Limeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Limeira
"Berço da imigração europeia de cunho particular
[1] [2] [3] [4] [5] "
Da esquerda para a direita: Edifício Prada, Palácio da Fraternidade, prédio do Centro Comercial, monumento revolucionário da Toledo Barros, Fórum Spencer Vampré, a Gruta, Palacete Levy, Igreja de Santa Teresa de Lisieux, E.E. Brasil e vista do Jd. Planalto.

Da esquerda para a direita: Edifício Prada, Palácio da Fraternidade, prédio do Centro Comercial, monumento revolucionário da Toledo Barros, Fórum Spencer Vampré, a Gruta, Palacete Levy, Igreja de Santa Teresa de Lisieux, E.E. Brasil e vista do Jd. Planalto.
Bandeira de Limeira
Brasão de Limeira
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 15 de setembro
Fundação 1826 (188 anos)
Gentílico limeirense
Lema Fé, honra e trabalho
CEP 13480-000 até 13489-999
Prefeito(a) Paulo Hadich[6] (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Limeira
Localização de Limeira em São Paulo
Limeira está localizado em: Brasil
Limeira
Localização de Limeira no Brasil
22° 33' 54" S 47° 24' 07" O22° 33' 54" S 47° 24' 07" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Piracicaba IBGE/2008[7]
Microrregião Limeira IBGE/2008[7]
Municípios limítrofes Norte: Cordeirópolis e Araras;
Leste: Artur Nogueira, Engenheiro Coelho e Cosmópolis;
Sul: Americana e Santa Bárbara d'Oeste;
Oeste: Iracemápolis e Piracicaba.
Distância até a capital 143 km[8]
Características geográficas
Área 580,983 km² [9]
População 276 010 hab. Censo IBGE/2010[10]
Densidade 475,07 hab./km²
Altitude 588 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,775 (SP: 89°) – alto PNUD/2010[11]
PIB R$ 5 646 023,310 mil (BR: 78º) – IBGE/2008[12]
PIB per capita R$ 20 252,90 IBGE/2008[12]
Página oficial

Limeira é um município brasileiro situado no Centro-Leste do estado de São Paulo.[13] Localiza-se a 22°33'53" de latitude sul e 47°24'06" de longitude oeste, a uma altitude de 588 metros. Possui uma área de 581,0 km². Sua população registrada no Censo de 2010 é de 276.010 habitantes.[10]

Importante polo industrial do interior do estado de São Paulo, a cidade foi grande centro cafeicultor no século XIX, também foi conhecida por Capital da Laranja e Berço da Citricultura Nacional, dados o pioneirismo e a grande produção citrícola que o município desenvolveu. Mais recentemente a economia rural da cidade destaca-se pelo cultivo de cana-de-açúcar e pela produção de mudas cítricas. No ramo da indústria, que possui maior importância na economia municipal, Limeira se destaca nas áreas de metalurgia, metal-mecânica, autopeças, vestuário, alimentos, cerâmica, papel e celulose, embalagens, máquinas e implementos. Recentemente, a cidade tem se destacado especialmente na área de joias folheadas, atraindo atenção de pessoas de todo o mundo.

Possui também expressivas fazendas históricas que atualmente movimentam o turismo rural e ecológico na cidade.

História[editar | editar código-fonte]

A origem do nome do município envolve uma lenda popular na cidade, que fala de um frei franciscano chamado João das Mercês o qual acompanhava uma caravana de bandeirantes se dirigindo para o interior do estado.

O frei teria morrido subitamente ao passar uma noite no rancho do Morro Azul e teria sido sepultado ali mesmo com a sacola de limas que carregava, as quais dizia curar febres e que supostamente estariam envenenadas. Ali teria brotado uma limeira, que deu nome ao rancho e a cidade.[14]

Limeira surgiu historicamente em 1826 a partir da construção de uma estrada feita para escoar a produção dos engenhos da região.[15] Nas margens da estrada em terras do capitão Luís Manuel da Cunha Bastos surgiu a freguesia de Nossa Senhora das Dores do Tatuibi oficializada em 9 de dezembro de 1830 por lei provincial.

A cidade também é famosa por ser o berço da imigração europeia de cunho particular por ter recebido nos anos de 1840 e 1846 trabalhadores portugueses e alemães respectivamente, desenvolvendo o sistema de parceria numa época ainda marcada pelo trabalho escravo.

No ano de 1842 o povoado foi elevado à vila e por final foi elevada à categoria de cidade no dia 18 de abril de 1863.[16]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

O município de Limeira está localizado a 145 km a noroeste da cidade de São Paulo na Região Administrativa de Campinas, constituindo-se na sede da Microrregião de Limeira integrada por oito municípios: Araras, Leme, Limeira, Pirassununga, Cordeirópolis, Conchal, Santa Cruz da Conceição e Iracemápolis.

