Leonardo da Silva Moura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Léo Moura
Léo Moura
Informações pessoais
Nome completo Leonardo da Silva Moura
Data de nasc. 23 de outubro de 1978 (36 anos)
Local de nasc. Niterói (RJ),  Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Altura 1,76 m[1]
Destro
Apelido Motorzinho da Gávea
Informações profissionais
Clube atual Estados Unidos Strikers
Número 10
Posição Lateral direito
Site oficial www.leomoura.com.br
Clubes de juventude
Brasil Botafogo
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1997–1999
1999
1999–2000
2000–2001
2001
2002
2002
2003
2004
2005
2005–2015
2015–
Brasil Botafogo
Brasil Linhares
Bélgica Germinal Beerschot
Países Baixos ADO Den Haag
Brasil Botafogo
Brasil Vasco da Gama
Brasil Palmeiras
Brasil São Paulo
Brasil Fluminense
Portugal Sporting de Braga
Brasil Flamengo
Estados Unidos Strikers
0000 0000(0)
0000 0000(0)
0033 000(16)
0029 000(12)
0024 0000(1)
0030 0000(6)
0009 0000(0)
0038 0000(1)
0059 0000(2)
0008 0000(0)
0519 000(47)
0000 0000(0)
Seleção nacional3
2008 Brasil Brasil 00001 0000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 16 de outubro de 2014.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 6 de junho de 2011.

Leonardo da Silva Moura, mais conhecido como Leonardo Moura, ou apenas Léo Moura (Niterói, 23 de outubro de 1978), é um futebolista brasileiro que atua como lateral direito e meia. Atualmente, joga pelo Strikers, dos Estados Unidos.

Também foi jogador do Botafogo, Palmeiras, São Paulo, Vasco da Gama, Fluminense e Flamengo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira jogando nas categorias de base do Linhares Esporte Clube no Espirito Santo e depois se transferiu para as categorias de base do Botafogo, quando ainda atuava no meio-campo. Curiosamente, ele que mais tarde viria a se tornar ídolo da torcida rubro-negra, em sua infância, fora rejeitado pelo Flamengo e, com isso, acabou indo parar na escolinha do Botafogo.

Contudo, antes de se profissionalizar pelo Botafogo, acabou sendo negociado com o Germinal Beer, um clube de futebol da Bélgica. Uma temporada mais tarde, ou seja, em 2000, seguiu para o ADO Den Haag, time holandês, no qual teve sua primeira experiência como ala.

Já no segundo semestre de 2001, retornou ao Botafogo para a disputa do Campeonato Brasileiro daquele ano, vindo ocupar uma vaga no meio-campo. Contudo, uma lesão, próximo a sua estreia fez com que ele perdesse sua posição no time e, com isso, no decorrer do campeonato, acabou retornando à equipe titular, jogando na lateral-direita.[2]

Seu bom desempenho, como lateral, enfim parecia ter resolvido o problema do Botafogo naquela posição, carente de um bom jogador desde que César Prates havia deixado de jogar pelo clube em 1999. Todavia, no ano seguinte, Léo Moura surpreendeu a todos, quando não renovou seu contrato com o Botafogo e transferiu-se para o Vasco da Gama.[3] [4]

No Vasco, entrosou-se perfeitamente com a dupla de atacantes, formada por Romário e Euller, contudo, apesar de seu ótimo rendimento no time, em meados de 2002, decidiu trocar o Vasco pelo Palmeiras.[5] Mais tarde, o próprio Léo Moura viria a confessar ter se arrependido desta transferência, que o havia colocado na fatídica equipe palmeirense rebaixada para a 2ª divisão.[6] [7]

Em 2003, foi parar no São Paulo e, como já havia um outro Leonardo neste time, foi a partir desta época que passou a ser chamado de Leonardo Moura. Pouco aproveitado no São Paulo, após atuações decepcionantes, Léo Moura retornou ao futebol carioca, quando voltou a atuar ao lado de Romário.[8] [9] Desta vez, porém, os dois vestiam a camisa do Fluminense.[10]

No Tricolor Carioca, ele deu a volta por cima e, após excelentes atuações, acabou virando o xodó da torcida.[11] Em seguida, Léo teve uma rápida passagem pelo Sporting Braga, de Portugal, antes de acertar seu contrato com o Flamengo.[12] [13]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Chegada[editar | editar código-fonte]

Chegou ao Fla, logo garantiu a titularidade e vem, desde então, consagrando-se como ídolo, participando ativamente de diversos títulos que o clube conquistou, incluindo a Copa do Brasil de 2006, o Brasileirão de 2009 e a Copa do Brasil de 2013.

