Lost (série de televisão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lost
Perdidos (PT)
Lost (BR)
Logotipo da série
Informação geral
Formato Série
Duração 40~48 min
Criador(es) Jeffrey Lieber
Damon Lindelof
J.J. Abrams
País de origem  Estados Unidos
Idioma original inglês/coreano/árabe/francês
Produção
Diretor(es) Jack Bender
Stephen Williams
Paul A. Edwards
Tucker Gates
Produtor(es) Damon Lindelof
J.J. Abrams
Carlton Cuse
Bryan Burk
Adam Horowitz
Edward Kitsis
Jack Bender
Stephen Williams
Elizabeth Sarnoff
Samantha Thomas
David Fury
Jeff Pinkner
Brian K. Vaughan
Patricia Churchill
Jennifer Johnson
Jean Higgins
Greggory Nations
Melinda Hsu
Paul Zbyszewski
Jesse Alexander
Elenco Adewale Akinnuoye-Agbaje
Sam Anderson
Naveen Andrews
L. Scott Caldwell
Nestor Carbonell
Henry Ian Cusick
Jeremy Davies
Emilie de Ravin
Michael Emerson
Jeff Fahey
Fionnula Flanagan
Matthew Fox
Jorge Garcia
Maggie Grace
Josh Holloway
Malcolm David Kelley
Daniel Dae Kim
Yunjin Kim
Ken Leung
Evangeline Lilly
Rebecca Mader
Elizabeth Mitchell
Dominic Monaghan
Terry O'Quinn
Harold Perrineau
Zuleikha Robinson
Michelle Rodriguez
Kiele Sanchez
Ian Somerhalder
John Terry
Sonya Walger
Cynthia Watros
Rodrigo Santoro
Exibição
Emissora de
televisão original
Estados Unidos ABC
Formato de exibição 480p (SDTV)
1080i (HDTV)
Transmissão original 22 de setembro de 2004 - 23 de maio de 2010
N.º de temporadas 6
N.º de episódios 121 (lista de episódios)

Lost foi uma premiada série de televisão norte-americana de drama e ficção científica que seguiu a vida dos sobreviventes de um acidente aéreo numa misteriosa ilha tropical, após o avião que viajava de Sydney, Austrália para Los Angeles, Estados Unidos cair em algum lugar do Oceano Pacífico.

A série teve um estilo único que seguia dois tipos de histórias não ligadas entre si: primeiro, a luta dos 48 sobreviventes do desastre para sobreviver e viver juntos na ilha, e segundo, a vida das personagens principais, antes do desastre, através de retrospectivas pessoais, os flashbacks, flashforwards e flash-sideways. Lost foi criada por Jeffrey Lieber, J. J. Abrams e Damon Lindelof e foi filmada em Oahu, Havaí.[1] O episódio piloto foi ao ar nos Estados Unidos em 22 de setembro de 2004.[2] Lost foi produzida por ABC Studios, Bad Robot Productions e Grass Skirt Productions e foi exibida pela Rede ABC em seu país de origem. A música incidental foi produzida por Michael Giacchino. Os produtores executivos são Abrams, Lindelof, Carlton Cuse, Jack Bender, Jeff Pinkner e Bryan Burk.[3] Por causa de seu vasto elenco e os custos de se filmar no Havaí, a série é uma das mais caras produzidas até hoje.[4]

Sucesso de crítica e público, a série teve uma média de 15,5 milhões de espectadores por episódio durante todo o seu primeiro ano de exibição, garantindo vários prêmios da indústria audiovisual, incluindo o Award Emmy para Melhor Série televisiva na categoria drama em 2005,[5] melhor série americana importada na Academia Britânica de Prêmios Televisivos também em 2005 [6] e o Golden Globe Award para Melhor Série (drama) em 2006.

A série foi logo agregada à cultura pop americana, por ser um fenômeno que encanta cada vez mais espectadores e mídias externas, como comerciais,[7] revistas em quadrinhos, webcomics, revistas de humor e canções populares. O universo fictional da série foi explorado também através de novelas e de jogos de realidade alternativa, com o Lost Experience e o Find 815.[8]

Em maio de 2007 foi anunciado que Lost continuaria com a quarta, quinta e sexta temporadas, concluindo com o 121º episódio produzido em maio de 2010. As três últimas temporadas consistiriam-se de apenas 16 episódios, exibidos semanalmente sem interrupções ou reprises.[9] [10] No entanto, devido à Greve dos roteiristas dos Estados Unidos, a quarta temporada foi encurtada para 14 episódios, incluindo o episódio final de três horas (exibido em diferentes noites para não colidir com os términos de temporadas de Ugly Betty e Grey's Anatomy).[11] A quarta temporada estreou no dia 31 de janeiro de 2008[12] nos Estados Unidos e terminou no dia 29 de maio de 2008. Uma outra consequência da greve foi a decisão da ABC de prolongar o final de duas temporadas de Lost, adicionando um décimo sétimo episódio de cada época restante.[13]

Lost acabou em sua sexta temporada, contabilizando um total de 121 episódios[14] , com seu último episódio exibido no dia 23 de maio de 2010.[14] . A 6ª temporada teve 18 episódios.[14] .

Produção[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

Lost começou a ser desenvolvida em janeiro de 2004, quando o então diretor do canal ABC, Lloyd Braun encomendou um roteiro inicial, baseado numa ideia que ele afirmava já ter há algum tempo, uma mistura do filme Cast Away e do reality show Survivor. Furioso com o resultado obtido na primeira e segunda tentativas, Braun contratou J.J. Abrams, criador da série cult Alias, para escrever um novo episódio piloto. Apesar de inicialmente hesitante, Abrams entusiasmou-se com o projeto e depois acabou por colaborar com Damon Lindelof, para criar o estilo próprio da série e das suas personagens.[15] A gestação do programa esteve constrita a prazos apertados - pelo fato de ter sido iniciada próximo demais do início da temporada televisiva - no entanto a equipe criativa manteve-se sempre flexível para modificar ou criar personagens que se adequassem ao elenco de atores escolhidos.

O episódio piloto de Lost foi o mais caro da história da televisão, tendo custado entre 10 e 14 milhões de dólares.[16] O programa tornou-se um dos maiores sucessos comerciais da televisão em 2004 e, juntamente com a outra série estreante da ABC, Desperate Housewives, ajudou a reverter a má fase do canal televisivo.[17] No entanto, Lloyd Braun foi demitido pelos executivos da Disney, dona da ABC, por ter aprovado um projeto tão caro e arriscado.[15]

Lost ganhou o Emmy Award for Outstanding Drama Séries e Abrams foi premiado com o Emmy em setembro de 2005 pelo seu trabalho como realizador. Em janeiro de 2006 ganhou o Golden Globe Award para Melhor Drama Televisivo. Em 2005, Lost foi escolhido por vários internautas de todo o mundo, como a melhor série de televisão.