Situa-se à margem de importantes troncos rodoviários e ferroviários que ligam o estado de São Paulo a Minas Gerais e à Região Centro-Oeste do país, além de destacado tronco ferroviário que escoa a produção do país desde a Região Amazônica até o porto de Santos. Situa-se ainda, junto a Hidrovia Tietê-Paraná, importante via que a liga aos estados do Sul do país e aos países do Mercosul.

Faz divisa ao norte com Cordeirópolis e Araras; a leste, com Artur Nogueira, Engenheiro Coelho e Cosmópolis; ao sul, com Americana e Santa Bárbara d'Oeste e a oeste, com Iracemápolis e Piracicaba.

O diagrama seguinte representa as localidades perto de Limeira

Localidades na vizinhança
LimeiraLimeira
Localidade com 5.568 habitantes (IBGE: 2010)Piracicaba (36,1 km)
Localidade com 5.568 habitantes (IBGE: 2010)Americana (27,7 km)
Localidade com 7.941 habitantes (IBGE: 2010)Artur Nogueira (27,8 km)
Localidade com 7.941 habitantes (IBGE: 2010)Mogi Mirim (51,1 km)
Localidades com 212.672 habitantes (IBGE: 2011)Campinas (56,5 km)
Localidades com 212.672 habitantes (IBGE: 2011)Capivari (56,8 km)
Localidades com 212.672 habitantes (IBGE: 2011)Charqueada (57,9 km)
Localidade com 53 985 habitantes (IBGE: 2010)Rio Claro (28,2 km)
Localidade com 53 985 habitantes (IBGE: 2010)Corumbataí (59,2 km)
Localidade com 35 491 habitantes (IBGE: 2010)Araras (27,5 km)
Localidade com 35 491 habitantes (IBGE: 2010)Leme (45,3 km)


Relevo[editar | editar código-fonte]

A cidade se localiza na depressão periférica, com altitudes que variam de 500 a 800 metros. O ponto mais alto é o Morro Azul com 831 metros,[17] por isso era utilizado como referencial para bandeirantes e tropeiros que se dirigiam para o interior na época das bandeiras.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Ribeirão Tatu junto à orla ferroviária.

A bacia hidrográfica em que a Limeira se localiza é a do rio Piracicaba. Dois rios passam pela cidade, o próprio rio Piracicaba e também o rio Jaguari, de onde é captada parte da água que é consumida no município. O Vale do ribeirão Tatu atravessa a área urbana da cidade estando totalmente canalizado e contendo 100% de esgoto tratado[carece de fontes?].

Clima[editar | editar código-fonte]

O município apresenta clima tropical de altitude com inverno seco (Cwa) e temperatura média anual de 22°C. A temperatura máxima absoluta registrada foi de 37,7°C e a mínima absoluta de 0,1°C em 09 de julho de 2011.[18]

A pluviosidade média anual oscila entre 1100 e 1400 mm.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 249.046

  • Urbana: 238.349
  • Rural: 10.697
  • Homens: 123.609
  • Mulheres: 125.437

Densidade demográfica (hab./km²): 428,65

Edifício Prada, sede da Prefeitura Municipal de Limeira.

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 9,5

Expectativa de vida (anos): 72,57

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,97

Taxa de Alfabetização: 93,75%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,814

  • IDH-M Renda: 0,759
  • IDH-M Longevidade: 0,793
  • IDH-M Educação: 0,890

(Fonte: IPEADATA)

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor Porcentagem
Branca 72,47%
Negra 5,38%
Parda 21,60%
Amarela 0,49%
Indigena 0,07%

Fonte: Censo 2010 – IBGE[19]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Existem quatro corporações musicais que se destacam na cidade:

  • Corporação Musical Henrique Marques, centenária, fundada em 1860, é a quarta banda civil mais antiga do Brasil. Possui sede própria e mais de sessenta componentes. Afora as apresentações externas, realiza retretas regularmente, a cada quinzena, na praça Toledo Barros. É regida pelo maestro Fernando Costa Barreto, o quinto maestro da corporação desde a sua fundação.
  • Corporação Musical Arthur Giambelli, fundada em 1932 e conhecida por Embaixatriz Sonora de Limeira, por ter sido campeã de vários festivais das décadas de 1950 a 70. Assim como a anterior, possui mais de 60 membros e tem sede própria. Também apresenta-se em outras cidades e realiza retretas a cada quinzena na praça Toledo Barros, em semanas alternadas com a Corporação Henrique Marques. Está hoje sob a batuta do maestro Leandro Pereira.
  • Banda Marcial do SENAI Luís Varga, formada em 1998 a partir da fanfarra da escola. Banda bastante jovem e inovadora, tem apresentado-se com destaque em vários locais do estado.
  • Orquestra Sinfônica de Limeira. A cidade apresenta, desde o fim do século XIX, várias formações de orquestras que foram dissolvidas em algum período. A formação da sinfônica atual data de 1995. Conta com duas óperas na bagagem e muitas apresentações em outras cidades paulistas, o que tem elevado o nome da orquestra no estado. Tem em seu quadro 41 músicos e apresenta-se regularmente no Teatro Vitória todos os meses. Desde o início desta formação a regência e a direção artística estão sob o comando do maestro Rodrigo Müller. Tem como regente assistente Fernando Costa Barreto.

