Leucorreia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Corrimento vaginal

A leucorreia (ou corrimento vaginal) é também chamado de vaginite ou vulvovaginite. São as alterações caracterizadas por um fluxo vaginal anormal, geralmente com volume aumentado, podendo ter ou não cheiro desagradável, irritação, coceira ou ardência na vagina ou na vulva e vontade de urinar freqüentemente. É um dos problemas ginecológicos mais comuns e uma das causas mais freqüentes de consulta ao ginecologista.

É normal haver corrimento vaginal durante os anos reprodutivos. Ela é proveniente da secreção das glândulas cervicais e das glândulas de Bartholin, da descamação das células vaginais e das bactérias presentes na flora vaginal. Nesta fase, a vagina normalmente é resistente às infecções, pois seu epitélio é muito resistente e o seu meio é muito ácido, inibindo o crescimento excessivo dos patógenos.

O muco cervical e o fluxo menstrual são alcalinos, assim como a excitação, a relação sexual e o stress, o que causa um aumento do pH vaginal, podendo predispor à vaginite. Na infância são comuns as vulvovaginites inespecíficas causadas por uma higiene inadequada e pela maneira incorreta de realizar a higiene após evacuar. Após a menopausa, há decréscimo na produção de estrógenos, ocorrendo uma modificação no epitélio vaginal, que novamente se torna suscetível às agressões externas. Alguns produtos químicos encontrados em sabões, sabonetes, absorventes e substâncias perfumadas podem causar irritação e desconforto.

Causas[editar | editar código-fonte]