Levante (Mediterrâneo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Levante
بلاد الشام
Bilād ash-Shām
المشرق العربي
al-Mashriq al-'Arabiyy
Levant
Países e regiões
 Chipre
Flag of Turkey.svg Hatay
 Israel
 Jordânia
 Líbano
Flag of Palestine.svg Estado da Palestina
 Síria

Incluídos algumas vezes:
 Iraque
Flag of Egypt.svg Península do Sinai
População 47,129,325 [1]
Línguas Língua árabe, Língua arménia, Árabe maronita cipriota, Língua grega, Língua hebraica, Língua curda, Judeu-espanhol, Língua persa, Língua siríaca, Língua turca, Neo-Aramaico ocidental and Iídiche.
Fusos horários UTC+2 (Horário do Leste Europeu) (Turquia e Chipre) até UTC+3 (Iraque)

Levante é um termo geográfico impreciso que se refere, historicamente, a uma grande área do Oriente Médio ao sul dos Montes Tauro, limitada a oeste pelo Mediterrâneo e a leste pelo Deserto da Arábia setentrional e pela Mesopotâmia. O Levante não inclui a Península Arábica, o Cáucaso ou a Anatólia (embora às vezes a Cilícia seja incluida). De uma forma geral, a região se resume à Síria, à Jordânia, a Israel, à Palestina, ao Líbano e a Chipre.

Outras fontes definem o Levante de uma maneira mais ampla, incluindo porções da Turquia, do Iraque, da Arábia Saudita e do Egito.

Os habitantes do Levante são chamados levantinos.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra "Levante" origina-se do francês médio levant, particípio presente do verbo lever, "levantar" -- como em soleil levant, "sol nascente" --, através de um étimo latino do verbo levare, "levantar", "erguer" (levans). Referia-se, portanto, à direção do sol nascente, vista da perspectiva dos que originalmente cunharam a expressão, isto é, às terras na costa leste do Mediterrâneo.

Pré-história[editar | editar código-fonte]

Pesquisas realizada na Caverna Qesem, em Israel, próximo a cidade de Rosh HaAyin, demonstram que o Homo erectus já habitava a região há pelo menos 400 mil anos, produzindo artefatos em pedra lascada e caçando elefantes. Nesse mesmo período, foram encontradas evidências da existência do Homo sapiens, que teria surgido 200 mil anos antes do que na África. A teoria é de que a mudança na dieta do Homo erectus (diminuição da quantidade de elefantes na região) o teria obrigado a desenvolver uma agilidade mental e um refinamento em seus instrumentos, evoluindo suas capacidades mentais até o que os cientistas consideram ser Homo sapiens [2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, Editora Objetiva, 2001.
  • 'Atlas Mirador Internacional, Encyclopaedia Britannica do Brasil.

Referências

  1. Population found by adding all the countries' populations (Cyprus, Lebanon, Syria, Jordan, Israel, Palestinian Authority, Gaza and Hatay Province)
  2. BBC Brasil (12 de dezembro de 2011). Estudo sugere que fim de elefante fez surgir homem moderno publicado Folha de São Paulo. Visitado em 13 de dezembro de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]