Teatros[editar | editar código-fonte]

Limeira foi uma das primeiras cidades paulistas a possuir um teatro. O primeiro teatro da cidade chamava-se Teatro da Paz, localizado na praça Toledo Barros e inaugurado em 1882 ainda inacabado. Recebeu este nome para celebrar a paz após a Guerra do Paraguai. Em 1885 o teatro neoclássico teve suas obras concluídas.

Funcionou até o ano de 1940, quando foi demolido para dar lugar ao Cine Vitória, à época um moderno edifício art déco. Em 1996, o Cine Vitória foi reformado para se transformar num teatro.

O atual Teatro Vitória, com capacidade para 670 pessoas, está localizado na praça Toledo Barros, no mesmo local onde fora construída a primeira casa de espetáculos da cidade. Além de peças, concertos, palestras, mostras de dança, recebe exposições no hall de entrada.

Conta ainda com o Anfiteatro de Educação Ambiental Roberto Burle Marx, com cem lugares no zoológico municipal, e o Auditório da Delegacia de Ensino, antigo Cine Boa Vista, no bairro homônimo, com capacidade para quatrocentos pessoas.

Além disso, o teatro "Nair Bello", com capacidade para 400 pessoas, próximo ao Centro de Capacitação do Professor.

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Municipal João de Sousa Ferraz no centro da cidade, fazendo parte do Centro Cultural Municipal. Possui acervo de mais de 35 mil livros.

A Biblioteca Infantil Cecília Quadros está implantada no pátio do mesmo Centro Cultural e possui acervo de cerca de 4 mil livros.

A cidade ainda possui várias bibliotecas de algumas organizações em bairros e um serviço de biblioteca móvel.

Museus[editar | editar código-fonte]

O Museu Histórico Pedagógico Major José Levy Sobrinho, criado em 1963, também se integra ao Centro Cultural Municipal e está localizado no prédio do antigo grupo escolar Coronel Flamínio Ferreira.

Possuía acervo de mais de três mil peças, onde podem ser encontradas fotos e gravuras que remontam à cidade quando esta era apenas uma vila. Há também retratos a óleo de habitantes do passado e uma série de objetos que pertenceram ao antigo grupo escolar Coronel Flamínio Ferreira. Lousa, ábaco, tinteiros e as primeiras carteiras utilizadas pela escola são algumas das curiosidades.

No prédio também funciona o Museu da Imagem e Som de Limeira, que preserva gravações com depoimentos de limeirenses e uma hemeroteca com mais de 1800 revistas e jornais antigos, álbuns de foto e discos.

A cidade ainda contará com mais dois museus de grande importância, um deles é o Museu da Joia Folheada pois a cidade é o grande polo nacional do setor e o segundo é o Museu da Fruta.[carece de fontes?]

Monumentos[editar | editar código-fonte]

Gruta Municipal na praça Toledo Barros.

A Gruta Municipal, na praça Toledo Barros é um monumento que celebra a paz e foi construído por volta de 1920 para celebrar o final da Primeira Guerra Mundial. Originalmente era um coreto e hoje abriga exposições eventuais.

Existem bustos de pessoas ilustres espalhados pela cidade:

  • Cônego Silvestre Rossi, ao lado da Catedral de Nossa Senhora das Dores.
  • Dr. Trajano de Barros Camargo, em frente à escola que leva seu nome.
  • Dr. Octávio Lopes Castelo Branco, em frente à escola que leva seu nome.
  • Dr. Luciano Esteves dos Santos, na praça homônima, em frente ao Colégio São José
  • Monumento à memória do Sargento Alberto Pierrotti e dos combatentes da Revolução Constitucionalista de 1932, na praça do Soldado Constitucionalista em frente do Cemitério da Saudade.
  • Monumento à Maçonaria, na rotatória da avenida. Con. Manuel Alves com a Rod. Limeira-Piracicaba.
  • Monumento à Bandeira Nacional, na rotatória da Via Antônio Cruanes Filho com a Rod. Limeira-Piracicaba.
  • Pórtico de entrada da cidade, na Av. Major José Levy Sobrinho.
  • Obelisco na Praça Toledo de Barros, que celebra o Centenário da Independência do Brasil em 1922, inaugurado em 1924 nas comemorações do Centenário de Limeira.

Construções históricas[editar | editar código-fonte]

Interior da Igreja da Boa Morte.

Apesar de a cidade ser considerada antiga pelos padrões paulistas por ter sido fundada em 1826, pouco restaram das construções históricas. Isso foi consequência da renovação urbana que ocorreu nas década de 1960 e 70 quando se perdeu boa parte destas construções.

Ainda assim há várias construções importantes que foram conservadas. Temos a Igreja da Boa Morte construída em 1858 e concluída em 1867 em estilo barroco. Há ainda o Teatro Vitória construído em 1941 em estilo art déco simbolizando a modernidade dos anos 40 e o Edifício Prada construído em 1937 para abrigar a antiga companhia Chapéus Prada S/A e que atualmente é sede da prefeitura.