Em maio de 2007, o presidente da ABC Entertainment, Stephen McPherson, anunciou que Lost terminará em 2010. "Nós sentíamos que esta era a única maneira de dar a Lost um final criativo e apropriado", disse McPherson. Começando com a temporada de 2008, haverá 48 episódios até o final da série, programados para serem transmitidos em três temporadas: 4ª temporada (14 episódios), 5ª temporada (17 episódios) e 6ª temporada (17 episódios), que será a última. Estas temporadas começaram em 2008 e vão até 2010, com um intervalo de sete meses entre cada. Nos Estados Unidos, as temporadas iniciam-se em janeiro e terminaram em maio de 2010.

O aviso da ABC foi chamado de "sem precedentes" pelos produtores executivos Damon Lindelof e Carlton Cuse. Lindelof e Cuse também disseram que "Lost tem um início, um meio e um fim". O co-criador J.J. Abrams também elogiou a decisão, comentando que "é a opção apropriada para a série e seus telespectadores. Aplaudo a ABC e Touchstone Television pela decisão".

Episódios e estrutura da série[editar | editar código-fonte]

Cada episódio começa geralmente com um cold open — uma técnica usada em televisão e cinema, que consiste em saltar diretamente para a história, no início ou abertura do programa, antes mesmo da sequência de títulos e créditos ser apresentada — precedidos por uma revisão do que aconteceu nos episódios anteriores dando segmento para a narrativa que se segue.

Numa conjuntura dramática, a tela fica preta e o título do programa ligeiramente desfocado, vai aproximando-se do espectador, ficando cada vez mais nítido ao mesmo tempo que se faz acompanhar por um som discordante e ameaçador (esta abertura é a da transmissão original, em outros países ela pode ser diferente).

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Enquanto há uma continuidade geral da história, os eventos na ilha vão sendo intercalados, frequentemente, com histórias paralelas através dos flashbacks (a partir de determinado momento também flashforwards) que expandem a história a determinados personagens de cada episódio. Os flashbacks mostram um pouco da vida de cada personagem antes do acidente, e isso ajuda a desvendar alguns mistérios no desenrolar da história. Os flashforwards mostram o futuro de alguns personagens, quando os mesmos deixarem a ilha. E os flash side-ways, até o último episódio da série, todos achavam que ele mostrava o que aconteceria com os personagens se eles nunca tivessem ido á ilha, mas é revelado que na verdade eles mostram um plano espiritual, em que os personagens criaram para se encontrarem um com o outro após a morte.

Muitos episódios começaram, assim como o primeiro, com alguma pessoa abrindo seu olho. A partir da segunda temporada, há closes não só no começo, como também no meio do episódio. Já o último episódio de Lost , The End, é finalizado com o olho de Jack se fechando, encerrando a série. Alguns episódios terminam com uma reviravolta inesperada, repleta de suspense e tensão, revelada apenas segundos antes da imagem ser cortada e tudo ficar negro, assim aparecendo novamente o letreiro "Lost", mas agora mais nítido. Outros, os que incluem uma resolução para o enredo, terminam com uma cena final de reflexão que é acompanhado do corte para o letreiro.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Música[editar | editar código-fonte]

Lost apresenta música incidental composta por Michael Giacchino, cuja trilha sonora é principalmente orquestrada e incorpora vários temas recorrentes para eventos e personagens. A trilha é interpretada pela Hollywood Studio Symphony. No podcast oficial da série, Michael Giacchino revelou que ele conseguiu alguns sons para a trilha utilizando instrumentos incomuns, como pedaços suspensos da fuselagem do avião.[18]

Em 21 de março de 2006, a gravadora Varèse Sarabande lançou a trilha sonora original da 1ª temporada de Lost. O álbum incluía algumas versões completas dos temas mais populares da temporada e a música de abertura, que foi composta pelo criador do programa, J.J. Abrams. A Varèse Sarabande lançou a trilha sonora da segunda temporada em 3 de outubro de 2006.[19]

Canções da cultura popular também são utilizadas ocasionalmente na série, já que a trilha principal é orquestrada. Quando tais canções são executadas, provêm geralmente de uma fonte diegética, ou seja, geralmente são geradas através da ação de uma personagem. Por exemplo, as várias canções executadas no reprodutor de CD portátil de Hurley na primeira temporada ou o uso do reprodutor de vinil — o que inclui "Make Your Own Kind of Music" de Cass Elliot na estréia da segunda temporada e "Downtown" de Petula Clark na estréia da terceira temporada.

Em algumas transmissões internacionais, uma música alternativa é utilizada, como na transmissão japonesa da série, na qual a canção-tema da primeira temporada é "Here I Am" da banda Chemistry e a da segunda temporada é "Losin'" de Yuna Ito.

Local das filmagens[editar | editar código-fonte]

A doca vista em Live Together, Die Alone.

Lost é filmada em película de 35 mm, com câmeras Panavision, na sua maior parte na ilha havaiana de Oahu. As cenas originais da ilha que aparecem no episódio piloto foram filmadas na praia de Mokulēʻia, próximo do noroeste da ilha. As cenas da praia que se seguiram foram tendo lugar em locais isolados na famosa Costa Norte. As cenas da caverna na primeira temporada foram gravadas num cenário montado dentro do antigo edifício de escritórios da Xerox, que foi abandonado em 1999, porque nele sete pessoas foram assassinadas.[20]

Várias áreas urbanas dentro e fora de Honolulu são usadas para representar outros locais à volta do mundo como Los Angeles, Coréia do Sul, Iraque e Austrália. Por exemplo, a cena do aeroporto de Sydney foi na realidade filmada no Centro de Convenções Havaiano, enquanto que um bunker da 2ª Guerra Mundial foi utilizado para representar as instalações da Guarda Republicana Iraquiana.[21]

Distribuição online[editar | editar código-fonte]

Em adição a tradicional transmissão terrestre e via satélite, Lost tem estado na vanguarda dos novos métodos de distribuição televisiva. Foi uma das primeiras séries disponíveis no catálogo da Apple iTunes Store para reprodução em iPods ou dentro do software iTunes. Desde outubro de 2005, novos episódios, sem comerciais, foram disponibilizados para download no dia seguinte a terem ido ao ar pela ABC, somente para Americanos.

