Lost Forever

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lost Forever
Lostforever(2012).jpg
Informação geral
Origem Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) Metal progressivo
Período em atividade 1997 - em atividade
Página oficial www.lostforever.com.br
Integrantes
James Galvão - Vocais
Fabbio Nunes - Guitarra
Andre Tavares - Teclado
Andre de Lemos - Baixo
Renê Shulte - Bateria

Lost Forever é uma banda brasileira de metal progressivo originária do Rio de Janeiro. Surgiu inicialmente como um trio, em julho de 1997.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O Lost Forever começou como um trio em 1997. Era formado por César Severus no baixo, Mauro Fogaça na bateria e Fabbio Nunes na guitarra e vocais. Com essa formação o grupo já esboçava as primeiras composições. Nessa época a banda era influenciada pelo trabalho de bandas como Megadeth, Pantera e Metallica, mas buscava apenas fazer um som "pesado" e diferente do popular "metal melódico" que estava muito em evidência naquela época. Foi proposta a idéia de incorporar outra guitarra ao som do Lost Forever, levando à chegada do guitarrista Will Villante. A partir de agosto de 1997 a banda passou a ser um quarteto.

Começou então a procura por alguém para ocupar o posto de vocalista. Fabbio, por não ser realmente um cantor, decidiu dedicar-se 100% à guitarra. Demorou um pouco, mas Hugo Navia (ex-Velvet Green) juntou-se à banda. Quando o time parecia estar completo, veio a primeira mudança: César resolve deixar o grupo por causa de diferenças musicais, preferindo investir no Metal Gótico. Ele escolheu seguir em frente com sua própria banda, o Poeticus Severus. A banda começou a procurar um novo baixista, quando Will, que na época tocava em uma outra banda, sugeriu a fusão dos dois grupos, já que o "Álibi Suspeito", seu outro conjunto, estava sem baterista e vocalista. Como a fusão em um só conjunto privilegiaria o heavy metal autoral, a banda permaneceu sob o nome Lost Forever e contava agora com Henrique "Camarão" Britto no baixo e Kiko Lealki nos teclados. Essa adição de teclados ao som do Lost fez com que a banda passasse a investir mais no lado progressivo, sem deixar de lado o peso.

Começam os shows em várias casas do Rio de Janeiro. Entram em estúdio para a gravação da sua primeira demo-tape, que acabou tendo uma limitadíssima distribuição e, devido a várias discordâncias internas quanto à qualidade de sua produção, levaria à saída de metade dos integrantes da banda, deixando apenas Fabbio, Hugo e Kiko para tocar a banda para frente.

Depois de um hiato de quase um ano de audições, em 1999 a banda encontra os substitutos adequados: Andre de Lemos (ex-Influence) no baixo, Rene Shulte (ex-Grimoire, Ádvena) na bateria; e Nelson Magalhães (ex-No Fate, Allegro) na guitarra. No fim daquele ano, o Lost Forever entrou novamente em estúdio e gravou um EP auto-intitulado, Lost Forever, que continha as faixas "The Shadow by Your Side", "Fetters of the Destiny", "The Lies Behind the Mirror" e "Damned Train".

Logo em seguida, o tecladista Kiko Lealki deixou seu posto, sendo substituído temporariamente por Jefferson Spinassé, que depois de um tempo foi substituído por Felipe Oliveira, que ficou durante um tempo mas não pôde se comprometer permanentemente com a banda. Nesse período o Lost Forever fez vários shows pela capital e interior do Rio de Janeiro, contando com Daniel Melo (Dead Nature) ou Yahn Wagner (Mind the Gap) como tecladistas de apoio.

Com esta formação, sendo Daniel Melo apenas convidado, o Lost Forever gravou, no final de 2003, o seu primeiro álbum de estúdio: The End of Beginning, lançado em janeiro de 2004 pela Hellion Records. Em julho do mesmo ano, Raphael Gonçalves, que já vinha atuando no Lost Forever como tecladista convidado, junta-se à banda como membro efetivo.

Em 2005 a banda participou como destaque no programa de rádio Backstage (Kiss FM – São Paulo) de Vitão Bonesso e como atração principal no programa de tevê Stay Heavy, no qual fizeram performances ao vivo e uma entrevista. Gravaram em São Paulo um tributo à banda Primal Fear, que nunca foi lançado. Essa formação dura até maio de 2006, quando Raphael e Nelson Magalhães optam por deixar a banda, em virtude de atritos gerados por inúmeras diferenças pessoais e musicais existentes entre a dupla e os membros remanescentes do Lost. A gravação da música "Visions of Fate" para o tributo mencionado acabou sendo o último registro dessa formação.

Entraram na banda Hudson Guedes nos teclados e Daniel Croce na guitarra. Por questões de conflito entre agendas, Daniel deixou a banda para se dedicar a seus outros projetos deixando a banda apenas um ano e meio depois. Foi substituído por Leonidas Martins em fins de 2007.

Após um equivocado anúncio sobre o fim da banda, no final de 2008, o Lost Forever logo desmentiu a informação e seguiu bastante ativo com os planos de lançamento de seu segundo álbum, já bastante adiantados. O equivocado anúncio sucedeu ao afastamento de Hugo devido a diferenças profissionais, pessoais e musicais irreconciliáveis com os demais integrantes bem como o direcionamento que a banda planejava para o futuro. Isso também acarretou em pequenas mudanças no que diz respeito ao site oficial da banda - que migrou para o domínio "www.lostforever.com.br" - e alguns endereços oficiais da banda na internet. A data final para o lançamento do segundo álbum do Lost Forever ficou comprometida uma vez que a banda, então à procura de vocalista, deixou para concluir a obra após a escolha do integrante.

Em seguida a um rápido processo seletivo, James Galvão (Stalker) assumiu o posto de vocalista, em inícios de 2009. A partir daí, o Lost Forever entrou em fase de mudanças significativas, de tal forma que o título do seu segundo CD, antes chamado de "Nexus", foi rebatizado Rising.

Em fins de 2009, Hudson Guedes e Leônidas Martins decidiram deixar a banda. Leônidas por conflitos de agenda, e Hudson pois foi morar no exterior (Finlândia). A saída foi amigável e contou, inclusive, com um show de despedida no mês de dezembro daquele ano. A banda então decidiu ficar apenas com um guitarrista e, com a entrada de André Tavares (The Genesis Experiment) nos teclados, já em março de 2010, fechou sua atual formação.

Seu segundo álbum foi finalmente finalizado e lançado em abril de 2011. Rising já se encontra disponível para compra através dos canais oficiais da banda. Atualmente, Lost Forever compõe novo material.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • Rising (2011)
  • The End of Beginning (2004)
  • Lost Forever (EP) (2000)
  • The Shadow By Your Side (Demo) (1998)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]