Leucodistrofia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Leucodistrofia é uma doença genética que tem como resultado final a destruição da bainha de mielina (doença desmielinizante).

A bainha de mielina é uma película que protege os nervos, e sem ela não há impulso nervoso. Existem mais de 30 tipos de leucodistrofias e novas são descobertas a cada dia. Essa doença se manifesta depois de um tempo de vida, aparentemente sem motivo. Como ela afeta o Sistema Nervoso, os sintomas são variados, desde perda de visão, perda da audição, problemas na deglutição e dificuldade para andar.

Na leucodistrofia ocorrem danos no sistema nervoso central e em menor quantidade na mielina do resto do corpo.

Em geral as leucodistrofias não tem tratamento, salvo alguns casos. O tratamento mais eficaz, capaz de paralisar dependendo do estágio da doença, é o transplante de medula óssea (não são todos os tipos de leucodistrofias em que o transplante é recomendado). Se não houver doador compatível, é possível utilizar-se do sangue do cordão umbilical, no qual se veem resultados melhores.

Um filme interessante que trata do assunto é "O óleo de Lorenzo", que retrata uma história verídica de um menino com leucodistrofia, até aquele momento sem cura[1] . No filme, seus pais, com um esforço sobrenatural, descobrem um tratamento. O pai desse menino nunca estudou medicina mas recebeu título de doutor depois.

Não se deve confundir Leucodistrofia com distrofia muscular.

Referências

  1. super.abril.com.br/ 7 doenças genéticas raras

Sites informativos[editar | editar código-fonte]