Let Me In (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Let Me In
Deixa-me Entrar (PT)
Deixe-me Entrar (BR)
 Estados Unidos  Reino Unido
2010 • cor • 116 min 
Direção Matt Reeves
Produção Donna Gigliotti
Alex Brunner
Simon Oakes
Tobin Armbrust
Guy East
John Nordling
Carl Molinder
Nigel Sinclair
Roteiro Matt Reeves
Elenco Chloë Grace Moretz
Kodi Smit-McPhee
Richard Jenkins
Sasha Barrese
Cara Buono

Género Filme de terror, Realidade Fantástica e Filme de Fantasia
Idioma inglês
Música Michael Giacchino
Edição Stan Salfas
Distribuição Paramount Pictures
Lançamento  Estados Unidos 10 de Dezembro de 2010
Orçamento US$ 20 milhões[1]
Receita US$ 24.145.613[1]
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Let Me In (Deixa-me Entrar (título em Portugal) ou Deixe-me Entrar (título no Brasil)) é um filme de drama de 2010 dirigido por Matt Reeves. Baseia-se no filme sueco de 2008 Låt den rätte komma in, dirigido por Tomas Alfredson, e o romance de mesmo nome de John Ajvide Lindqvist.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Owen é um garoto de 12 anos que sofre bullying na escola e não tem muitos amigos. Porém, certo dia, começa a se socializar com Abby, uma garota de 12 anos que é muito fechada em relação à própria vida. Misteriosas mortes começam a acontecer na cidade e Owen desconfia que haja uma ligação entre Abby e as mortes.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Novo México, 1980. Uma ambulância chega para levar um paciente desconhecido. Um policial (Elias Koteas) o pergunta se ele é um satanista. Depois de alguns minutos, este paciente pula da janela para morrer deixando apenas um bilhete: "Me desculpe Abby".

Flashback, duas semanas antes. Um garoto (Kodi Smit-McPhee) estava cantando para si mesmo até que sua mãe (Cara Buono) o chama para jantar. A mãe de Owen é uma mulher solitária que foi abandonada pelo marido e que sofre de alcoolismo. Depois do jantar, Owen pega uma faca, vai ao seu quarto e fica imitando um assassino, aplicando golpes imaginários. Depois, Owen vai espiar seus vizinhos usando um pequeno telescópio. Ele vê um casal se beijando, um cara praticando musculação e por final, uma garota (Chloe Moretz), com seu "pai" (Richard Jenkins) carregando um baú grande. Estranhamente, ela está descalça.

Owen e Abby se tornam vizinhos e se encontram num parquinho no condomínio deles. Eles começam a conversar e ele descobre que o nome dela é Abby. A princípio ela diz a Owen que eles não podem ser amigos, o que o deixa intrigado.

Na escola, Owen é intimidado por valentões que o humilham por meio de um cuecão, o que faz Owen chorar de dor e urinar-se.

Na segunda vez que ele se encontra com Abby, ele está brincando com um cubo mágico. Ele a empresta para tentar resolver. Na hora da escola, Owen estava escrevendo algumas mensagens em código Morse para conversar com Abby enquanto assistia Romeu e Julieta. Quando se recusa a mostrar para os valentões, o chefe o acerta no rosto com uma antena de metal, deixando um machucado na bochecha.

Amedrontado pelos valentões, Owen mente para sua mãe dizendo que se feriu ao cair no pátio, mas para Abby, ele diz a verdade. Owen a convida para ir a um fliperama e compra um dos doces favoritos dele. Abby não quis, inicialmente, mas depois, prova um de sabor uva. Quando Owen a vê vomitando no chão, ele a abraça com pena dela.

Depois que se separam, Abby vai "caçar". Ela finge que levou uma queda e ficou machucada e termina por matar um homem que se prontificou a ajudá-la.

Thomas, o guardião de Abby, sai para conseguir sangue para ela, assassinando alguém, mas falha. Para esconder sua identidade, joga ácido sobre o seu rosto e mãos. Ele é levado pela polícia para um hospital. Mais tarde, quando Abby vai visitá-lo, ele a beija e oferece seu pescoço para ser mordido por ela. Depois que Abby vai embora, ele se suicida, jogando-se da janela do hospital.

Abby vai até a casa de Owen, tira a roupa e deita-se com ele. Eles dorme juntos, mas Abby desaparece na manhã seguinte.

Na escola Owen vai para um campo de patinação no gelo ao ar livre e termina por acertar a orelha do chefe dos valentões, que sangra.

Quando conta para Abby, ela o beija. Num esconderijo, Owen corta o dedo com um canivete para fazer um pacto com Abby. O sangue se derrama pelo piso. Abby perde o controle, assume sua forma real, lambe o sangue no chão e em seguida sai correndo para evitar matá-lo também. Já na rua, sobe rapidamente numa árvore e ataca uma mulher (Sasha Barrese) que passava com um cão. A mulher é levada ferida ao hospital e lá se transforma também em vampira, porém acaba morrendo ao pegar fogo por causa da exposição a luz do sol.

Abby diz a Owen que eles não podem mais se ver e vai embora em um táxi durante a noite.

Owen é encurralado pelos valentões na piscina olímpica da escola e fazem a ele um desafio injusto: ele deve ficar debaixo d'água por três minutos ou ter um dos olhos arrancados. Quando o empurram para a água, ele ouve os valentões gritando, porque Abby os matou.

[editar | editar código-fonte]

Owen viaja durante o dia num trem trocando mensagens em código Morse com Abby, escondida dentro de um baú, e ele se torna por fim o seu novo guardião e protetor.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Let Me In teve recepção geralmente favorável por parte da crítica especializada. Em base de 35 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 79% no Metacritic. Por votos dos usuários do site, atinge uma nota de 8.1, usada para avaliar a recepção do público.[2]

Referências

  1. a b Let Me In (2010) (em inglês) Box Office Mojo. Visitado em 12 de janeiro de 2013.
  2. Let Me In (em inglês) Metacritic. Visitado em 22 de agosto de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]