Economia[editar | editar código-fonte]

Limeira figura como a 70.ª cidade mais rica do Brasil e como a 24.ª mais rica do Estado de São Paulo, estando à frente de cidades como Americana, Suzano, Araraquara e São Carlos. Sendo ainda a 89.ª cidade mais populosa do Brasil e a 23.ª mais populosa do Estado de São Paulo

Agricultura[editar | editar código-fonte]

A exploração agrícola das terras do município começa com o plantio de cana-de-açúcar em meados do ano 1799. Já em 1828 passou a se produzir café na Fazenda Ibicaba, todavia anos mais tarde com a expansão da área produtiva, outras cidades da região acabaram por iniciar produções mais expressivas.

Com a crise de 29, a cafeicultura foi sendo abandonada e novas culturas apareceram entre elas a de laranja. A citricultura então passou a se desenvolver fazendo a cidade ser conhecida como a 'Capital da Laranja' na década de 1960. Porém, novamente a expansão da cultura para outras cidades faz a cultura entrar em declínio.

Atualmente a cultura predominante na cidade é a cana-de-açúcar, seguida da cultura de legumes e verduras. Também há a produção de mudas em geral, área em que o município tem destaque.

Indústria[editar | editar código-fonte]

Por volta do ano 1850 já havia a produção de carroças e instrumentos agrícolas na Fazenda Ibicaba e durante a Guerra do Paraguai chegou a produzir apetrechos para os soldados. Por isso ela é considerada a primeira indústria da cidade.

Entre os anos de 1907 e 1922 surgem importantes indústrias como a Indústria de Chapéus Prada (1907), a Café Kühl (1920) e a Indústria de Papel Santa Cruz (1922), atual Ripasa Celulose e Papel.

Já entre as década de 1940 a 70 impulsionadas pelo florescimento da citricultura Citrobrasil (1940) e a Citrosuco (1966). Após a Segunda Guerra com o apoio para o desenvolvimento da indústria automotiva surge a Freios Varga, atual TRW (1945) e a rodas Fumagalli, atual Arvin Meritor (1946).

A partir da década de 1970 o parque industrial limeirense passa a se expandir e abraçar empresas multinacionais. É instalada em Limeira a japonesa Ajinomoto, a Fumagalli se funde ao grupo americano Rockwell em 1974 e a Freios Varga ao grupo inglês Lucas em 2000.

Atualmente o setor de joias folheadas a ouro tem tido lugar de destaque por sua grande importância para a cidade. A produção destas empresas responde por quase metade da produção do setor no Brasil e é exportada para todo o mundo, atraindo compradores de vários locais.

Comércio[editar | editar código-fonte]

Área de lazer Maria Kühl Tank, popularmente conhecida como Calçadão.

O setor comercial da cidade conta com 4000 estabelecimentos comerciais e 3000 prestadoras de serviços. Na cidade há um shopping center na região central, o Shopping Pátio Limeira, que possui como lojas âncoras: Lojas Americanas, Marisa, C&A, Renner e Centauro, [20] além de contar com 4 salas de cinema. Esse mesmo shopping passa por projeto de expansão, onde no futuro terá mais uma sala de cinema e um prédio comercial.

Um outro shopping ainda está localizado na cidade, que após o processo de compra pela Prefeitura e posterior leilão, foi adquirido pelo valor de R$11,2mi pela empresa MV1 Empreendimentos e Participações Ltda., a inauguração ocorreu no segundo semestre de 2012[21] . O projeto conta com 150 lojas, dentre essas algumas âncoras, e mais opções de lazer, como cinema. O Limeira Shopping Center passou a se chamar Shopping Center Limeira.[22]

Há ainda um novo shopping, chamado Shopping Nações, construído na rodovia Limeira/Piracicaba, próximo à Rodovia dos Bandeirantes. O projeto do estabelecimento conta com 28mil m² e tem 100 lojas, sendo inaugurado em setembro de 2013, a administração do shopping ficará por conta da empresa Vertigo. Além do shopping, fazem parte futuramente desde empreendimento um hotel com 160 quartos, um centro de convenções e um condomínio residencial.[23]

Hipermercados presentes na cidade: Walmart, Enxuto e Covabra. Contando ainda com uma rede de supermercados local, Sempre Vale, Dia% Brasil, Vitoria, Rede Econômica, Assaí, Paulistão e outros de menor porte.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Na área de mídia impressa a cidade conta com dois jornais de circulação diária, a Gazeta de Limeira e o Jornal de Limeira e alguns outros de circulação semanal, como a Folha de Limeira, Folha Cidade Interior e a Folha Cidade Gospel. E ainda alguns com circulação mensal como "Filadélfia News". Também há uma revista de circulação mensal, a "Expressão Regional" e uma revista de circulação bimestral, a "Revista Estereosom".