Em abril de 2006, a Disney anunciou que Lost estava disponível gratuitamente online no formato streaming, com publicidade, no site do ABC, como parte de uma experiência de dois meses de futuras estratégias de distribuição. O teste, que decorreu entre maio e junho de 2006, provocou uma agitação entre a rede de afiliadas que tinham medo de serem cortadas fora das receitas publicitárias. Os episódios em streaming de Lost direto do site da ABC estava disponíveis apenas para os telespectadores nos Estados Unidos, devido aos acordos internacionais de licenciamento.[22] [23]

O Channel 4 do Reino Unido também permitiu o acesso online à série.[24] Ambas as partes do "piloto" estavam disponíveis para exibição gratuitamente, e outros episódios ao custo de £ 0,99 cada. Os episódios da segunda temporada eram disponibilizados duas semanas após a sua estréia no Channel 4, e expiravam após alguns meses. Devido aos acordos de licença, o serviço só está disponível no Reino Unido. O Channel 4 acertou com a Virgin Media a distribuição por Video sob Demanda (On Demand), permitindo que os telespectadores assistam a Primeira, Segunda e Terceira Temporadas em qualquer momento e em HD. 24 horas por dia de aluguel custa £ 0,99 por episódio. Eles também estão disponíveis na definição Standard como parte de uma assinatura com a TV Choice on Demand Service.

Desde terceiro trimestre de 2006, a rede francesa TF1 tem permitido o acesso on-line a versão em Francês da 2ª temporada; os episódios custam 1,99.[25] Cada episódio é disponibilizado online depois de ter sido transmitido pelo canal.

Desde 6 de agosto de 2007, a Virgin Media disponibilizou toda a 1ª Temporada para exibição no serviço On Demand, avaliado para todas as subsidiárias da Virgin TV.[26]

Em 29 de agosto de 2007, Lost tornou-se disponível para download na iTunes Stores no Reino Unido.[27] Ao contrário do Channel 4, os episódios baixados não expiram.[28] [29]

Em 21 de setembro de 2007, a ABC anunciou que Lost estava agora disponível para download no serviço AOL Video juntamente com outros programas da rede.[30]

Desde dezembro de 2007, a Virgin Media disponibilizou toda a 2ª Temporada para exibição no serviço On Demand, avaliado para todas as subsidiárias da Virgin TV.[26]

A partir de janeiro de 2008, os episódios das 3 temporadas estão disponíveis em HD por Streaming Video no site da ABC. Todos os episódios também estão disponíveis para download no serviço Xbox Live da Microsoft em ambos os formatos, padrão e HD.

Desde janeiro de 2008, as cinco primeiras temporadas estão sendo divulgadas no site do portal e a 6ª temporada está sendo exibida semanalmente, com atraso de uma semana em relação à TV americana. Os episódios ficam disponíveis por apenas uma semana. A visualização é feita online, e pode-se optar por dublado ou legendado.[31]

Elenco e personagens[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem Duração
Adewale Akinnuoye-Agbaje Mr. Eko 2005-2006
Naveen Andrews Sayid Jarrah 2004-2010
Nestor Carbonell Richard Alpert 2007-2010
Henry Ian Cusick Desmond David Hume 2005-2010
Jeremy Davies Daniel Faraday 2008-2010
Emilie de Ravin Claire Littleton 2004-2010
Michael Emerson Benjamin Linus 2005-2010
Jeff Fahey Frank Lapidus 2008-2010
Matthew Fox Jack Shephard 2004-2010
Jorge Garcia Hugo "Hurley" Reyes 2004-2010
Maggie Grace Shannon Rutherford 2004-2005/2007/2010
Josh Holloway James "Sawyer" Ford 2004-2010
Malcolm David Kelley Walt Lloyd 2004-2009
Daniel Dae Kim Jin-Soo Kwon 2004-2010
Yujin Kim Sun-Hwa Kwon 2004-2010
Ken Leung Miles Straume 2008-2010
Evangeline Lilly Katherine Anne Austen 2004-2010
Rebecca Mader Charlotte Staples Lewis 2008-2010
Dominic Monaghan Charlie Pace 2004-2008/2010
Elizabeth Mitchell Juliet Burke 2006-2010
Terry O'Quinn John Locke 2004-2010
Harold Perrineau Michael Dawson 2004-2008/2010
Michelle Rodriguez Ana-Lucia Cortez 2005-2006/2009-2010
Zuleikha Robinson Ilana Verdansky 2009-2010
Kiele Sanchez Nikki Fernandez 2006-2007
Rodrigo Santoro Paulo 2006-2007
Ian Somerhalder Boone Carlyle 2004-2007/2010
Cynthia Watros Elizabeth "Libby" Smith 2005-2006/2008/2010

Elenco secundário[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem Temporadas
Alan Dale Charles Widmore 2ª a 6ª
Fionnula Flanagan Eloise Hawking 3ª, 5ª e 6ª
Kevin Durand Martin Keamy 4ª - 6ª
L. Scott Caldwell Rose Nadler 1ª a 6ª
Marsha Thomason Naomi Dorrit 3ª - 5ª
Brad William Henke Bram 5ª - 6ª
Fredric Lehne Edward Mars 1ª - 3ª/6ª
John Terry Christian Shephard 1ª a 6ª
Mira Furlan Danielle Rousseau 1ª a 4ª - 6ª
Sam Anderson Bernard Nadler 2ª - 6ª
Sonya Walger Penelope Widmore/Penelope Hume 2ª a 6ª
Tania Raymonde Alex Linus 2ª a 6ª
William Blanchette Aaron Littleton 1ª - 5ª
Madison Vincent 1ª - 6ª
William Mapother Ethan Rom 1ª - 3ª/5ª - 6ª
Mark Pellegrino Jacob 5ª - 6ª
Titus Welliver Samuel / MIB 5ª - 6ª

História dos personagens[editar | editar código-fonte]

Das 324 pessoas a bordo, inicialmente havia 72 sobreviventes (71 pessoas e 1 cão) espalhados pelas três seções da queda do avião. Na abertura da temporada havia 14 personagens principais, fazendo com que Lost tenha o segundo maior elenco de uma série de televisão Americana, atrás somente de Desperate Housewives. Quanto maior o elenco, mais cara a produção, mas os escritores se beneficiam de uma maior flexibilidade nas decisões da história. Segundo o produtor executivo da série, Bryan Burk, "Você pode ter mais interações entre os personagens, criar outros, mais histórias, mais triângulos amorosos."[32]

A temporada inicial tinha 14 grandes papéis creditados na abertura. Naveen Andrews como o soldado Iraquiano Sayid Jarrah. Emilie de Ravin interpretando a Australiana grávida Claire Littleton. Matthew Fox como o cirurgião Jack Shephard. Jorge Garcia como Hugo "Hurley" Reyes, um azarado ganhador da loteria. Maggie Grace interpretando Shannon Rutherford, uma professora de balé, Josh Holloway como James "Sawyer" Ford. Yujin Kim como Sun-Hwa Kwon, filha de um poderoso empresário coreano e mafioso, com Daniel Dae Kim como seu marido Jin-Soo Kwon. Evangeline Lilly como a fugitiva Kate Austen. Dominic Monaghan como o ex-rock star drogado Charlie Pace. Terry O'Quinn interpretando o misterioso John Locke. Harold Perrineau como o construtor Michael Dawson, e Malcolm David Kelley como seu filho, Walt Lloyd. Ian Somerhalder interpretando Boone Carlyle, COO da empresa de casamentos de sua mãe e meio irmão de Shannon.

