Liu Bocheng

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:

Recebeu a Alcunha de o Marte chinês e o Dragão de um olho só. Ele cresceu na pobreza, Liu fez um esforço determinado em seus estudos e ganhou boas notas na escola. Influenciado pelas teorias revolucionárias de Sun Yat-sen e mais tarde se juntou ao partido comunista chinês. Liu estudou em 1923 na academia militar em Moscou , mas logo foi transferido para o mais prestigiada Academia Militar Frunze para formação, aonde estudou estratégias e táticas militares. Alémdisso foi um grandes discipulo de Sun Tzu, estudando-o com tanto afinco que era capaz não somente de aplicar os ensinamentos de Sun tzu, mas de os poder repetir o livro todo, tendo-o guardado na memória. Durante a guerra com o Japão liu comandou a 129 divisão e teve papel destacado na guerra. Mostrando grande habilidade. na sgeunda fase da guerra civil chinesa, na campanha Shangdang, muitos comunistas estavam preocupados com a segurança de Mao Zedong , que estava em Chongqing negociar um tratado de paz com Chiang Kai-shek . Deng Xiaoping, comissário politico disse a seus soldados que a maior vitória para a próxima batalha, o mais seguro Mao Zedong seria, e mais forte a posição que a comunistas teria nas negociações. Quase todo o exército dos nacionalistas foi capturado.

Sob imensa pressão, Chiang foi forçado a assinar um acordo de paz com Mao em Outubro de 1945.

A paz, porém, era frágil, e a guerra civil voltou a enclodir em 1946. Liu e Deng liderou várias campanhas em movimento, minando o ataque estratégico dos exércitos dos nacionalistas. Em 1947, quando os territórios controlados pelo CPC não podia mais sustentar tantas tropas, Mao decidiu enviar parte de seu exército nos territórios controlados pelo Kuomitamg, a fim de aliviar o pesado fardo em seu próprio território, e para posicionar os inimigos nos portões nacionalistas. Ele ordenou Liu e Deng para liderar seus exércitos de sua base no norte da China em Henan , Shanxi e Hebei , para Anhui no sul da China. Isto envolveu o envio de 100 mil soldados em todo o Rio Amarelo , e marchando mais de 1000 quilômetros no planalto central. Liu e Deng viram como uma aposta, em vez de um movimento estratégico, e até mesmo o próprio Mao não era certo se apostar em tal jogada por e discutiu abertamente os três resultados possíveis: - O comunista força não poderia mesmo chegar Dabie Shan . - A força comunista seria expulso pelo Kuomintang depois de atingir Dabie Shan . - A força comunista seria capaz de estabelecer nova base na Montanha Dabie .

Durante a expedição, eles enfrentaram os exércitos de elite nacionalistas. Liu iniciou a caqmpanha a sudoeste Shandong derrotando mais de nove brigadas. Sob este plano e cobertura, o exército de Liu prontamente se mudou para o sul e foi para a montanha Dabie. Exércitos Liu sofreu grandes perdas, metade das tropas foram aniquilados e toda a sua artilharia pesada foram perdidos, o que muito enfraquecido sua capacidade militar em campanhas posteriores. Liu e Deng tropas sobreviveu aos ataques. Longe da base de poder, com apoio poucos exércitos e suprimentos. Mao e seus companheiros ficaram muito impressionados com realização de Liu e foi só então que começam a ameaçar diretamente Nanjing e Wuhan. Na campanha de Campanha Huaihai, ele conquistou todos os territórios ao norte do rio Yangtze, os nacionalistas sofreram pesadas baixas. Entre os prisioneiros de guerra estava o general Du Yuming , protegido de Chiang.

O marechal Liu Bocheng acreditava que se deviam tecer cinco considerações antes de tomar decisões estratégicas. 1. Não lute se o seu país não íor suficientemente forte (isso inclui potencial humano, poderio militar e capacidade financeira). 2. Não lute se a situação lhe for desfavorável (isso inclui a situação internacional e a atitude de seus vizinhos). 3. Não lute se não houver tranquilidade doméstica. 4. Não lute se o seu povo não apoiar o conflito. 5. Não lute se for necessário combater em duas ou mais frentes.

O marechal Liu Bocheng, quando se tornou presidente da Academia Militar da China na década de 1950, certa vez afirmou que A arte da guerra de Sun Tzu é um trabalho que estabelece regras universais sobre a condução e o comando de guerras, pois contém várias características fundamentais que o tornam único em comparação a quaisquer outros livros sobre o tema.

1. Esse antigo trabalho sobre as leis universais da guerra nos oferece uma profunda exposição de todos os fatores que poderão levar um exército à vitória ou à derrota. Nele é enfatizada a importância" da avaliação e da ponderação cuidadosas (mediante a derradeira decisão militar antes de uma guerra). 2. Denota claramente as relações entre a guerra e fatores como a política, a economia, a diplomacia, a astronomia e a geografia. Qualquer comandante deve estar preparado para julgar o melhor momento, avaliar a situação e antecipar as decisões do inimigo antes de se embrenhar em uma batalha. Não se deve jamais agir de modo impulsivo. 3. Reforça a importância de vencer o inimigo pela estratégia, não pela força. 4. Expressa a crença de que "subjugar um inimigo sem lutar demonstra a suprema e verdadeira excelência". Isso significa que todos os métodos - políticos, diplomáticos, económicos e técnicos - devem ser empreendidos para que o inimigo seja derrotado sem a necessidade de um conflito armado.

5. Afirma que, durante a guerra, é preciso que todas as ações militares sejam conduzidas no sentido de atrair o inimigo para a derrota. 6. Ressalta que qualquer comandante deve se esforçar ao máximo para "trazer o adversário para o campo de batalha em vez de se deixar levar à luta pelo inimigo", seja valendo-se de meios estratégicos ou táticos. O comandante deve, de qualquer modo, sustentar sua iniciativa, pois sem ela sua derrota, e quem sabe até a completa aniquilação, será certeira. 7. Reforça a importância de dispor as tropas de maneira flexível, sempre de acordo não apenas com a própria posição e situação, mas também com o posicionamento e as condições do inimigo, e a topografia. 8. Exprime a enorme importância de "conhecer bem não apenas o inimigo, mas a si mesmo" caso deseje sair vencedor. Dentro do quadro atual, isso significa ser realista, prático e estar ciente de tudo o que está em jogo ames de tomar a decisão em favor do confronto. Suposições de caráter subjetivo e ações impensadas definitivamente o levarão à derrota. 9. Advoga o uso imprevisível de tropas para garantir que o inimigo seja surpreendido. Explica que, ao deflagrar um ataque, é preciso ter certeza quanto à sua esmagadora superioridade - como a de um tigre que ataca uma ovelha. Salienta que as batalhas devem terminar de modo tão repentino como foram iniciadas.