Liga Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Liga Norte
Lega Nord
Presidente Matteo Salvini
Fundação 1989 (aliança)
1991 (partido)
Sede Flag of Milan.svg Milão Itália Itália
Ideologia Federalismo
Regionalismo
Populismo
Anti-imigração
Eurocepticismo
Espectro político Direita
Grupo no Parlamento Europeu Não Inscritos
Camera dei Deputati
18 / 630
Senado
15 / 315
Parlamento Europeu
5 / 73
Parlamentos Regionais
53 / 997
Presidentes Regionais
2 / 20
Cores       Verde

Site
http://www.leganord.org/

A Liga Norte (em italiano Lega Nord, cujo nome oficial é Lega Nord per l'Indipendenza della Padania)[1] é um partido político italiano, em que o estatuto está em conflito direto com o art. 5 º da Constituição italiana, formado por uma confederação de movimentos políticos autonomistas de centro-direita que atua sobretudo no norte da Itália, embora esteja presente em outras regiões.

Fundada na década de 1990 por Umberto Bossi, a Liga Norte inspira-se na Liga Lombarda, aliança entre as cidades do norte da Itália, criada no século XII.

Em 1996 a Liga Norte propôs a secessão das regiões do norte da Itália , que constituiriam a chamada Padânia - Vale de Aosta, Piemonte, Ligúria, Lombardia, Trentino-Alto Adige, Vêneto, Friuli-Venezia Giulia e Emília-Romanha -, e algumas do centro (Marche, Toscana e Úmbria).

Atualmente a Liga representa o projeto de um Estado federal, e pretende, através do federalismo fiscal, a devolução às regiões de algumas das funções exercidas pelo Estado. Propõe também aumentar o peso político das regiões do norte do país, considerado desproporcional ao seu peso demográfico e econômico.

História[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

A Lega Nord foi fundada em 1991, sendo formada por vários partidos regionais, como a Liga Lombarda, a Liga Veneta e a Liga Piemonte, que continuam a existir como seções regionais do partido. O partido explorou o ressentimento dos habitantes do Norte italiano contra o Governo Central, o qual era visto como um desperdiçador dos recursos recolhidos através dos impostos gerados pelo Norte (com o famoso slogan Roma ladrona, o que significa apenas "grande ladrão de Roma") que eram transferidos para outras regiões da Itália, o que resultava num sentimento de que o Norte estava sustentando todo o país. O primeiro avanço Lega Nord eleitoral ocorreu nas eleições regionais de 1990, mas foi com a eleição geral de 1992 que o partido foi consagrada como um ator político político principal. Tendo obtido 8,7% dos votos, 56 deputados e 26 senadores, se tornou o quarto maior partido do país e do Parlamento.

Entrada no governo[editar | editar código-fonte]

Após as eleições gerais de 1994, a Lega Nord juntou-se a Aliança Nacional, aos democratas-Cristãos e ao Forza Italia para formar o governo liderado por Silvio Berlusconi. Entretanto, este gabinete durou pouco tempo, caindo no mesmo ano, com a Liga sendo fundamental para esta queda. Em Janeiro de 1995, a Liga apoiou o voto de confiança para que Lamberto Dini formasse o gabinete.
A aliança com partidos de centro e de esquerda levou a divisões internas e muitos integrantes deixaram o partido, inicialmente formando novos partidos, mas depois, estes acabaram se integrando ao Forza Italia de Silvio Berlusconi.

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre política, partidos políticos ou um político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.