Linha de pobreza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Porcentagem da população vivendo com menos de US$ 1,25 por dia. Estimativas da ONU para o período entre 2000 e 2007.

Linha de pobreza é o termo utilizado para descrever o nível de renda anual com o qual uma pessoa ou uma família não possui condições de obter todos os recursos necessários para viver. A linha de pobreza é, geralmente, medida em termos per capita(expressão latina que significa "por cabeça") e diversos órgãos, sejam eles nacionais ou internacionais, estabelecem índices de linha de pobreza.

Índices de Linha de Pobreza[editar | editar código-fonte]

Não há consenso sobre qual critério deve ser adotado como linha de pobreza. O critério mais aceito, no tempo presente, é o do Banco Mundial, que, em seu Relatório de Desenvolvimento Mundial de 1990 estabeleceu que a linha de pobreza mundial é de menos de 1 dólar por dia.[1]

Contudo, de acordo com o Documento de Trabalho nº 4620 do Banco Mundial, estudos recentes, e mais amplos, revelam que a taxa de pobreza de menos de um dólar é um pouco imprecisa, podendo oscilar 25 centavos de dólar a mais ou a menos.

Nota: O Banco Mundial utiliza a faixa de US$ 1 dólar por dia por pessoa como linha de indigência e de US$ 2 dólares por dia por pessoa como linha de pobreza.[2]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

O Governo Federal adota como medida de extrema pobreza familiar rendimentos mensais abaixo de R$ 70 por pessoa.[3]

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal o limiar de pobreza é de 5040 euros anuais, ou seja 420 euros a 12 meses[4] .

Referências

  1. On the poverty line The Economist (May 2008). Visitado em 22/06/2008.
  2. Dilma terá linha oficial de pobreza para medir fim da miséria Agência Brasil (April 2011). Visitado em 24/04/2011EC.
  3. MDS. Brasil Carinhoso. Visitado em 30 de setembro de 2012.
  4. Expresso. Há 4,5 milhões de pobres. Visitado em 18 de abril de 2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]