Louva-a-deus do norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Louva-a-Deus do Norte)
Ir para: navegação, pesquisa
Espada japonesa mostrando a lâmina manga habaki e a mão guarda tsuba

Louva-a-deus (螳螂拳; pinyin: tánglángquán) é o nome dado a dois estilos distintos de artes marciais chinesas; um deles é característico "do Sul" e o outro "do Norte" da China.

O estilo louva-a-deus do norte foi criado por Wang Lang na província de Shandong por volta de 350-400 anos atrás. Wang Lang se inspirou na agressividade e eficácia do inseto ao combater uma cigarra [1] e no jogo de pés do macaco.[2]

Algumas características do estilo louva-a-deus do norte são: grande velocidade, ataques incessantes, e movimentação complexa dos pés. O estilo também é muito conhecido pelo uso da "garra do louva-a-deus" (um gancho feito com os dedos da mão) [3] . É um sistema completo que emprega chutes, socos, agarramentos, jogadas, armas, estratégia, metodologia de treinamento e exercícios internos de Qi Gong.

A lenda da criação do estilo do louva-a-deus[editar | editar código-fonte]

O lutador Wang Lang, depois de ter perdidos algumas lutas para monges de shaolin, resolveu ir à floresta para contemplação. Enquanto descansava debaixo de uma árvore, Wang ouviu a longa nota aguda de uma cigarra em um galho baixo do arbusto acima dele. Olhando silenciosamente para o alto, Wang reparou em um frágil, com aparência quase quebradiça, louva-a-deus engajado em uma luta de vida ou morte com a grande cigarra.

A cigarra estava fazendo o máximo, sua cabeça estava contra o louva-a-deus e quase o imobilizava com sua tenacidade. Foi quando o louva-a-deus reagiu com ferocidade usando sua forte virada de patas e mordendo a boca da robusta cigarra para agarrar e desfazer-se da posição em que estava. O carnívoro louva-a-deus consumiu a sua vítima. Altamente impressionado com o que vira, Wang decidiu capturar o inseto vitorioso e então observar os seus movimentos defensivos e ofensivos.

Usando um graveto de pequeno comprimento, ele cutucava e provocava o louva-a-deus em todas as direções. Invariavelmente o louva-a-deus, com sua cabeça capaz de virar para qualquer direção, se defendia efetivamente quando provocado de frente ou de costas. O perseverante inseto tornou-se a inspiração de Wang para o seu novo sistema de combate.

Pensando que ainda faltava algo, Wang voltou a floresta e observou os movimentos do macaco pulando e subindo em árvores.[4] Depois de uma preparação pessoal concentrada e fixa ele finalmente acreditou que estava preparado para testar seu novo estilo de luta contra o mestre do monastério. Wang extraordinariamente derrotou o mestre dos monges com suas táticas de inseto selvagem nunca antes usadas por um homem. Os monges aceitaram com surpresa e respeitosamente a sua derrota, e então procuraram aprender o novo e estranho sistema.

A história de sua vitória se espalhou pelas diversas províncias, tornando Wang Lang o novo herói das artes marciais, logo rodeado por muitos discípulos.

O sonho de Wang Lang foi finalmente realizado, sua escola de auto defesa do louva-a-deus se tornou extremamente proeminente no Nordeste da China, sendo considerada por alguns como uma das maiores de sua época. O venerável Wang morreu anos mais tarde, feliz com sua fama como mestre do sistema louva-a-deus.

O louva-a-deus, inseto cuja aparência nos sugere devoção é ironicamente um predador por natureza. Suas patas dianteiras, costumeiramente posicionadas de forma a sugerir as mãos juntas de um devoto, graças ao estilo marcial que inspirou tornou-se o inseto mais famoso no campo das artes marciais.

Características[editar | editar código-fonte]

Com diferentes escolas por todo o mundo, as principais características são:

  • grande quantidade de técnicas e movimentos
  • técnicas duplas: ataque e defesa simultâneos
  • usa defesa também como ataque
  • usa pouco força mas gera grande força física e interna
  • explora a precisão dos alvos
  • golpes direcionados aos pontos vitais
  • movimentos de braço muito semelhantes ao do inseto inspirador

Estilos[editar | editar código-fonte]

A garra do louva-a-deus.

Há vários sub-estilos de louva-a-deus:

  • Wah Lum Tam Tui 華林探腿北螳螂派
  • Flor de Ameixa Supremo 太極梅花螳螂拳
  • Supremo (Tàijí) 太極螳螂門
  • Flor de Ameixa 梅花螳螂拳
  • Seis Harmonias 六合螳螂拳
  • Oito Passos 八步螳螂拳
  • Tábua Brilhante 光板螳螂拳
  • Punho Longo 長拳螳螂拳
  • Throwing Hand 摔手螳螂拳
  • Portão Secreto 秘門螳螂拳
  • "Seeking Leg" 探腿螳螂拳
  • Sete estrelas 七星螳螂拳

Sete estrelas[editar | editar código-fonte]

O louva-a-deus sete estrelas é um estilo de kung fu, desenvolvido a partir do estilo Louva-a-deus do norte. Este estilo é bastante praticado na região da província de Shandong na China. O estilo "sete estrelas" é conhecido como o mais complexo dos estilos louva-a-deus de kung fu.[5]

Referências

  1. SISTEMA DA FAMÍLIA HAO. Núcleo Shandong.
  2. Tang Lang Quan. LUO GUANG YU SEVEN STAR PRAYING MANTIS KUNG FU.
  3. História do Estilo Louva-a-Deus: A Invenção e Desenvolvimento do Louva-a-Deus do Norte - Escola de Boxe Chinês. Federação Paranaense de Kung Fu.
  4. The History of Seven Star Northern Shaolin Praying Mantis Kung Fu. Chinese Martial Arts & Wellness Center.
  5. O estilo Louva-a-deus. Templo Shaolin de Kung Fu.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

TORRES, José Augusto Maciel, Kung Fu: a milenar arte macial chinesa: águia, bêbado, louva-a-deus, tai chi chuan, tigre, wing chun. São Paulo, On Line, 2011.