Na área de mídia televisiva possui dois canais de televisão com programação local, a TV Jornal (retransmitindo a TV NGT) canal 39, e a "TV Mix Regional" (retransmitindo a SESC TV), com geração em Pirassununga e Centro de Produções em Limeira, além de um canal com programação regional: a Rede Família/Rede Mulher canal 11. Também existem repetidoras que retransmitem outros canais de televisão de alcance nacional ou regional.

A cidade também conta com cinco emissoras de rádio de alcance regional operando em AM e FM, sendo elas a Rádio Educadora de Limeira operando em AM a 1020 kHz, a Rádio Estereosom operando juntamente com a anterior em FM a 99,9 MHz, a Rádio Mix operando em am 770 kHz , a Rádio Magnificat operando em FM a 103.5 MHz e a Rádio Jornal operando em FM a 100.7 MHz juntamente com a TV Jornal (canal 29 e 39 UHF), a Rádio Comunitária Cidade de Limeira FM (106,3 MHz) e a rádio Limeira FM (106,9 MHz).

Saúde[editar | editar código-fonte]

A rede de saúde conta com cinco hospitais. Duas unidades são filantrópicas e recebem auxílio do poder público:

  • Santa Casa de Misericórdia
  • Sociedade Operária Humanitária

Os três outros hospitais são particulares:

  • Hospital Unimed
  • Hospital Medical
  • Hospital Dia (antigo hospital filantrópico Beneficência Limeirense, que foi fechado e encampado pela Santa Casa).
  • Hospital Frei Galvão (Santa Casa Saúde)

O setor médico é bastante desenvolvido e, dentre os hospitais, destaca-se a Santa Casa, onde se localizam os principais centros de especialidades. O sistema de saúde pública - SUS - funciona dentro da Santa Casa, que é um dos maiores hospitais do interior paulista, atendendo, atualmente, pacientes de 92 cidades paulistas e do Sul de Minas. Destacam-se, dentro do sistema público unidades de referência regional como o Centro para Queimados, o Centro de Câncer e o Centro de Hemodiálise. Alguns transplantes mais simples, como de rins, são realizados na cidade.

Existem ainda, para atendimentos dos bairros, diversas Unidades Básicas de Saúde espalhadas por todo o município.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade possui 30 escolas estaduais e uma rede de escolas municipais que atende mais de 17 mil alunos. Há também 46 instituições particulares de ensino. Segundo dados do INEP em 2000 a taxa de analfabetismo da cidade é de 6,25%.[24]

Ensino superior[editar | editar código-fonte]

A cidade abriga dois campi da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). No primeiro campus se encontra a Faculdade de Tecnologia (FT), antigo Centro Superior de Educação Tecnológica (CESET), responsável pelos cursos superiores tecnológicos.[25]

No novo campus da Unicamp se encontra a Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) implantada em 2009 com dez cursos. Seu projeto pedagógico diferenciado propõe a existência de um Núcleo Básico Geral e Comum de matérias para todos os cursos, cuja a duração é de três anos, sendo o último ano específico de cada curso. Este novo campus ainda se encontra em fase de implantação apesar de já se encontrar em funcionamento, o projeto final inclui mais 8 cursos neste campus.

Há ainda na cidade algumas instituições particulares de ensino superior, como:

Comunidade universitária[editar | editar código-fonte]

O relacionamento dos estudantes com os demais moradores da região, assim como qualquer outro tipo de relacionamento, tem conflitos e benefícios. Um exemplo de benefício, é que em 23/06, depois de uma série de assaltos nos arredores dos campus I e II, os estudantes organizaram uma passeata até a prefeitura, protestando por mais segurança,[26] lá foram recebidos pelo vice-prefeito e o secretário municipal de Segurança Pública.[27] Por outro lado, após uma república de estudantes ser assaltada, alguns alunos intercambistas cogitaram voltar à seus países.[28]

Como forma de centralizar as denuncias de assaltos, a FCA disponibilizou uma página para registro de ocorrências,[29] mas ela é acessível através da intranet da faculdade.

Ensino médio[editar | editar código-fonte]

O campus da Unicamp na cidade também abriga o COTIL - Colégio Técnico de Limeira, dirigido pela própria Unicamp e responsável por cursos técnicos profissionalizantes.

Uma conceituada opção de Ensino Técnico Profissionalizante na Cidade é o SENAC, que oferece a comunidade diversos cursos Técnicos de áreas como Administração e Negócios, Segurança Ocupacional, Bem Estar, Informática, Comunicação, Design e muitos outros, sendo eleita em 2011 como centro de Excelência em Empreendedorismo.

Há ainda mais escolas técnicas na cidade, onde destacam-se a Escola Técnica Estadual Trajano Camargo, mantida pelo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza e as instituições particulares Colégio Santo Antônio, Colégio Einstein, Colégio Objetivo, Colégio São José, Procotil e Colégio Portinari e Colégio Tarsila do Amaral.