O seriado também elimina alguns personagens para dar espaço a novos; Boone fora eliminado na 1ª temporada, e Walt também, sendo sequestrado no último episódio. A segunda temporada viu a introdução da ex-policial e segurança de aeroporto Ana-Lucía Cortez interpretada por Michelle Rodriguez, o padre e ex-criminoso Nigeriano Mr. Eko interpretado por Adewale Akinnuoye-Agbaje, e a suposta psicóloga clínica Libby representada por Cynthia Watros. Shannon, Ana-Lucia e Libby foram mortas ao fim da temporada, e Michael também saiu no fim da temporada, deixando a ilha, junto de seu filho.

Na 3ª temporada, 2 atores que eram secundários na temporada anterior, passaram a ter papéis principais: Henry Ian Cusick foi creditado como o Escocês Desmond David Hume, e Michael Emerson no papel de Benjamin "Ben" Linus (outrora conhecido como Henry Gale), líder da civilização conhecida pelos sobreviventes como "Outros." No elenco novo, também se encaixavam três novos atores: Elizabeth Mitchell, como a médica de fertilidade Juliet Burke, Kiele Sanchez, como a atriz golpista Nikki Fernandez. Eko foi eliminado no começo da temporada, Paulo e Nikki próximo ao fim dela. Charlie também foi morto no episódio final da terceira temporada.

Na 4ª temporada, Harold Perrineau se junta novamente ao elenco principal para reviver Michael Dawson.[33] Juntamente com Perrineau, são apresentados três novos personagens, Jeremy Davies é Daniel Faraday um físico insano, que assume um particular interesse científico na ilha, Ken Leung como Miles Straume, capaz de se comunicar com os mortos, e Rebecca Mader como Charlotte Staples Lewis uma determinada antropologista.[34] No final da temporada, Michael Dawson deixa novamente a série, desta vez sendo morto. Juntamente com ele, Emilie de Ravin, também deixa o elenco, com sua personagem, Claire Littleton desaparecendo.

Na 5ª temporada, nenhum acrescimo é feito ao elenco. Rebecca Mader, interprete de Charlotte Lewis deixa a série no início da temporada. Jeremy Davies e Elizabeth Mitchell deixam o elenco também, quando seus personagens, Faraday e Juliet morrem no fim da temporada.

Na última temporada, Emilie de Ravin retorna como fixa interpretando Claire Littleton. Henry Ian Cusick começa a temporada como convidado especial, mas logo retorna a seu papel fixo interpretando Desmond David Hume. Nestor Carbonell, Jeff Fahey e Zuleikha Robinson, intérpretes de Richard Alpert, Frank Lapidus e Ilana Verdansky, deixam de ser secundários e se juntam aos atores fixos. Nessa mesma última temporada, vários antigos membros do elenco fixo retornam para partipações em alguns episódios. Como Dominic Monaghan, Elizabeth Mitchell, Ian Somerhalder, Harold Perrineau Jr., Jeremy Davies, Rebecca Mader, Michelle Rodriguez, Cynthia Watros e Maggie Grace, com seus personagens Charlie Pace, Juliet Burke, Boone Carlyle, Michael Dawson, Daniel Faraday, Charlotte Lewis, Ana-Lucía Cortez, Libby e Shannon Rutherford. Os únicos atores principais que ficam de fora da última temporada foram Adewale Akinnuoye-Agbaje e Kiele Sanchez. Se formos contar apenas com cenas inéditas, Malcolm David Kelley (interprete de Walt Lloyd) também faria parte do grupo dos atores que não participaram da temporada, já que sua única aparição foi um breve arquivo da primeira temporada.

Há também personagens secundários recorrentes, como o dentista Bernard Nadler (Sam Anderson) e sua esposa portadora de câncer, Rose Henderson (L. Scott Caldwell), que inclusive receberam um episódio central, a francesa Danielle Rousseau (Mira Furlan), o cachorro Vincent (Madison), a paraquedista Naomi Dorrit (Marsha Thomason), o vilão Martin Keamy, interpretado por Kevin Durand, entre outros. Alguns personagens apareceram em flashbacks e na própria ilha, como um grupo de nativos da ilha conhecidos por Outros, o pai de Jack e Claire, Christian (John Terry), o empresário Charles Widmore (Alan Dale), o agente federal Edward Mars (Fredric Lehne) a aeromoça Cindy (Kimberley Joseph) e mais alguns.

Sinopse das temporadas[editar | editar código-fonte]

1ª temporada (2004/2005)[editar | editar código-fonte]

A 1ª temporada começou a ser transmitida nos Estados Unidos em 22 de setembro de 2004 composta por 25 episódios.

O vôo 815 da companhia aérea Oceanic Airlines, cai na costa do que aparenta ser uma ilha tropical deserta, forçando o grupo de estranhos a trabalhar em conjunto para se manterem vivos. No entanto, a sua sobrevivência é ameaçada por vários mistérios, incluindo uma escotilha metálica enterrada no solo, uma criatura que vagueia pela selva e os habitantes da ilha conhecidos como "Os Outros". Os sobreviventes descobrem que um dos seus não é quem parece ser e encontram uma mulher francesa chamada Danielle Rousseau, cuja equipe naufragou há 16 anos.

2ª temporada (2005/2006)[editar | editar código-fonte]

A segunda temporada teve 24 episódios e começou a ser transmitida a 22 de setembro de 2005. Um tema prevalecente em toda temporada é o conflito entre fé e ciência.

A história continua 44 dias depois da queda do avião. É revelada a existência da misteriosa Dharma Initiative e o seu benfeitor, Hanso Foundation. Vários personagens novos aparecem, incluindo os sobreviventes da cauda do avião Ana-Lucía Cortez, Bernard, Libby e Mr. Eko. São igualmente apresentados Desmond um homem que tem que apertar um botão na escotilha digitando os números maus — 4, 8, 15, 16, 23, 42 — para salvar o mundo, um homem que diz chamar-se Henry Gale, e ainda outros habitantes da ilha. A verdade sobre os "Outros" começa a revelar-se.

