Living Interplanetary Flight Experiment

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Living Interplanetary Flight Experiment
Operação Estados UnidosThe Planet Society
Contratantes principais Roskosmos e
NPO Lavochkin
Tipo de missão Experimento astrobiológico a bordo da espaçonave Fobos-Grunt
Destino Phobos
Lançamento 8 de Novembro de 2011
Veículo de Lançamento Zenit
Duração da missão 3 anos
Fim da missão 15 de Janeiro de 2012 (destruído na reentrada após falha em deixar a órbita terrestre)
Site www.planetary.org
Massa Menos de 100 gramas


O Living Interplanetary Flight Experiment (Experimento Vivo em Voo Interplanetário)[1] (LIFE ou Phobos LIFE[2] ) foi uma missão interplanetária desenvolvida pela Sociedade Planetária. Consistia em enviar microorganismos selecionados em uma viagem interplanetária de ida e volta com duração de três anos, em uma pequena cápsula a bordo da sonda russa Fobos-Grunt em 2011, que foi uma missão malsucedida com o objetivo de coletar e trazer amostras da lua marciana Phobos. A Fobos-Grunt falhou em deixar a órbita terrestre[3] e foi destruída.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Asian Scientist, "Phobos-Grunt Mission Carrying Yinghuo-1 Space Probe Suffers Technical Glitch", Srinivas Laxman, 9 November 2011
  2. The Planetary Society, "Phobos LIFE Ready to Launch", Bruce Betts, September 2011 (accessed 11-11-11)
  3. Falha em propulsor impede que estação interplanetária russa chegue a Marte UOL Notícias. (9/11/2011). Página visitada em 11/10/2012.