Louis de Brezé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Retrato de Louis de Brézé (1463-1531), Conde de Maulévrier

Louis de Brézé (* 1463Castelo de Anet, Eure-et-Loir, 23 de Julho de 1531) foi marido de Diana de Poitiers, a famosa amante do rei Henrique II. Filho de Carlota ou Charlotte de Valois, por sua vez filha bastarda do rei Carlos VII com sua amante Agnes Sorel, nascida em Fromenteau, Touraine circa 1422 e morta em 1450 em Anneville, na Normandia. Agnes Sorel foi aia de Isabel de Lorena e recebeu do rei o senhorio de Beauté-sur-Marne, donde seu apelido – Dame de Beauté. Agnes a partir de 1444 teve influência sobre o rei, que a encheu de riquezas. Era a amante oficial, escandalizando a opinião pública. Apoiou os conselheiros do rei (Richemont, Jacques Coeur, os irmãos Bureau) mas não teve sobre ele, a quem deu quatro filhos, a influência benéfica que a tradição lhe atribuiu. Luís XI será acusado - sem provas - de ter mandado envenenar.

Carlota de Valois nasceu em 1434 e morreu em 31 de maio de 1477 assassinada pelo marido em Romiers. Chamada Bastarda de França ou Bâtarde de France. Casou em 1 de Março de 1462[1] com Jaime ou Jacques de Brezé (1440-1490), conde de Maulevrier, filho de Pedro II de Brézé (1410-1456, morto na batalha de Montlhery). Marechal e grande senescal da Normandia, favorito de Carlos VII, foi praticamente o chefe do governo [1443-50], dizendo-se mesmo dele ser "l’homme le plus complet de l’époque”. Como matou a mulher e seu amante, mesmo Marechal e Grande Senescal da Normandia foi condenado a uma grande multa e teve que ceder seus bens ao rei.

Este seu filho Luís de Brézé (morto em 1531 no Château d'Anet) acompanhou Carlos VIII e depois Francisco I à Itália. Ocupou funções de primeiro camareiro ou premier chambellan, de Grande Senescal da Normandia, como o pai, sendo muito devotado à caça. Na corte era o Grand veneur, capitão das caçadas e falcoaria. Casou em segundas núpcias em 1514 com Diane de Poitiers, filha de Jean de Poitiers, conde de Saint Vallier, acusado de participar da conspiração do condestável de Bourbon em 1523. Desde 1536 ela começou sua ligação com o Delfim, já casado.

Referências[editar | editar código-fonte]