3ª temporada (2006/2007)[editar | editar código-fonte]

A terceira temporada teve 23 episódios e estreou em 4 de outubro de 2006.

O público conheceu mais sobre a Iniciativa Dharma e sua ligação com os "Outros". O mundo destas pessoas que viviam na ilha antes da queda do vôo 815 e seus mistérios é explorado. Outros temas recorrentes são o poder de clarividência desenvolvido por Desmond (envolvendo freqüentemente a morte de Charlie) e uma possibilidade real de resgate para os sobreviventes. A temporada incluiu vários novos personagens ao universo da série, como Juliet Burke, a misteriosa integrante do bando Os Outros; Nikki Fernandez, uma atriz gananciosa que mantinha um relacionamento com Paulo; Naomi Dorrit, uma paraquedista que veio a ilha com interesses desconhecidos, entre outros. Jack faz contato com um navio cargueiro, e todos esperam ser resgatados pelo navio.

4ª Temporada (2008)[editar | editar código-fonte]

A 4ª temporada foi planejada (antes da greve dos Roteristas) para ter 16 episódios, iniciando sua transmissão nos Estados Unidos e Canadá no dia 31 de janeiro de 2008. Devido à greve dos roteristas, a temporada foi concluída com 14 episódios, constituídos de 8 antes da greve e 6 pós-greve, retomados em 24 de abril, nos Estados Unidos. Isso inclui um episódio final de 3 horas de duração denominado "There's no Place Like Home". A primeira parte foi ao ar na quinta-feira do dia 15 de maio, e as partes 2 e 3, num especial de 2 horas, no dia 29 de maio.[35] A 4ª temporada de Lost difere e muito das outras temporadas, possuindo um "esquema" com mais suspense e mistérios. A narrativa mudou seu foco. Nesta temporada, um navio cargueiro estabelece contato com os sobreviventes com a intenção de resgata-los, porém ao decorrer dos episódios, temos em descoberta de que eles não são quem dizem ser, resultando em novos mistérios e conflitos entre os sobreviventes e os falsos salva-vidas. No fim, seis pessoas conseguem sair da ilha. Vale salientar também que foi nesta temporada que foi posto um fim nos flashbacks, dando lugar as visões do futuro de alguns personagens!

5ª Temporada (2009)[editar | editar código-fonte]

Nesta temporada, os sobreviventes vivem experiências catastróficas com o tempo e os seis da Oceanic que saíram da ilha no final da quarta temporada precisam voltar. Jin está vivo e descobrimos como Rousseau chegou à ilha, Ben divide-se ainda mais mostrando um outro caráter.

Kate não está com problemas em relação ao Aaron, querem tirá-lo dela, mas na verdade se trata de apenas uma armadilha de Ben para convencê-la a voltar à ilha. Locke parte em missão para buscar os seis da Oceanic. Começamos a descobrir relações entre o pessoal do cargueiro e a Iniciativa Dharma. Locke é assassinado por Ben em Los Angeles. Os sobreviventes agora fazem parte da iniciativa Dharma de 1977. Sun está em 2007 com Frank Lapidus e Ben. Mais sobreviventes estão na ilha, resultado de outro acidente aéreo, que trouxe os oceanic six de volta à ilha, sob o comando de Ben, já que Locke foi assassinado por ele. Partes do grupo volta no tempo, para 1977, onde se integram à Iniciativa Dharma. Os demais permanecem em 2007, inclusive "Locke". O Inimigo de Jacob se materializa como Locke e engana todos para que consiga convencer Ben a matar Jacob. A identidade de Jacob é revelada. Ilana, Bram, Lapidus e os seguidores de Jacob revelam à Richard, Sun e aos Outros o verdadeiro John Locke, morto dentro de uma caixa encontrada no compartimento de carga do avião. Logo após o assassinato de Jacob, a temporada termina com Juliet explodindo uma bomba de hidrogênio após ser sugada pela energia da Estação Cisne. Após a explosão, a tela fica branca e o letreiro de Lost vai ficando mais nítido com o passar dos segundos, e então o episódio termina.

6ª temporada (2010)[editar | editar código-fonte]

A trama da 6ª e última temporada de Lost se baseia no confronto final entre o bem e o mal, representados pelas figuras de Jacob e de seu irmão gêmeo, conhecido como "Fumaça Negra", respectivamente. Os agora poucos sobreviventes da queda do voo Oceanic 815 e aliados são diretamente influenciados à tomarem partido nesta batalha iminente que vai definir o futuro da ilha.

O objetivo de Jacob é o de proteger a ilha e a luz interna que a mantém "viva", portanto, recrutou candidatos ao redor do mundo ao longo de centenas de anos, trazendo-os à ilha para que um deles assuma seu posto após sua morte e continue detendo o "Homem de Preto", que deseja apagar a luz da ilha (o que causaria sua destruição) e fugir dela, para um mundo além do oceano. Dentre centenas de candidatos escolhidos por Jacob, apenas cinco estão vivos após sua morte: Jack Shepard, James "Sawyer" Ford, Sayid Hassan Jarrah, Hugo "Hurley" Reyes e Katherine Anne Austen (todos sobreviventes da queda do voo 815), cabendo a um deles, substituí-lo.

Além de contar com o auxílio dos tradicionais flashbacks, a sexta temporada inovou com os flashsideways, eventos que acontecem numa realidade onde todos os losties já estão mortos e vão se relembrando das coisas que viveram juntos, na medida em que vão se encontrando. Nesta realidade pós-morte, os losties tiveram a chance de redimir os erros cometidos em vida e quando o fizeram, encontraram a paz e a luz junto com as pessoas que mais tiveram importância em suas vidas: àquelas com quem estiveram juntas na ilha.

O derradeiro episódio de Lost, intitulado "The End", dividiu a opinião dos fãs da série, ao deixar sem respostas muitos mistérios propostos ao longo de seis anos para focar apenas em seus personagens, comprovando definitivamente que Lost é uma série que fala sobre pessoas e suas diversas relações, utilizando elementos mistícos e enigmáticos como meio de conduzir estas pessoas à lugares e situações diversas para que descubram mais sobre seu próprio eu e a sua própria redenção.

Mitologia[editar | editar código-fonte]

Em paralelo ao desenvolvimento dos personagens, os episódios de Lost incluem um número de misteriosos elementos que foram atribuídos a ficção científica ou a fenômenos sobrenaturais. Os criadores da série fazem referência a estes elementos que compõem a mitologia da série, e eles formam a base de especulações dos fãs.

