Luísa dos Países Baixos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luísa dos Países Baixos
Rainha Consorte da Suécia e da Noruega
A rainha Luísa por volta de 1865, em retrato de Mathias Hansen (1823-1905).
Período 08 de julho de 1859 - 30 de março de 1871
Cônjuge Carlos XV da Suécia
Descendência
Luísa da Suécia
Carl Oscar, Duque de Södermanland
Nome completo
Guilhermina Frederica Alexandrina Ana Luísa
Casa Orange-Nassau(por nascimento)
Casa de Bernadotte(por casamento)
Pai Frederico dos Países Baixos
Mãe Luísa da Prússia
Nascimento 5 de agosto de 1828
Haia, Reino Unido dos Países Baixos
Morte 30 de março de 1871 (42 anos)
Estocolmo, Suécia, Reino da Suécia e Noruega
Enterro Riddarholmskyrkan, Estocolmo, Suécia
Religião Igreja Reformada Neerlandesa

Luísa dos Países Baixos (5 de agosto de 182830 de março de 1871) foi uma princesa da família real holandesa que se tornou a rainha consorte de Carlos XV da Suécia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em Haia, a princesa Guilhermina Frederica Alexandrina Ana Luísa era a filha mais velha do príncipe Frederico dos Países Baixos, o segundo filho do rei Guilherme I, e da princesa Luísa da Prússia, uma filha de Frederico Guilherme III.

Em 19 de junho de 1850, a princesa Luísa desposou o Carlos, príncipe herdeiro da Suécia e Noruega, o filho mais velho do rei Óscar I da Suécia e de sua consorte, Josefina de Leuchtenberg. O casamento foi arranjado para originar novos herdeiros à dinastia Bernadotte. Esperava-se um grande dote, porém, na realidade, esse foi pequeno. Enquanto a princesa apaixonou-se rapidamente por Carlos, o príncipe não achava Luísa atraente e foi infiel. Entre as amantes de seu marido, estiveram as atrizes Johanna Styrell e Elise Jakobsson-Hwasser.

Luísa tornou-se rainha da Suécia com a morte do sogro, no dia 8 de julho de 1859.

Luísa não foi uma princesa consorte nem uma rainha bem-sucedida, uma vez que tinha uma personalidade tímida e quieta, o oposto do rei. De fato, não desempenhou nenhuma influência política, diferentemente de sua predecessora (sua sogra), Josefina de Leuchtenberg. Passou sua vida realizando deveres domésticos e tentanto agradar ao marido, mas o rei tratava-a com condescendente bondade. Com o tempo, sua saúde deteriorou-se.

Em uma ocasião, durante um piquenique, Luísa sofreu um tipo de ataque, possivelmente um ataque de epilepsia, de acordo com descrições contemporâneas. Pensou-se que foi uma reação histérica à negligência de seu marido. Subseqüentemente, Luísa ficou isolada do público até se recuperar.

Embora não ligasse muito a deveres cerimoniais, preferindo cuidar de sua vida familiar, Luísa tinha interesse por moda e sempre se vestia elegantemente. Seu marido adorava a filha deles, mas a tratava como "um garoto", preocupando a esposa, que não queria uma infância "sem rédeas" para sua filha.

A rainha Luísa faleceu em Estocolmo, aos quarenta e dois anos.

Trivialidade[editar | editar código-fonte]

  • Luísa empregou a primeira dentista mulher da Suécia, Rosalie Fougelberg, como sua dentista pessoal em 1867.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Juntos, Luísa e Carlos XV tiveram dois filhos:

  • A princesa Luísa da Suécia (1851-1926), que se tornou a rainha Luísa da Dinamarca.
  • O príncipe Carlos Óscar, duque de Södermanland (1852-1854), morto na infância.