Esporte e lazer[editar | editar código-fonte]

Zoológico[editar | editar código-fonte]

O Zoológico Municipal, inaugurado em 1968 se encontra em uma área verde próxima ao centro da cidade no bairro Jardim Mercedes. Ocupa a área da antiga chácara de Trajano de Barros Camargo, também conhecido como Dr. Trajano. Um novo zoológico municipal encontra-se em fase de construção, na área do Horto Florestal.[carece de fontes?]

Parques[editar | editar código-fonte]

  • Horto Florestal Prof. André Franco Montoro: é um grande bosque de eucaliptos com aproximadamente 300 alqueires. Foi inaugurado em 1984, quando a prefeitura tomou posse da área então abandonada que pertencia à Fepasa S.A. - antiga Companhia Paulista - e era destinada à criação de eucaliptos para a reposição dos dormentes dos trilhos. A área verde está localizada a nove quilômetros do centro da cidade na via Jurandir Paixão (antiga via Tatuibi). O local é aberto para lazer e prática de esportes, possuindo, também, lago artificial, quiosques e áreas para crianças.
  • Parque da Cidade: localizado em uma área de 98.647 m² pertencente à prefeitura na Vila São João e que já abrigava estruturas de lazer e serviços municipais, tais como a Hípica Municipal, o Ceprosom (Centro de Promoção Social Municipal) o Ginásio Municipal Vô Lucato, o parque foi inaugurado em setembro de 2007. Apresenta também ciclovia com 1000 metros, duas lanchonetes, parque infantil e brinquedoteca. Na mesma área, havia uma grande construção que foi abandonada por anos, e agora abriga o Museu da Joia Folheada, o Centro de Formação do Professor e um novo teatro, com capacidade para 400 pessoas.

Fazendas históricas[editar | editar código-fonte]

Por ter sido um grande centro cafeicultor, Limeira possui fazendas importantes e representativas do período áureo do café, atualmente dedicadas, quase todas, ao cultivo da cana-de-açúcar, com exceção da fazenda Citra, no ramo viveirista. No entanto, essas propriedades mantém, ainda, quase toda a estrutura dessa época.

Recebem grupos de visitantes para turismo ecológico. São elas:

Terreiro da Fazenda Quilombo.

Estádios[editar | editar código-fonte]

A cidade possui dois estádios de futebol municipais. Um deles é o Estádio Major José Levy Sobrinho conhecido como Limeirão. Com recorde de público de 44 mil pessoas, à época de sua inauguração foi o segundo maior estádio paulista, atrás somente do Morumbi, na capital. Com a construção de outros estádios maiores em São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Sertãozinho, o Limeirão ainda é o 6º maior estádio de São Paulo[carece de fontes?].

A administração municipal ainda possui o estádio Comendador Agostino Prada também conhecido como Pradão, com capacidade para 13 mil e 500 pessoas.

Ambos os estádios são cedidos para os dois times de futebol profissional da cidade: o Limeirão para a Associação Atlética Internacional, popularmente conhecida como Inter de Limeira ou Leão, e o Pradão para o Independente Futebol Clube que também é popularmente conhecido como Galo.

Ginásios[editar | editar código-fonte]

Os principais ginásios poliesportivos do município são o ginásio Fortunato Lucato, popularmente conhecido como ginásio "Vô Lucato" e o ginásio Domingos de Felice, no bairro Santo André. Além desses, vários bairros da cidade contam com ginásios menores para uso da população. Um novo ginásio com capacidade para 6 mil pessoas está sendo construído ao lado do campus 2 da Unicamp.[carece de fontes?]

Columbofilia[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1951, o Clube Columbófilo Limeirense trilha somando novos e mais adeptos do desporto. É o maior clube de columbófilos do Estado de São Paulo, e está entre os cinco maiores clubes do Brasil. Grandes nomes desse grupo de entusiastas e pesquisadores da prática da corrida de pombos-correio, fizeram história em campeonatos estaduais, nacionais e internacionais.[carece de fontes?]

Kartódromo Municipal de Limeira[editar | editar código-fonte]

O kartódromo possui uma pista com 1.200 metros de extensão, 8 metros de largura, longas retas, freadas fortes, curvas rápidas, mergulho, curvas de baixa velocidade e com vários tipos de tangências. É considerado o traçado mais seletivo do Brasil. Recentemente reinaugurado 2006, o asfalto recebeu uma composição de polímero onde a durabilidade é maior.

Nesta pista já competiram pilotos como Rubens Barrichello, Christian Fittipaldi, Tony Kanaan e Hélio Castroneves. O kartódromo possui estacionamento, banheiro masculino e feminino, lanchonete e 27 boxes cobertos.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Transporte coletivo[editar | editar código-fonte]

O transporte coletivo limeirense é feito por duas empresas que operam as 25 linhas existentes, atendendo 2 milhões de pessoas segundo dados de 2005.[30]

O terminal central da cidade se localiza ao lado do terminal rodoviário.