Entre os elementos mitológicos da série, há um "monstro" que ronda a ilha; um urso polar em uma ilha tropical; um misterioso grupo de habitantes a quem os sobreviventes se referem como "Os Outros", uma organização chamada DHARMA Initiative que colocou várias estações de monitoramento e pesquisa na ilha; uma seqüência de números que têm feito freqüentes aparições na vida dos personagens do passado, presente e futuro, e ligações pessoais ou sincronizadas entre as personagens, que muitas vezes nem se conhecem.

Teorias desmistificadas[editar | editar código-fonte]

O coração da série é uma história complexa e crítica que desova inúmeras questões não resolvidas.[36] Incentivada pelo elenco e escritores de Lost, que muitas vezes interagem on-line com os fãs, leitores e críticos de Televisão tem tentado criar teorias generalizadas, numa tentativa de desvendar os mistérios. As teorias dizem sobretudo a respeito da natureza da ilha, a origem do "monstro" e dos "Outros", o significado dos números e as razões da queda do avião e a sobrevivência de alguns passageiros..

Várias das mais comuns teorias criadas por fãs foram discutidas e rejeitadas pelos criadores da série, as mais comuns sendo que os sobreviventes do Vôo 815 estão mortos ou no purgatório. Esta foi expressamente negada por J.J. Abrams.[37] Além disso, Lindelof rejeitou especulações de que naves espaciais ou aliens estavam influenciando os acontecimentos na ilha, ou que tudo não passava de um delírio coletivo. Carlton Cuse negou a teoria de que a ilha era um reality show da TV e que os sobrevientes seriam náufragos [38] e Lindelof, muitas vezes, já refutou a teoria de que o "monstro" é uma nuvem nanobótica semelhante a que estava presente no livro Prey de Michael Crichton.[39] [40]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Lost é uma série que gerou grande impacto e fez sucesso em inúmeros países, todo ano recebe inúmeras indicações de diversos prêmios entre Emmy Awards, Golden Globe Awards, Golden Reel Awards, Satellite Awards, Saturn Awards, TCA Awards, Teen Choice Awards, Writers Guild of America Award e inúmeros outros. Já acumulou em 5 temporadas, um total de 176 indicações, destas faturou 50 prêmios.

Impacto[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Índices de audiência de Lost nos Estados Unidos (baseado na média de exibições por episódio, incluindo reprises).

Temporada Horário exibido Começo da temporada Final da temporada Época Ranking Audiência
(em milhões)
Quarta 20:00
22 de setembro de 2004 25 de maio de 2005 2004–2005 #15 18.38[41]
Quarta 21:00 21 de setembro de 2005 24 de maio de 2006 2005–2006 #15 18.90[42]
Quarta 21:00 (durante 2006)

Quarta 22:00 (durante 2007)
4 de outubro de 2006 23 de maio de 2007 2006–2007 #14 15.05[43]
Quinta 21:00

Quinta 22:00
31 de janeiro de 2008 29 de maio de 2008 2008 #17 13.40[44]
Quarta 21:00
21 de janeiro de 2009 13 de maio de 2009 2009 #28 11.05[44]
Quarta 21:00
2 de fevereiro de 2010 23 de maio de 2010 2010 #31 10.31[44]

O episódio piloto teve uma média de 18.6 milhões de telespectadores, facilmente ganhando audiência do período das 8 às 9 horas e dando a ABC um rating mais forte desde os anos 2000, quando o programa Who Wants to Be a Millionaire? entrou no ar - batido somente no mês seguinte pela também estreante Desperate Housewives do mesmo canal. De acordo com a revista Variety, a ABC poderia usar o sucesso que a série estava tendo, como uma "carta na manga", já que não houve outro programa que competisse com ela desde a sua estréia. Lost representa o melhor começo da rede para um drama de faixa etária dos dezoito anos desde Once and Again em 1999 e maior audiência desde Murder One em 1995.[45]

O gráfico mostra classificações da audiência nos Estados Unidos (em milhões) por episódio a cada uma dos seis temporadas da série na ABC.

Baseado em sua abertura forte, a agência Reuters classificou-a como "a série de drama do momento", dizendo que o programa resultou num intenso beneficiamento para todo o tipo de marketing externo, incluindo propagandas em rádios, chamadas especiais e a primeira campanha do gênero anunciada pela ABC em cinco anos.[46] Após quatro episódios terem ido ao ar, a ABC anunciou que teria uma temporada completa.[47]

Para sua primeira temporada, Lost teve média de 16 milhões de telespectadores, e foi a 14ª atração mais vista da televisão norte-americana e a 15ª melhor série entre as dezoito em cartaz.[41] Sua segunda temporada foi igualmente bem: outra vez foi a 14ª atração mais vista, com uma média de 15,5 milhões de telespectadores. Entretanto melhorou sua avaliação entre as dezoito melhores séries do ano, indo para a 8ª posição.[42] A terceira temporada foi vista por 18,8 milhões de telespectadores por episódio. O sétimo episódio da série voltou em um horário diferente e depois de uma pausa de 12 semanas, reduzindo-se então a 14,5 milhões de telespectadores, mas mesmo assim conseguiu bater altos índices de audiência no horário das 22 horas.[48]

Uma pesquisa feita em vinte países pela Informa Telecoms and Media em 2006 constatou que Lost é a segunda série mais vista no mundo, ao lado de CSI: Miami.[49]

Classificação indicativa[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

Nos boxes de todas as temporadas da série, ela está com a classificação indicativa 18 anos pela Violência, Consumo de Drogas e Insinuações Sexuais. Mas a classificação varia muito já que nos Estados Unidos ela já foi censurada para 14 anos, no Brasil para 12 anos e 16 anos e em Portugal para livre e 10 anos.

Em outras mídias[editar | editar código-fonte]

As personagens e locações de Lost apareceram em diversas outras mídias além da televisão, incluindo publicações em papel, na internet e telefones celulares.

Até março de 2006, três novelizações foram lançadas pela Hyperion Books, uma editora que pertence à companhia dona da ABC: Endangered Species (ISBN 0-7868-9090-8) de Cathy Hapka, lançado em 1 de novembro de 2005; Secret Identity (ISBN 0-7868-9091-6) da mesma autora, em 1 de janeiro de 2006 e Signs of Life (ISBN 0-7868-9092-4) de Frank Thompson, em 1 de março de 2006. Os dois primeiros foram lançados no Brasil pela Editora Prestígio, com os títulos Risco de Extinção e Identidade Secreta, respectivamente. Além desses, a Hyperion lançou um livro de metaficção intitulado Bad Twin (ISBN 1-4013-0276-9), escrito por Laurence Shames[50] sob o nome "Gary Troup", que era um passageiro no vôo 815 da Oceanic, conforme divulgado pelo departamento de Marketing da ABC. Finding Lost: The Unofficial Guide (ISBN 1-55022-743-2) de Nikki Stafford, publicado por ECW Press é um livro que detalha o programa para fãs e àqueles novos à série. LOST: The Ultimate Unofficial Guide to ABC's Hit Séries LOST News, Analysis, and Interpretation (ISBN 1-933804-03-3) de Rebecca K. O'Conner e Jim Stewart, publicado pela Equity Press, foi o primeiro guia dedicado a notícias, interpretação e previsões sobre a direção futura do programa.

