Lodewijk van den Berg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lodewijk van den Berg

Astronauta da NASA
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Nascimento 24 de Março de 1932 (82 anos)
Sluiskil, Holanda
Missões STS-51-B
Insígnia
da missão
Sts-51-b-patch.png

Lodewijk van den Berg (Sluiskil, 24 de março de 1932) é um ex-astronauta e engenheiro químico norte-americano nascido na Holanda.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Van den Berg foi educado na Holanda, onde formou-se em engenharia química na Universidade Técnica de Delft[1] . Após a graduação, mudou-se para os Estados Unidos, onde continuou os estudos em seu campo na Universidade de Delaware, conseguindo doutorado em ciência aplicada e filosofia.[2] Depois de ter seu título de PhD, ele começou a trabalhar numa empresa da Califórnia na área de pesquisa de crescimento de cristais. A empresa, EG&G Corporation, era um contratada de encomendas do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, lidando com pesquisas e informações sensíveis. Isto fez com que ele fosse obrigado a naturalizar-se norte-americano.

Na EG&G ele atuou no campo da cristalização de matéria, e enquanto pesquisava esta ciência sugeriu à NASA que realizasse experiências com o crescimento de cristais no espaço, com o que a agência espacial concordou.[2]

NASA[editar | editar código-fonte]

Van den Berg e seus colegas criaram um experimento chamado Sistema de Crescimento de Cristais a Vapor na EG&G, especialmente para teste num voo do ônibus espacial. A experiência exigia um operador a bordo da espaçonave, em voo orbital, e a NASA decidiu que seria mais fácil treinar um dos cientistas da empresa pra um voo do que um astronauta comum em química aplicada.

A NASA pediu à empresa e a Berg que fizessem uma lista de oito nomes que consideravam capazes de se qualificar num treinamento de astronauta, mas ele e seu chefe, o Dr. Harold A. Lamonds, só conseguiram sete nomes com o perfil necessário, entre os químicos que trabalhavam com crescimento de cristais. De brincadeira, Lamonds sugeriu a Berg que se incluísse na lista, para que conseguissem os oito nomes, dizendo que, devido à sua idade, óculos grossos e físico modesto, sem dúvida ele seria eliminado na primeira série de testes. Van den Berg concordou em se incluir, mas sem esperar que pudesse ser cogitado pela NASA para a função.[3]

A primeira fase da seleção consistiu em testes de qualificação científica no campo em questão, a qual ele passou facilmente. A segunda fase, com quatro candidatos, constou de testes de aptidão física e mental, que ele também ultrapassou, sobrando apenas dois candidatos para o posto. Como a NASA sempre treina dois candidatos para a mesma função numa missão, um titular e um reserva, Van den Berg e seu colega começaram os treinamentos finais no início de 1983. Seis meses antes da missão, ele foi comunicado, muito para sua surpresa, que tinha sido escolhido como oastronauta titular. Quando ele foi ao espaço, em abril de 1985, tinha 53 anos e era um dos mais velhos astronautas novatos da história da exploração espacial.[1]

Astronauta[editar | editar código-fonte]

Cristais na microgravidade dentro do Sistema de Crescimento de Cristais a Vapor, na Challenger.

Lodewijk van den Berg foi ao espaço como especialista de carga da STS-51-B Challenger, lançada de Cabo Kennedy em 29 de abril de 1985, a primeira missão operacional do laboratório espacial Spacelab 3, levado no compartimento de carga da Challenger. Nela, ele liderou a tripulação nas pesquisas de crescimento de cristais na microgravidade com o experimento a vapor, simulação de atmosfera planetária e solar, raios cósmicos, e monitoração médica de humanos e cobaias de laboratório.

Ao fim da missão, ele havia passado sete dias no espaço, completado 110 órbitas e viajado por 2,9 milhões de milhas náuticas.[2]

De volta à Terra, Van den Berg continuou fazendo pesquisas em seu campo na EG&G, onde tornou-se chefe do departamento de ciência dos materiais. Mais tarde mudou-se para a Flórida, onde assumiu o cargo de cientista-chefe da Constellation Technology Corporation. Em 2004, aos 72 anos, ele continuava a trabalhar em suas pesquisas com cristais, um processo que compara à jardinagem. Os cristais que ele produziu foram usados para fazer detectores de precisão de radiação nuclear; estes detectores são usados em equipamentos médicos, em materiais da indústria de Defesa e pela Agência Internacional de Energia Atómica.[3]

Van den Berg ainda visita sua Holanda natal a cada dois anos.[1] Recentemente foi tema de um documentário de curta-metragem chamado The Forgotten Astronaut (O Astronauta Esquecido)[3] . Em setembro de 2007, o asteróide 11430 Lodewijkberg foi assim batizado em sua homenagem.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c van Engelen, Gert. "Niet Wubbo maar Lodewijk van den Berg was de eerste", pp. 23–26. Página visitada em 2008-04-09. (em holandês)
  2. a b c Payload Specialist Astronaut Bio: Lodewijk van den Berg Lyndon B. Johnson Space Center, NASA (May 1985). Visitado em 2008-04-09.
  3. a b c De `vergeten astronaut` [documentary]. Netwerk, NCRV and Evangelische Omroep. Acessado em 2008-04-09.
  4. JPL Small-Body Database Browser: 11430 Lodewijkberg (9560 P-L) NASA, Jet Propulsion Lab. Visitado em 2008-06-26.

Ligações externass[editar | editar código-fonte]