A cidade conta com um terminal rodoviário para linhas de ônibus intermunicipais e interestaduais que foi inaugurado em 1982. Lá 21 empresas estão em operação, atendendo em média a 47 mil passageiros por mês segundo dados de 2005.[31]

Uma nova rodoviária ao lado do antigo Limeira Shopping foi planejada em 2008 mas o projeto foi abandonado[32] .

Hidrovia[editar | editar código-fonte]

O município também é servido pela hidrovia Tietê-Paraná através do Rio Piracicaba com a conclusão de uma barragem em Santa Maria da Serra.[31]

Aeroportos[editar | editar código-fonte]

O aeroporto de Limeira (ICAO: SDYM) possui uma pista de 875 metros de extensão, hangares particulares de uso executivo e Sede de Administração do Aeródromo no hangar do antigo Aeroclube. É destinado aos aviões de pequeno e médio porte, assim como o ensino de pilotagem aerodesportiva, localizado a cerca de 4 km do centro da cidade. Coordenadas: SDYM - Airport - Limeira 223614S/0472443W. Mas no momento o aeródromo encontra-se interditado para qualquer tipo de operação.

Um novo aeroporto maior com uma pista planejada de 1.800m, já está sendo construído[33] às margens da Rodovia Limeira-Mogi Mirim bem próximo a divisa com a cidade de Engenheiro Coelho.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

O Município de Limeira está localizado junto ao entroncamento de três vias importantes do Estado: Rodovia Anhanguera (SP-330), Rodovia Washington Luís (SP-310) e Rodovia dos Bandeirantes (SP-348).

Outras rodovias que servem ao município são: Rodovia Limeira-Mogi Mirim, Limeira-Piracicaba (SP-147), Rodovia Limeira-Iracemápolis (SP-151), Rodovia Limeira-Cosmópolis (SP-133), Rodovia Santa Bárbara - Iracemápolis (SP-306), a Rodovia Limeira-Artur Nogueira e a Rodovia Americana-Limeira-Cordeirópolis (SP-017).

Algumas distâncias

Serviços essenciais[editar | editar código-fonte]

O sistema de água e esgoto é administrado por uma empresa particular através de concessão desde 1994. A empresa que assumiu o controle destes serviços na época era denominada Águas de Limeira, formada pela Odebrecht e pela empresa francesa Lyonnaise des Eaux. Desde setembro de 2009 a empresa passou a ter o nome de Foz do Brasil para unificar todas as operações no Brasil sob a mesma marca.[34] [35] Conta com uma estação de tratamento de água e três estações de tratamento de esgoto. A cidade conta com 100% de tratamento de esgoto, segundo informação veiculada pela Foz do Brasil[36] , se destacando nesse aspecto em relação às cidades vizinhas.

Os moradores têm há sua disposição o Poupatempo, localizado na Rua Tiradentes, 1366, desde 14 de janeiro de 2014, no Pátio Office, uma torre comercial anexa ao Shopping Pátio Limeira.[37] Anteriormente, estava localizado na Rua Boa Morte, 725.[37] [38] O Poupatempo é mantido pela Prefeitura de Limeira e conta com:[37]

  • Banco do Povo Paulista,
  • Procon,
  • Sebrae,
  • emissão de RG,
  • Junta Militar,
  • Núcleo Especial Criminal (Necrim), e
  • Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT); para emissão de carteira de trabalho, por exemplo.

Limeirenses Notórios[editar | editar código-fonte]

Fachada do Fórum Spencer Vampré.

Problemas atuais/Melhoras[editar | editar código-fonte]

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

Segundo dados de uma pesquisa realizada em 2002 pelo Instituto Fernando Braudel, Limeira se encontra na média de violência dos municípios paulistas com mais de cem mil habitantes. Apesar de ocupar a 41° posição no ranking a cidade tem tido crescentes problemas na área de segurança, acompanhando o seu crescimento populacional. Nos últimos anos a região transformou-se em polo de adulteração de combustíveis.

Economia[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

A cidade vem crescendo ano após ano para se tornar mais atrativa para as indústrias, contando com programas de incentivo. Esta política adotada pelas últimas administrações tenta reverter o aumento do desemprego e do trabalho informal na cidade. De acordo com os dados publicados pela Acil[onde?], Limeira conta com 96% da população trablhando na própria cidade e devidamente registrado.

Comércio[editar | editar código-fonte]

O comércio de Limeira evoluiu bastante, chegando competir até mesmo com outras cidades(maiores) e próximas como Campinas e Piracicaba

A expansão do setor de joias na cidade cria uma grande demanda por mão de obra. Essa demanda muitas vezes é preenchida de maneira informal, empregando pessoas sem treinamento para cuidar de etapas do processo de folheação que envolvem materiais tóxicos e perigosos.[39] Há também indícios de emprego de mão de obra infantil nestas mesmas condições.[40]

Meio ambiente[editar | editar código-fonte]

Os setores de joias folheadas e papel da cidade também colaboram significativamente para a poluição, dado que nem todas as empresas tratam adequadamente os rejeitos químicos antes de descartá-los.[39] [41] Estes rejeitos além de serem nocivos danificam o sistema de tratamento de esgoto.