Os canais e produtores do programa fizeram grande uso da Internet na criação de precedentes para a história. Por exemplo, durante a primeira temporada, um diário fictício de uma sobrevivente não retratada na série chamada "Janelle Granger" foi disponibilizado no site da série. Do mesmo modo, um site sobre a fictícia Oceanic Airlines apareceu durante a primeira temporada, incluindo vários easter eggs e pistas sobre a trama. Outro site foi lançado após a exibição de "Orientation", desta vez sobre a Hanso Foundation. No Reino Unido, as histórias iniciais de várias personagens estão incluídas em "Lost Untold", uma seção do site sobre Lost do Channel 4. Similarmente, desde novembro de 2005 a ABC produz um podcast oficial, apresentado pelos roteiristas e produtores-executivos Damon Lindelof e Carlton Cuse. O podcast geralmente apresenta uma discussão sobre o episódio da semana, entrevistas com membros do elenco e perguntas de telespectadores.[51] A Sky One no Reino Unido também possui um podcast apresentado por Iain Lee na sua plataforma de rádio "4radio", analisando cada episódio após sua exibição naquele país.[52]

O uso da Internet chegou ao seu ápice no Lost Experience, um jogo de realidade alternativa online produzido pelo Channel 4 e pela ABC, que iniciou no início de maio de 2006. O jogo apresenta uma história de cinco fases paralelas, envolvendo principalmente a Hanso Foundation.[53]

Miniepisódios para telefone celular, chamados Lost Video Diaries, foram planejados aos assinantes do sistema V-Cast da Verizon Wireless, mas foram atrasados devido a disputas contratuais.[54] [55] Cada miniepisódio terá alguns minutos de duração e cobrirá eventos não vistos nos episódios.[56] Sua previsão de lançamento é para fevereiro de 2007.

Mercadoria licenciada[editar | editar código-fonte]

Vários outros tipos de produtos baseados na série, como brinquedos e jogos, foram licenciados para lançamento. Um jogo eletrônico para videogame e computador chamado Lost: The Video Game foi anunciado, a ser desenvolvido pela Ubisoft[57] e a Gameloft desenvolveu um jogo de Lost para celulares.[58] A Cardinal Games lançou um jogo de tabuleiro de Lost em 7 de agosto de 2006.[59] A Inkworks lançou duas coleções de trading cards de Lost e pretende lançar uma coleção Lost: Revelations.[60] Em maio de 2006, a McFarlane Toys anunciou uma linha de bonecos das personagens[61] e lançou a primeira série em novembro do mesmo ano.

Lost: Via Domus (também conhecido como Lost: The Video Game) é o primeiro jogo oficial do seriado Lost para vídeo-games e PCs. Desenvolvido pela Ubisoft Montreal, o jogo foi lançado em 26 de fevereiro de 2008 nos Estados Unidos, 28 de fevereiro na Austrália e 29 de fevereiro no Reino Unido. O jogo está disponível para três plataformas: Xbox 360, PlayStation 3, e PC-Windows, usando o mecanismo da YETI Game desenvolvido para o jogo Ghost Recon: Advanced Warfighter, e jogos do Beowulf. O jogo foi oficialmente revelado por meio de um trailer promocional durante o painel de Lost na Comic-Con 2007. 'Via Domus' é latim e pode ser traduzido como 'a caminho de casa', e entendido como 'escapando da Ilha'. Na verdade, o título é escrito erroneamente em latim - "caminho de casa" seria corretamente traduzido como "via domum". Na Austrália, o jogo custa $AU 79,95.

O jogo segue um novo personagem, Elliott, um "foto-jornalista com amnésia", que terá o passado revelado durante o curso do jogo através de flashbacks que podem ser jogados. Elliott ainda não apareceu no seriado, mas possivelmente poderá fazer uma transição do jogo para a telinha. Entretanto, os produtores de Lost disseram que os acontecimentos e descobertas feitas no jogo não terão relevância para a série.

Canais de transmissão[editar | editar código-fonte]

País Emissoras de televisão
 Estados Unidos ABC [2]
 Brasil AXN [3], Sony Spin [4] e Rede Globo [5]
 Portugal RTP 1 [6], FOX [7], FOX HD e MOV
África do Sul MNET
 Alemanha proSieben
Arábia Saudita Showtime-TV LAND e MBC
 Argentina AXN e Canal 13
 Austrália Channel Seven [8]
 Áustria ATV
 Azerbaijão ANS TV
 Bélgica RTL-TVi
 Bolívia AXN, Canal 13 e UCV
 Bósnia e Herzegovina RTV Pink
 Brunei AXN
 Bulgária AXN e Nova TV
 Canadá CTV e Télévision de Radio-Canada [9]
 Chile AXN
 China AXN
 Singapura AXN e Mediacorp Channel 5
 Colômbia AXN e RCN
 Coreia do Sul KBS 2TV, XTM e CGV
Costa Rica AXN
 Croácia Nova TV
 Dinamarca TvDanmark e Kanal 5
 Egito Showtime-TV LAND
Equador AXN e FX
 Eslováquia TV JOJ
 Eslovênia POP TV
 Espanha Cuatro e FOX
 Estónia Kanal 2
Filipinas AXN e Studio 23
 Finlândia Nelonen
Taiwan AXN e TGC
 França TF1 e TSR1
 Grécia NET e PIK
 Hong Kong TV Pearl
 Hungria AXN e RTL Klub
 Índia STAR
Indonésia Indosiar
 Iraque Showtime-TV LAND e MBC
 Irlanda RTÉ 2
 Islândia RÚV
 Israel HOT 3 e Channel 3
 Itália FOX
 Japão AXN
 Letônia LTV7
 Lituânia LTV
 Macedónia A1 Televizija
 Malásia AXN
 México AXN e TV Azteca
 Montenegro RTV Pink
 Noruega TVNorge
 Nova Zelândia TVNZ
 Países Baixos NET 5
 Panamá AXN
 Peru AXN e Red Global
 Polónia AXN, TVP1, nSeriale, VOD e Cyfra+
 Reino Unido Sky One [10]
 República Checa TV Nova e AXN
 Roménia AXN, TVR1 e Prima TV
 Rússia Pirviy Kanal
 Sérvia FOX e RTV Pink
 Suécia TV 4
Suíça TSR1
 Tailândia AXN
 Turquia DiziMax e TNT
 Ucrânia ICTV, Novni Canal e AXN SCI FI
Uruguai AXN e Montercalo TV Canal 4
 Venezuela AXN
 Vietname AXN e VTV3