Desabafo do Brasileiro de 2009[editar | editar código-fonte]

Em 2 de agosto de 2009, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro contra o Náutico no Maracanã, causou um grande mal-estar com a torcida rubro-negra. O Flamengo ia perdendo a partida por 1–0 para o então lanterna do campeonato, quando aos 36 minutos do segundo tempo o lateral fez o gol de empate. O jogador, até então incomodado com as vaias que recebera durante todo o jogo, não comemorou o gol e resolveu proferir impropérios (palavrões) à torcida rubro-negra, como forma de protesto e desabafo pelas vaias que vinha recebendo. Algum tempo depois ele deu uma entrevista pedindo desculpas a torcida flamenguista pelo ocorrido.[14]

O lateral conquistou aos 28 anos o primeiro título de sua carreira: a Copa do Brasil de 2006. Foi uma coroação para o bom trabalho feito no ano anterior e apenas o início de uma história com a camisa do Flamengo, que se consolidaria ainda mais nos anos seguintes. Em 2007, 2008 e 2009 foi um dos principais personagens da conquista do tricampeonato estadual, sempre marcando em várias ocasiões. No ano de 2007, ele era cotado como uma dos principais esperança do time na Copa Libertadores da América, mas o time foi eliminado ainda nas oitavas de final, mas no Brasileirão ele foi fundamental na arrancada do Flamengo, tirando o time da zona do rebaixamento, levando para o terceiro lugar da competição, garantindo a vaga da Libertadores no ano seguinte.[15] Em 2008, o Flamengo foi novamente eliminado nas oitavas de final da Libertadores e não conseguiu se classificar para a competição do ano seguinte terminado o Campeonato Brasileiro em quinto lugar, sempre com grandes atuações do lateral. No Brasileirão de 2009, teve grandes atuações e foi um dos pilares da conquista do título brasileiro, escrevendo definitivamente seu nome da história do clube.[16] Na temporada seguinte, ultrapassou a marca de 300 jogos pelo Fla e continuou, firme e forte, dono da posição.

Estreia na Libertadores de 2010[editar | editar código-fonte]

Em 2010, na estreia do Flamengo na Libertadores, contra o Universidad Católica, perdeu um jogador logo no começo do jogo.[17] Em uma falta do lado esquerdo, bateu uma falta com perfeição, abrindo o placar ainda no primeiro tempo, e ainda no segundo tempo em um contra-ataque, partiu com a bola e com um belo toque deixou Adriano na cara do gol para fechar o placar, sendo o jogo mais lembrado pelo jogador até hoje.[18] [19] No Campeonato Brasileiro de 2010, o Flamengo ficou apenas em 14º lugar, escapando da possibilidade de ser rebaixado no fim do Campeonato, assim como toda equipe, o jogador não teve grande atuações, fazendo apenas um gol durante toda competição. No inicio de 2011, voltou a exibir seu grande futebol que o consagrou, conquistando mais uma vez o Carioca, sendo mais uma vez o melhor lateral direito da competição.[carece de fontes?] No Campeonato Brasileiro, o lateral teve uma campanha regular e conseguiu classificar o Flamengo para a Libertadores pela quarta vez em sua passagem pelo clube com a presença de Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves no clube. Em 2012, começou bem a temporada marcando gols na Libertadores, porém a equipe rubro-negra não conseguiu avançar para a segunda fase da competição.[20] [21] [22]

Renovação de 2013 e 450 jogos[editar | editar código-fonte]

Em 2 de janeiro de 2013, depois de longa novela em torno de sua renovação com o Flamengo, novela esta que aproximou o jogador ao recém-promovido à Série A Goiás, fechou por mais um ano com o clube. O lateral, entretanto, teve de aceitar uma redução de seus vencimentos.[23] Depois de um ano e meio sem marcar gols, voltou a marcar na vitória de 2 a 1 contra o Santos, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.[24]

