secretário da Educação do recém criado estado. Reelegeu-se deputado federal em 1990 novamente pelo PDC. Em 1994 elegeu-se senador da República pelo estado do Tocantins, reeleito em 2002.

Filiado a diversos partidos, pelo PCdoB concorreu em 2006 ao governo do estado do Tocantins, obtendo apenas 1,3% dos votos válidos. Logo após o pleito, desfilia-se do PCdoB e retorna ao PMDB.

No dia 17 de setembro de 2009, licenciou-se do cargo de senador por seis meses, para assumir novamente a Secretaria de Educação do Tocantins. No seu lugar, assumiu o primeiro-suplente Sadi Cassol (PT). Quintanilha voltou ao Senado em abril de 2010.

Em 31 de janeiro de 2011, Quintanilha deixou o Senado para dar lugar a Vicentinho Alves do PR, que apesar de ter ficado em terceiro lugar nas eleições estaduais de 2010, assumiu a vaga deixada por Marcelo Miranda, já que este teve a sua candidatura impugnada pelo TSE.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. TSE nega registro do senador eleito Marcelo Miranda (em português) G1. Página visitada em 06/01/2011.