Referências

  1. ABC's 'Lost', about the show
  2. Pilot: Part 1
  3. Lost: Missing Pieces," ABC. Retrieved on November 9, 2007.
  4. Ryan, Tim. "High filming costs force ABC network executives to consider relocating", Honolulu Star-Bulletin, 2005-01-26.
  5. Emmys.tv
  6. [1]
  7. Thomas, Rob. "Your Veronica Mars Questions Answered!", TVGuide.com Insider, 1 February, 2006.
  8. "Global interactive phenomenon, Lost Experience, to reveal meaning behind mysterious numbers on international Hit TV show LOST", Disney-ABC Television Group, July 25, 2006.
  9. "Lost" set for three more years, Variety.com, May 6, 2007
  10. A Map for 'Lost', Entertainment Weekly
  11. ABC Medianet, (April 14, 2008) "ABC Announces Special Two-Hour Finales of "Grey's Anatomy" and "Lost"." Retrieved on April 15, 2008.
  12. Hartman, Hope & Rous, Alison (December 14, 2007) "ABC Unveils Midseason Primetime Schedule," ABC Medianet. Retrieved on December 14 2007.
  13. Remaining "Lost" Seasons Extended By Two Hours, Yahoo!, May 9 2008
  14. a b c LOSTPédia - 6ª Temporada. Visitado em 18 de maio de 2010.
  15. a b Craig, Olga. The man who discovered 'Lost' - and found himself out of a job, The Daily Telegraph, 14 de Agosto de 2005.
  16. Ryan, Tim. New series gives Hawaii 3 TV shows in production, Honolulu Star-Bulletin, 17 de maio de 2004.
  17. Bianco, Robert. A good season, with reason, USA Today, 26 de abril de 2005.
  18. Podcast oficial de Lost "Official Lost Podcast" (9 de janeiro de 2006).
  19. Varèse Sarabande, Upcoming
  20. Veitch, Kristin. "Lost Secrets Found!", E! Online, Oct. 16, 2004.
  21. Godvin, Tara. "Oahu plays the world", Honolulu Star-Bulletin, May 25, 2005.
  22. Chaffin, Joshua. "Disney's ABC to offer TV shows free on web", Financial Times, 2006-04-10.
  23. DisneyABC TV (2006-04-10). Disney-ABC Television Group takes ABC Primetime Online. Press release.
  24. Channel 4 Lost Episodes Online Channel 4
  25. TF1 Lost Episodes Online (French).
  26. a b Robinson, James. "Virgin fuels Sky row with Lost coup", The Observer, 2007-02-25.
  27. Apple (2007-08-29). Apple Announces Hit Television Programming Now Available on the iTunes Store in the UK. Press release.
  28. iTunes Store UK Terms of Service.
  29. Channel 4 Video terms and conditions.
  30. Mick, Jason (2007-09-21). ABC to Offer Free Shows Online Via AOL DailyTech.
  31. As Três Primeiras temporadas a qualquer hora no Portal Terra! (2008-01-12).
  32. Keveney, Bill. "TV hits maximum occupancy", USA Today, 08-11-2005.
  33. ABC: Turncoat Michael Returns to "Lost" Island, ABC7Chicago.com, July 25, 2007
  34. Jensen, Jeff (August 30, 2007). Lost: Five Fresh Faces EW.com. Visitado em 2007-08-30.
  35. Lost Finale Spoilers, Scoops and More News" TV Guide. April 17, 2008. Retrieved on April 17 2008.
  36. IGN's Top 50 Lost Loose Ends: Page 1 IGN.com (2006-11-13).
  37. Fienberg, Daniel. "Lost Team Discusses Upcoming Death and Mysteries", Zap2It.com, 2005-03-14.
  38. Idato, Michael. "Asking for trouble", Sydney Morning Herald, 2005-08-22.
  39. Wharton, David Michael. "Comicon 2005 news", Cinescape.com, 2005-07-17.
  40. Grillo-Marxuach, Javier (2005-07-22). Burning Questions TheFuselage.com.
  41. a b "Final audience and ratings figures", May 27, 2005.
  42. a b "2005–06 primetime wrap", May 26, 2006.
  43. "Hollywood Reporter: 2006-07 primetime wrap", 25 de Maio de 2007.
  44. a b c ABC Medianet, (June 3, 2008) "Season Program Rankings (Through 6/1/08)". Retrieved on June 4, 2008.
  45. Kissell, Rick. "ABC, Eye have quite some night", Variety, September 25, 2004.
  46. Gorman, Steve. "ABC May Have Found a Hit in 'Lost'", Reuters, 10/1/2004.
  47. Grossberg, Josh. "ABC stays "Lost" and "Desperate"", E! Online, October 20, 2004.
  48. "'Lost' roars back with Thurs. win", February 2, 2008.
  49. "CSI show 'most popular in world'", BBC, 31 July 2006.
  50. Zeitchik, Steven. "Inside Move: It's a Shames", Daily Variety, 18 de junho de 2006. Página visitada em 19 de junho de 2006.
  51. ABC Official Lost Podcast
  52. Sky One Official Lost Podcast
  53. "Global interactive phenomenon, Lost Experience, to reveal meaning behind mysterious numbers on international hit TV show "Lost"", ABC Press Release, 25 de julho de 2006. Página visitada em 27 de julho de 2006.
  54. Wallenstein, Andrew and Jesse Hiestand. "ABC, unions reach deal on cell phone TV shows", Reuters, 25 de abril de 2006. Página visitada em 25 de abril de 2006.
  55. ABC Press Release
  56. Serpe, Gina. ""Lost" Finds Its Calling", E! Online, 17 de novembro de 2005. Página visitada em 25 de abril de 2006.
  57. "Ubisoft and Touchstone team up to create 'Lost' video game" Ubisoft Press release
  58. IGN - Gameloft's Lost Housewives
  59. Lost board game
  60. Inkworks Lost trading cards homepage
  61. Keck, William. "These characters are toying with us", USA Today, 23 de maio de 2006. Página visitada em 20 de junho de 2006.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Categoria no Commons
Sites das redes que transmitem Lost (em Inglês)
Sites fictícios relacionados às empresas da série
Outros


Precedido por
The Sopranos
Emmy Awards
(melhor série drama de televisão)

2005
Sucedido por
24
Precedido por
Nip/Tuck
Globo de Ouro
(Melhor Série (drama))

2006
Sucedido por
Grey's Anatomy