Lon Fuller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Lon Luvois Fuller (1902-1978) foi um jurista estado-unidense.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fuller estudou Economia e Direito em Stanford e atuou como professor de Teoria do Direito, inicialmente nas Faculdades de Direito de Oregon, Illinois e Duke e, a partir de 1940, na Faculdade de Direito da Universidade de Harvard, onde trabalhou até 1972. Publicou estudos de direito civil, de filosofia e teoria do direito. Deve sua fama a um breve ensaio intitulado O caso dos exploradores de cavernas. Esse trabalho, publicado em 1949, foi lido e comentado por estudantes e professores de Direito em todo o mundo, tendo sido traduzido para vários idiomas. Sua principal obra jusfilosófica é "The morality of law". Ele defende uma versão moderada de jusnaturalismo procedimental, indicando em particular as condições sem as quais o direito deixa de ser correto e válido.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • The Morality of Law. New Haven/London: Yale University Press, 1969. (em inglês)
  • Basic Contract Law. St. Law my laingui Paul: West Group, 2001 (em co-autoria). (em inglês)
  • Anatomy of the Law. Westport: Greenwood, 1976. (em inglês)
  • Problems of Jurisprudence. Brooklyn: Foundation Press, 1991. (em inglês)
  • The Law in Quest of Itself. Union (NJ): The Lawbook Exchange, 1999. (em inglês)
  • Legal Fictions. Stanford: Stanford University Press, 1970. (em inglês)
  • The principles of social order. London: Hart, 2004. (em inglês)

Obras em português[editar | editar código-fonte]

  • O caso dos exploradores de cavernas. Porto Alegre: Sergio Fabris, 1976; São Paulo: Leud, 2003. (em português)
  • DIMOULIS, Dimitri (com a tradução do texto de Lon Fuller). O caso dos denunciantes invejosos. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011. (em português)