Em 6 de outubro, chegou a marca de 450 jogos com a camisa do Flamengo no clássico contra o Vasco da Gama, que acabou terminando no empate por 1 a 1, em partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Renovação de 2014 e o top 10 de mais jogos[editar | editar código-fonte]

Em 18 de dezembro, foi anunciada a renovação do seu contrato com o Flamengo até o fim de 2014.[25]

Em 22 de fevereiro de 2014, entrou no Top 10 de jogadores que mais vestiram a camisa Rubro-Negra atingindo a marca de 468 jogos e chegando a 10ª posição, ultrapassando o ex-meia Zinho. No jogo, o Flamengo venceu o Resende por 3–0. No terceiro gol, foi ele quem começou a jogada após um lençol no marcador.[26] [27]

500 jogos[editar | editar código-fonte]

Em 4 de outubro de 2014, atingiu a marca de 500 jogos pelo Flamengo em partida entre o Flamengo e o Santos no Maracanã, válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O rubro-negro foi derrotado por 1–0, gol de Robinho.[28] [29] Leo Moura, renovou com o Flamengo até o final dom Campeonato Carioca de 2015.

Cquote1.svg É uma marca importante demais para qualquer jogador, e comigo não é diferente. É grande a emoção de estar completando essa marca. E é comemorar até o juiz apitar o início do jogo. Depois é guerra, é batalha. Quero vencer o jogo, senão nada disso vai ser completo. (...) Cquote2.svg
Em entrevista coletiva sobre o jogo.[28]

A saída[editar | editar código-fonte]

Em 23 de fevereiro de 2015, em conjunto com o Flamengo, anunciou a sua saída para o Fort Lauderdale Strikers, dos Estados Unidos.[30]

Cquote1.svg Eu só queria deixar claro que queria estar à disposição para ficar com meus companheiros esses dias. Quis mostrar que estou com a cabeça 100% no Flamengo. Não é uma despedida ainda. Estou com meus companheiros. Cquote2.svg
Durante a coletiva de imprensa para anunciar a sua saída do clube[30]

Com isso, chegou ao fim a maior longevidade de então de um jogador de linha na elite do futebol nacional.[31] Contando goleiros, Apenas três jogadores estavam há mais tempo em suas respectivas equipes do que estava Léo Moura.[31] Além disso, ele deixou a Gávea sendo o sétimo jogador que mais defendeu as cores rubro-negra[32] .

Léo chegou ao final de sua jornada com a camisa rubro-negra conquistado 9 títulos, o mesmo número de conquistas que Botafogo, Fluminense e Vasco tiveram desde o dia em que o atleta estreou pelo rubro-negro carioca.[33] Além disso, durante o tempo em que ficou no clube, nada menos que oito presidentes e 15 técnicos (sem contar interinos e repetições de treinadores) passaram pela Gávea. A camisa do time contou com três fornecedores diferentes e sete patrocinadores.[34]

Jogo de despedida[editar | editar código-fonte]

Cquote1.svg Acho que consegui cumprir o meu papel no Flamengo, pois foram dez anos e tirando 2010 conquistei pelo menos um título por temporada. Portanto, saio com a cabeça erguida e triste por estar deixando essa nação. Cquote2.svg
Leonardo Moura[35]

Em 4 de março de 2015, se despediu da torcida do Flamengo em uma partida amistosa no Maracanã para mais de 30.620 pagantes contra o Nacional com vitória por 2–0 para os dono da casa. Antes do jogo, foi homenageado com uma placa entregue por Zico (a curiosidade é que o lateral participou do jogo de despedida de Zico, na década de 1990, quando ainda era um dos garotos que entrou em campo com o time[35] ).