Hoje, vários dos córregos que atravessam a área urbana da cidade já se encontram totalmente canalizados e despoluídos, graças a uma campanha de longa data em prol do meio ambiente e da qualidade de vida[carece de fontes?].

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Limeira-SP. Nosso São Paulo. Página visitada em 10 de outubro de 2011.
  2. Murilo Biagioli (26 de setembro de 2011). Uma parte da história limeirense na Alemanha. Jornal de Limeira. Página visitada em 10 de outubro de 2011.
  3. Berço da Imigração Européia de Cunho Particular festeja a italianidade. Oriundi (18 de julho de 2006). Página visitada em 10 de outubro de 2011.
  4. História de Limeira. Portal São Francisco. Página visitada em 10 de outubro de 2011.
  5. Limeira / São Paulo. Moto Tour. Página visitada em 10 de outubro de 2011.
  6. Paulo Hadich (PSB) é eleito prefeito de Limeira (SP) com 70.599 votos. G1 (7 de outubro de 2012). Página visitada em 1 de janeiro de 2013.
  7. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  8. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Página visitada em 24 de janeiro de 2011.
  9. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  10. a b Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  11. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 03 de agosto de 2013.
  12. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  13. Informações sobre o município. Prefeitura Municipal de Limeira. Página visitada em 3 de março de 2011.
  14. Benedito Carlos Toledo Lima. História de Limeira. O Limeirense. Página visitada em 11 de fevereiro de 2011.
  15. Origem de Limeira. Prefeitura Municipal de Limeira. Página visitada em 11 de fevereiro de 2011.
  16. IBGE: História de Limeira.
  17. Prefeitura Municipal de Limeira: Geografia.
  18. [1]
  19. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=3175&i=P&nome=on&qtu8=137&digt102=&qtu14=3&notarodape=on&tab=3175&sec287=0&opn8=0&opn14=0&unit=0&pov=1&opc1=1&poc2=1&OpcTipoNivt=1&opn1=0&qtu11=658&nivt=0&orc86=3&poc1=1&orp=7&qtu3=27&qtu13=47&opv=1&poc86=2&sec1=0&opc2=1&pop=1&opn2=0&opn15=0&orv=2&orc2=5&qtu2=5&opn10=0&qtu15=3&sev=1000093&opc86=1&sec2=0&opp=f1&opn3=0&qtu6=5565&qtu102=14213&opn13=0&sec86=2776&sec86=2777&sec86=2778&sec86=2779&sec86=2780&orc287=6&sep=24922&orn=1&digt10=&opn11=0&qtu7=36&orc1=4&qtu1=1&opn9=0&cabec=on&opc287=1&qtu10=10282&digt11=&opn7=0&decm=99&poc287=1&pon=2&qtu9=558&opn6=1&digt6=&opn102=0&OpcCara=44&proc=1
  20. Investidores anunciam R$ 14 mi; nova fase do shopping gera 500 empregos.
  21. Shopping Center Limeira é aberto à população. Jornal de Limeira (22 de novembro de 2012). Página visitada em 5 de janeiro de 2013.
  22. [2]
  23. [3]
  24. INEP: Mapa do analfabetismo no Brasil.
  25. Portal Unicamp: Cidade de Limeira.
  26. Estudantes da Unicamp em Limeira fazem passeata e pedem segurança. Página visitada em 27 de maio de 2013.
  27. Segurança é tema de reunião com estudantes da Unicamp. Página visitada em 27 de maio de 2013.
  28. Com medo, estrangeiros da FCA pensam em deixar o Brasil. Página visitada em 04 de outubro de 2013.
  29. Formulário para Registro de Ocorrências. Página visitada em 04 de outubro de 2013.
  30. Prefeitura Municipal de Limeira: Serviços Essenciais.
  31. a b Prefeitura Municipal de Limeira: Transporte.
  32. Justiça dá cinco dias para donos do Shopping Limeira pagarem R$ 38 mi. G1 (27 de setembro de 2012). Página visitada em 27 de setembro de 2012.
  33. Novo aeroporto em fase de construção.
  34. Odebrecht lança Foz do Brasil e reforça atuação em Engenharia Ambiental (em {{subst:((pt))}}).
  35. Águas de Limeira passa a chamar Foz do Brasil (em {{subst:((pt))}}).
  36. Foz do Brasil em Limeira. Página visitada em 29 de março de 2013.
  37. a b c Limeira: Poupatempo Municipal muda de endereço na próxima semana (08 de janeiro de 2014). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  38. PAT Limeira conta com nova coordenadora (14 de abril de 2012). Página visitada em 22 de janeiro de 2014.
  39. a b Ceset: Efluentes derivados dos processos de galvanoplastia.
  40. Núcleos planejam combater irregularidades no setor de jóias.
  41. EPTV.com - Fechada fábrica clandestina de joias em Limeira.
  • Busch, Reynaldo Kuntz. História de Limeira. Prefeitura Municipal de Limeira. 1967.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]