Leonor Gonzaga, Duquesa de Urbino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Leonor Gonzaga
Princesa de Mântua
Duquesa consorte de Urbino
Tizian 055.jpg

Leonor Gonzaga, por Ticiano. Galerias Uffizi, Florença.
Governo
Consorte Francisco Maria I Della Rovere, Duque soberano de Urbino
Casa Real Casa ducal de Mântua
Dinastia Gonzaga
Vida
Nascimento 31 de Dezembro de 1493
Urbino, Ducado de Urbino
Morte 13 de fevereiro de 1570 (76 anos)
Pesaro, Ducado de Urbino
Filhos Guidobaldo II, Duque de Urbino;
Hipólita, Duquesa de Montalto;
Isabel, Marquesa de Massa e Carrara;
Júlia, Srª de Montechio;
Cardeal Júlio Della Rovere.
Pai Francisco II Gonzaga, Marquês de Mântua
Mãe Isabel d’Este

Leonor Gonzaga, em italiano Eleonora Gonzaga, (31 de dezembro de 1493 - 13 de fevereiro de 1570) era a sétima filha de Francisco II Gonzaga, Marquês de Mântua, e de Isabel d'Este. O seu pai era um conhecido libertino e a mãe uma generosa mecenas das artes.

Em 25 de setembro de 1509, casou com Francisco Maria I Della Rovere, duque de Urbino, filho de João Della Rovere (Giovanni della Rovere), duque de Sora e senhor de Senigália, e de Joana de Montefeltro (Giovanna da Montefeltro). Leonor era ainda sobrinha do Papa Júlio II.

Leonor, que foi responsável pelo governo interno de Urbino durante o exílio do seu marido, foi ela própria, uma importante mecenas das artes. Era uma princesa de elevada cultura, tendo feito amizade com Pietro Bembo, Jacopo Sadoleto, Baldassare Castiglione, bem como com Torquato Tasso.

Ticiano retratou-a formalmente, em 1537, quadro executado juntamente com o retrato de seu marido . No entanto, a sua face pode ser reconhecida em três outras obras de Ticiano da mesma altura: La Bella, Menina com manto de peles e, possivelmente, a Venus de Urbino, este último patrocionado por seu filho, o duque Guidobaldo II.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Do seu casamento com Francisco Maria, Leonor teve doze filhos[1] , dos quais apenas cinco atingiram a idade adulta:

  1. Guidobaldo (1514-1574), que sucedeu ao pai como Duque de Urbino, com geração;
  2. Hipólita (Ippolita) (1525-1561), casou com António d’Aragona, duque de Montalto (neto do rei Fernando I de Nápoles), com geração;
  3. Isabel (Elisabetta) (1529-1561), casou com Alberico I Cybo-Malaspina, Príncipe de Massa e Marquês de Carrara, com geração;
  4. Júlia (Giulia) (1531-1563), casou com Afonso d'Este, Senhor de Montecchio, de quem descendem os duques de Módena;
  5. Júlio (Giulio) (1533–1598) nomeado cardeal,mas com geração que veio a ser legitimizada;

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • "Italian Dynasties - The Great families of Italy from the Renaissance to the Present Day", de Edward Burman - Equation - ISBN 1-85336-005-8;
  • "Dynasties of the World", de John E. Morby - Oxford University Press - ISBN 0-19-860473-4;
  • "The Oxford Illustrated History of Italy", de George Holmes - Oxford University Press - ISBN 0-19-285444-5.

Referências