Linchamento de Thomas Shipp e Abram Smith

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Thomas Shipp e Abram Smith, 7 de agosto de 1930

Thomas Shipp e Abram Smith foram dois homens afro-americanos que foram linchados em 7 de Agosto de 1930 em Marion, Indiana. Eles foram presos na noite anterior, acusados de roubar e assassinar um operário branco, Claude Deeter, e estuprar sua namorada branca, Mary Ball. Uma grande multidão invadiu a cadeia com marretas, bateu nos dois homens, e os enforcou. Quando Abram Smith tentou libertar-se da corda, ele foi abaixado e teve seus dois braços quebrados para impedi-lo de tentar libertar-se novamente. Os Policiais que estavam no meio da multidão colaboraram com o linchamento. Uma terceira pessoa, de 16 anos, James Cameron, escapou por pouco de linchamento graças a um participante não identificado que anunciou que ele não tinha nada a ver com o assassinato.[1] Um fotógrafo estúdio, Lawrence Beitler, tirou uma foto dos corpos pendurados em uma árvore cercados por uma grande multidão; milhares de cópias da foto foram vendidas.[2]

Esclarecimentos[editar | editar código-fonte]

Cameron afirmou em entrevistas que Shipp e Smith tinham, de fato, começado a roubar um homem branco, que depois foi encontrado morto. Ele diz que fugiu quando percebeu o que estava acontecendo. Mary Bola testemunhou mais tarde que ela não tinha, ao contrário das acusações contra os três homens, sido estuprada. [3] The police accused all three men of murder and rape.[4]

Museu[editar | editar código-fonte]

Cameron mais tarde (em 1988) tornou-se fundador e diretor da America's Black Holocaust Museum, um museu em Milwaukee, Wisconsin dedicado a retratar a história de linchamentos nos Estados Unidos.[5]

Em 1937 Abel Meeropol, um professor judeu de Nova Iorque viu a fotografia. Meeropol mas tarde afirmou que a foto o "assombrou por dias" e o inspirou a escrever o poema "Strange Fruit". Esse poema foi publicado na New York Teacher e depois na revista New Masses, tendo em ambos usado o pseudónimo Lewis Allan.[6] O poema tornou-se a base da letra da canção de mesmo nome, que ficou famosa na voz de Billie Holiday.[7] A canção alcançou a posição numero 16 das paradas em julho de 1939.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. The primary source for these events is A Time of Terror, which is an eyewitness account. Relevant passages are quoted in several of the external links, including photo notes from Without Sanctuary and Legends of America. Other accounts are in Lynching in the Heartland, listed in the Further reading section, above.
  2. "Lawrence Beitler, a studio photographer, took this photo. For ten days and nights he printed thousands of copies, which sold for fifty cents apiece." from A Time of Terror, quoted in Legends of America, see previous note. See also Lynching in the Heartland, chapter 6 which discusses the photograph in detail.
  3. in the 2001 Indiana University Oral History statement, reported by IDS news at this link
  4. in the 2001 Indiana University Oral History statement by Cameron. This is also mentioned in pretty much all other accounts of the incident.
  5. The museum's founding date is given in the AP interview/article by Sharon Cohen, which appeared in the Standard-Times on February 17, 2003, and is quoted in the IDS interview, see above. Cameron's position as Founder and Director is also mentioned in the Little review cited earlier and in other sources.
  6. Holiday's autobiography credits her with co-authoring the song, but this PBS site credits the music as well as the words to Meeropol.
  7. According to the spartacus.schoolnet article and this PBS site.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • An American Dilemma by Gunnar Myrdal (Harper and Brothers, 1944);
  • A Time of Terror: A Survivor’s Story by James Cameron (Black Holocaust Museum) (Black Classics Press, 1982). This book has an account of this lynching, by the man who escaped.
  • Lynching in the Heartland by James Madison (St. Martin’s Press, 2000) ISBN 0-312-23902-5.
  • Without Sanctuary: Lynching Photography in America by James Allen, Hilton Als, et al. (Twin Palms Publishers, 2000). Book corresponding to web site cited below.
  • The God Moment by Alan D. Wright

Ligações externas[editar | editar código-fonte]