Fort Lauderdale Strikers[editar | editar código-fonte]

O que o motivou a assinar com um clube da North American Soccer League (NASL), uma espécie de liga de "segunda linha", foi o desafio de tornar esta liga mais conhecida mundialmente e elevá-la ao patamar da Major League Soccer (MLS), principal liga de futebol dos Estados Unidos.[36]

Cquote1.svg Esse é o verdadeiro desafio. É por isso que estou indo, sou movido a desafios. Quero fazer história, ajudar o time a tornar essa liga como a MLS. Quem sabe um dia as duas possam estar juntas? Esse objetivo foi o que me passaram, e eu aceitei. Cquote2.svg
Léo Moura, sobre sua ida para os Estados Unidos[36]

Assinou um contrato de três anos com o Strikers, clube pelo qual vestirá a camisa 10.[37] A escolha do número da camisa foi uma homenagem ao período em que defendeu o Flamengo.[38]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 4 de março de 2015

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Bélgica Germinal Beer 1999/00 33 16 33 16
Total 33 16 - - - - - - 33 16
Países Baixos ADO Den Haag 2000/01 29 12 29 12
Total 29 12 - - - - - - 29 12
Brasil Botafogo 2001 24 1 24 1
Total 24 1 - - - - - - 24 1
Brasil Vasco da Gama 2002 8 1 22 5 30 6
Total - - 8 1 - - 22 5 30 6
Brasil Palmeiras 2002 9 0 9 0
Total 9 0 - - - - - - 9 0
Brasil São Paulo 2003 21 0 5 0 3 0 9 1 38 1
Total 21 0 5 0 3 0 9 1 38 1
Brasil Fluminense 2004 41 0 4 1 14 1 59 2
Total 41 0 4 1 - - 14 1 59 2
Portugal Sporting de Braga 2005 8 0 8 0
Total 8 0 - - - - - - 8 0
Brasil Flamengo[39] 2005 32 7 32 7
2006 27 1 11 1 13 0 51 2
2007 36 5 8 0 12 0 56 5
2008 35 8 7 1 15 4 57 13
2009 32 4 5 1 17 2 54 7
2010 35 1 10 2 13 1 58 4
2011 35 0 4 0 2 0 19 1 60 1
2012 23 0 7 3 12 1 42 4
2013 26 2 11 1 14 0 51 3
2014 33 1 4 0 4 0 9 0 41 1
2015 1 0 7 0 8 0
Total 314 28 36 3 38 6 130 9 519 47
Estados Unidos Strikers 2015 0 0 0 0
Total 0 0 0 0
Total na carreira 472 57 51 5 44 6 173 16 738 85

Seleção[editar | editar código-fonte]

Léo Moura atuou apenas uma vez pela Seleção Brasileira, em 2008.
Data Competição Local   Placar Adversário Gols
1 6 de fevereiro de 2008[40] Amistoso Dublin (IRL) Brasil Brasil 1 — 0[41] Flag of Ireland.svg Irlanda

Títulos[editar | editar código-fonte]

Botafogo
  • Torneio Octávio Pinto Guimarães: 1997
  • Campeonato Carioca de Juniores: 1998
Flamengo

Outros[editar | editar código-fonte]

