Literatura interamericana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde agosto de 2009).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

A literatura interamericana envolve o estudo comparado de autores e textos de todas as Américas: a do Norte, a do Sul e a Central, incluindo o Caribe. Esse escopo inclusivo —Canadá, Estados Unidos, América espanhola, o Brasil, países menores anglófonos e francófonos, e a América indígena— cobre as principais línguas do extremo Hemisfério Ocidental —inglês, espanhol, português, francês— assim como, em alguns casos, as línguas indígenas.

O método pode ter um foco abrangente, como nos estudos das relações entre as raças nas Américas ou na representação literária dos indígenas americanos, ou pode ter um foco mais específico nas questões da influência e da recepção que interligam autores e textos específicos. Por exemplo, certos romances de Machado de Assis, do Brasil, influenciaram The Floating Opera, de John Barth, e Faulkner influenciou vários escritores da América espanhola, incluindo Gabriel García Márquez e Mario Vargas Llosa.

A literatura interamericana também pode tratar do desenvolvimento de certas formas literárias, tais como o romance de imigrante ou o poema épico no Novo Mundo, ou tratar de períodos e movimentos literários, tais como o período colonial, o século 19, ou o Modernismo nas Américas.

Idealmente, todo projeto dentro da literatura interamericana deve envolver ao menos três das línguas e literaturas do Novo Mundo, como, por exemplo, em um estudo da forma do "novo romance" no Canadá, Estados Unidos, América espanhola e Brasil durante os anos 1960s.

Como geralmente ocorre com os estudos comparados, o campo da literatura Interamericana deve trabalhar, sempre que possível, com textos escritos em sua língua original e deve procurar identificar as semelhanças (quanto ao tema, à forma ou ao período) que interligam as literaturas das Américas; ao mesmo tempo, deve também reconhecer e manter as importantes diferenças (quanto à história, ao estilo e à cultura) que distinguem essas literaturas entre si e que as tornam obras artísticas singulares.

Referências[editar | editar código-fonte]

Earl E. Fitz. Rediscovering the New World: Inter-American Literature in a Comparative Context. Iowa U P, 1991.

Earl E. Fitz. Inter-American Literature: A Concise History. The Scholar Collection, 2012. (473 pp.) www.academicpub.com

Elizabeth Lowe and Earl E. Fitz. Translation and the Rise of Inter-American Literature. U P of Florida, 2008.

Nina Scott. "Inter-American Literature: An Antidote to the Arrogance of Culture." College English. 2004.

Monika Kaup, Debra J. Rosenthal, eds. Mixing Race, Mixing Culture. U Texas P, 2002.

Earl E. Fitz. Spanish American and Brazilian Literature in Inter-American Perspective: The Comparative Approach. CLCWeb: Comparative Literature and Culture 4.2 (2002).

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.