Litoral do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Litoral da cidade do Natal.
Litoral de Florianópolis.

O Brasil é banhado pelo Oceano Atlântico, desde o cabo Orange até o arroio Chuí, numa extensão de 7.408 km, que aumenta para 9.198 km se consideramos as saliências e as reentrâncias do litoral, ao longo do litoral se alternam praias, falésias, dunas, mangues, recifes, baías, restingas e outras formações menores.

Divisões[editar | editar código-fonte]

Considerando a perspectivas de geógrafos como João Dias da Silveira, o litoral brasileiro apresenta características diversas, que levam à seguinte divisão:

Litoral Norte: formado por sedimentos recentes, havendo o predomínio de restingas, lagunas e mangues; Abrange a costa do Amapá e a do Pará e este é marcado pela foz do rio Amazonas, com canais, pequenos lagos, manguezais e ilhas, entre elas a de Marajó. No norte do Amapá há ainda longas restingas.

Litoral Nordeste: nele se localizam belas praias e dunas, além de alguns importantes portos comerciais. Sua diversidade de acidentes geográficos se concentra entre o leste do RN e a divisa SE-BA (dunas potiguares, falésias paraibanas, arrecifes pernambucanos, lagoas alagoanas, coqueirais sergipanos), já que na costa norte predomina o litoral de dunas e o litoral amazônico, enquanto ao sul desta divisa a planície com coqueirais que parece se estender até o ES na divisa com o litoral dos morros; É bem diversificado em seu relevo e paisagem. No litoral nordestino encontramos a Ponta do Seixas, extremo oriental das Américas, situado no estado da Paraíba. Destacam-se as dunas do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, que abrigam lagoas no período das chuvas, e o delta do rio Parnaíba, entre Maranhão e Piauí. No trecho que vai do Rio Grande do Norte à Bahia são comuns as restingas, dunas, lagoas, falésias, arrecifes, coqueirais e os mangues. Entre Alagoas e Sergipe está a foz do rio São Francisco. É marcante também a baía de Todos os Santos, no estado da Bahia. Geofisicamente o litoral nordeste é formado pela junção da costa norte com a costa leste. Portanto é o único dos litorais do Brasil que possui metade da costa norte e metade da costa leste, com mais de 3 mil km de extensão. Suas principais ilhas costeiras são Itamaracá, a ilha principal da reentrância maranhense, tal como Itaparica na BA, enquanto sua principal ilha oceânica é Fernando de Noronha. Suas mais notáveis ilhas flúvio-marítimas são a da Restinga e dos Stuart na PB e também a ilha natural de Antônio Vaz em PE.

O Litoral Leste, além de belas praias e portos importantes, abriga restingas, mangues, recifes e também algumas barreiras;

Litoral Sudeste: Caracterizado pelas costas baixas (principalmente no norte capixaba) e falésias, apresenta também restingas, lagunas e mangues na sua parte sul. É dominado claramente pela costa de morros . É o mais movimentado do país, com importantes portos comerciais, como o de Santos e o do Rio de Janeiro; Tem diversos trechos escarpados e outros amplos e retilíneos. Do norte do Espírito Santo até o município de Cabo Frio (RJ), são comuns pequenas elevações, baixadas e restingas. De Cabo Frio a Marambaiarestingas e lagunas. A partir daí até São Sebastião, já em São Paulo, o litoral é sinuoso e escarpado, marcado pela presença natural da serra do Mar. Desse trecho até o rio Ribeira do Iguape predominam as baixadas.

Litoral Sul: formado por costas baixas e arenosas principalmente entre o sul de SC e o Chuí, além de extensas lagoas no Rio Grande do Sul. Os principais portos são Itajaí, Paranaguá e Rio Grande. Entre o leste de SC e o PR predomina a costa de morros com pouca variedade, já que esse tipo de costa se estende do ES a SC. É bastante recortado no Paraná, já que a serra do Mar volta a estar próxima do litoral. Na costa catarinensecolinas formadas pelo desgaste das escarpas da serra do Mar. Com uma faixa costeira ampla e retilínea, o estado do Rio Grande do Sul é marcado pela laguna dos Patos e lagoa Mirim, que são formadas pelo fechamento de restingas.

Características sócio-econômicas[editar | editar código-fonte]

O litoral brasileiro é beneficiado pelas condições favoráveis de navegação de cabotagem durante o ano inteiro, porém os portos são obsoletos, mal equipados e congestionados.[carece de fontes?]

Nele se explora a pesca, com produção modesta com relação à internacional. Essa atividade é supervisionada pelo Ministério da Pesca e Aquicultura, vinculada à Presidência da República Federativa do Brasil.

Em trechos do litoral existem salinas, principalmente no Nordeste (Rio Grande do Norte e Ceará) e no Rio de Janeiro, que garantem a autossuficiência brasileira na produção de sal.

Na plataforma continental existem reservas petrolíferas, cuja exploração responde por 70% da produção brasileira de petróleo.

Características físicas[editar | editar código-fonte]

O Atlântico Sul apresenta uma salinidade média de 37‰, mais elevada que a das águas oceânicas do planeta (35‰). As temperaturas elevadas, os ventos constantes e a intensa evaporação fazem com que esses índices aumentem ainda mais nas regiões de salinas.

As marés são em geral baixas, com amplitudes que oscilam de 2 a 4 m. Apenas o litoral maranhense registra marés baixas: de 7,80 m, em São Luís, e de até 8,16 m, em Itaqui.

O litoral brasileiro sofre influência climática de três correntes marítimas: a das Guianas e a Brasileira, que são quentes, e a das Falklands, que é fria. A corrente das Guianas banha o litoral norte, e a Brasileira, o litoral leste. A corrente das Falklands, proveniente do pólo sul, banha pequeno trecho do litoral sul.

Quanto ao relevo, o Atlântico Sul apresenta a plataforma continental, que submerge até 200 m, seguida de declive abrupto, o talude continental, desnível que alcança até 2.000 m de profundidade e vai até a região pelágica, onde surgem as bacias dorsais e oceânicas (ou seja, cordilheiras submarinas). Abaixo desse limite inicia-se a região abissal.

A largura da plataforma continental brasileira é bastante variável. Alcança cerca de 400 km do litoral do Pará, estreitando-se bastante no litoral nordestino. Ela é mais larga junto à foz dos grandes rios, onde há o acumulo de muitos depósitos de cascalho, areia e outros sedimentos.

Extensão do litoral brasileiro por estado[editar | editar código-fonte]

Extensão por ordem decrescente
Estados Extensão (km) Percentual (%)
Bahia 932 12,4
Maranhão 640 8,7
Rio de Janeiro 636 8,6
Rio Grande do Sul 622 8,5
São Paulo 622 8,5
Amapá 598 8,1
Ceará 573 7,8
Pará 562 7,6
Santa Catarina 531 7,2
Rio Grande do Norte 410[1] 5,7
Espírito Santo 392 5,3
Alagoas 229 3,1
Pernambuco 187 2,5
Sergipe 163 2,2
Paraíba 117 1,6
Paraná 98 1,3
Piauí 66 0,9
Total 7.367 100


Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]