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Perfil de Leonardo da Silva Moura (em português). Visitado em 23 de novembro de 2012.
  2. Leonardo Moura, lateral do Flamengo, inaugura escolinha e faz a festa das crianças em Linhares. Visitado em 31 de Julho de 2011.
  3. Léo Moura vai encarar velho conhecido: o Botafogo. Visitado em 17 de Outubro de 2011.
  4. Léo Moura abraça Felipão e diz que teve proposta do Palmeiras. Visitado em 21 de Julho de 2011.
  5. Leonardo Moura já fala como jogador do São Paulo. Visitado em 24 de Dezembro de 2002.
  6. terceiro anel: Leonardo Moura: o último reforço do Sp. Braga. Visitado em 2 de Maio de 2005.
  7. Léo Moura e Junior Cesar vão reeditar parceria do Fluminense. Visitado em 9 de Junho de 2011.
  8. Flamengo vence o Vasco e conquista segundo título da Copa do Brasil. Visitado em 25 de Julho de 2006.
  9. Brasileirão: Campeonato começa com muitas estrelas de regresso. Visitado em 20 de Maio de 2011.
  10. Reforço em 2005, Leonardo Moura vê situação confortável do Flamengo - Portal 6R Futebol. Visitado em 18 de Novembro de 2010.
  11. Inter e Léo Moura estão próximos de um acerto. Visitado em 7 de Dezembro de 2010.
  12. Leonardo Moura vira capitão do Flamengo no lugar do goleiro Bruno. Visitado em 13 de Julho de 2011.
  13. Grêmio na Libertadores, Flamengo na Sul-Americana. O Goiás mereceu mais. Visitado em 9 de Dezembro de 2010.
  14. Júnior, Janir; Souza, Richard (19 de maio de 2011). 'A ficha demorou um pouquinho a cair' (em português) GloboEsporte.com. Visitado em 19 de maio de 2011.
  15. Bola de Prata (Placar Magazine) (em português) RSSSF Brasil. Visitado em 20 de dezembro de 2009.
  16. Léo Moura passa faixa de capitão a Ronaldinho: ‘Está em boas mãos’ (em português) GloboEsporte.com. Visitado em 3 de fevereiro de 2011.
  17. Atlético-GO faz 4, derruba invencibilidade do Fla e ajuda Corinthians (em português) Terra Networks. Visitado em 18 de agosto de 2011.
  18. Léo Moura: contrato vence em dezembro (em português) Super Esportes. Visitado em 7 de janeiro de 2012.
  19. Dupla salvadora, Léo Moura e Ronaldinho exaltam o grupo (em português) Placar. Visitado em 18 de novembro de 2010.
  20. Fla-estatísticas (em português). Visitado em 15 de janeiro de 2012.
  21. Leonardo Moura (em português) Futpédia. Visitado em 22 de janeiro de 2012.
  22. Seleção Brasileira (Brazilian National Team) 2008-2009 (em inglês) RSSSF Brasil. Visitado em 24 de maio de 2008.
  23. Novela chega ao fim e Léo Moura acerta a renovação com o Flamengo
  24. Léo Moura desencanta, Flamengo vence o Santos e se afasta do Z-4
  25. Fla anuncia a renovação do contrato de Léo Moura por mais um ano
  26. Léo Moura entra para a lista dos 10 jogadores que mais defenderam o Fla
  27. Com dois de Alecsandro e lençol de Léo Moura, Fla derrota o Resende
  28. a b Gomes, Fred (3 de outubro de 2014). "Quinhentão" Léo Moura avisa: "Festa só até o juiz apitar. Depois é guerra" (em português) GloboEsporte.com. Visitado em 4 de outubro de 2014.
  29. Flamengo x Santos (em português) GloboEsporte.com (4 de outubro de 2014). Visitado em 4 de outubro de 2014.
  30. a b Oliveira, Rafael (23 de fevereiro de 2015). Flamengo e Léo Moura anunciam fim do ciclo do lateral no clube (em português) Extra. Visitado em 23 de fevereiro de 2015.
  31. a b globoesporte.globo.com/ D'Alessandro vai herdar "cargo" de Léo Moura em lista de longevidade; veja top20
  32. ebc.com.br/ Flamengo vence em despedida de Léo Moura
  33. torcedores.com/ Léo Moura ganhou o mesmo número de títulos do que os rivais; Veja
  34. espn.uol.com.br/ Era Léo Moura: 4 presidentes, 15 técnicos, 3 marcas de camisa, 7 patrocinadores e 9 títulos
  35. a b esportes.yahoo.com/ Flamengo encara Nacional na despedida de Leonardo Moura
  36. a b globoesporte.globo.com/ Léo quer elevar NASL ao patamar da MLS: "Esse é o verdadeiro desafio"
  37. folhavitoria.com.br/ Léo Moura mira objetivos nos Estados Unidos e sonha com volta ao Flamengo
  38. globoesporte.globo.com/ Até logo, capitão: Fla vence Nacional por 2 a 0 na despedida de Léo Moura
  39. Jogos de Leonardo da Silva Moura (em português) Flapédia (2 de outubro de 2014). Visitado em 4 de outubro de 2014.
  40. oglobo.globo.com/ Leonardo Moura, do Flamengo, é convocado para a seleção brasileira
  41. estadao.com.br/ Brasil vence Irlanda por 1 x 0 na estréia em 2008

Ligações externas[editar | editar código-fonte]