Lucélia Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Lucélia Santos
Lucélia Santos
Nome completo Maria Lucélia dos Santos
Nascimento 20 de maio de 1957 (57 anos)
Santo André, São Paulo
 Brasil
Ocupação atriz
IMDb: (inglês)

Maria Lucélia dos Santos, mais conhecida como Lucélia Santos (Santo André, 20 de maio de 1957), é uma atriz e cineasta brasileira.

Ficou internacionalmente famosa pela sua atuação na telenovela Escrava Isaura, que foi exibida com sucesso em 79 países.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lucélia é filha de Maurílio Simões dos Santos e de Maria Moura dos Santos.

Estreou no teatro aos catorze anos, na peça infantil Dom Chicote Mula Manca e seu fiel companheiro Zé Chupança. Após fazer um curso de teatro com Eugênio Kusnet, participou da montagem de Godspell, no Rio de Janeiro. Em seguida participou de Rock Horror Show e da peça Transe no 18. Foi então que Gilberto Braga e Herval Rossano a convidaram para estrear a telenovela Escrava Isaura. O sucesso de Escrava Isaura, que estreou em 11 de outubro de 1976, foi gigantesco, projetando a carreira de Lucélia Santos internacionalmente de forma definitiva. Com a novela viajou para vários países como Rússia, Polônia e China. Em 1985 ganhou o prêmio "Águia de Ouro", oferecido pela primeira vez a uma artista estrangeira pela população chinesa atráves do voto direto. Escrava Isaura é o produto mais dublado e exibido no gênero telenovela do mundo segundo uma pesquisa do programa americano Good Morning America.

Em 1980, rompendo com a imagem de "namoradinha do Brasil", posou nua para a revista Playboy, numa atitude tida como ousada pela mudança que representou na sua imagem. A edição de abril de 1980 da revista teve grande vendagem.

Mas foi no cinema que rompeu realmente com o estigma. Foi Nelson Rodrigues que desejou a atriz para o filme Bonitinha, mas ordinária e, mesmo sabendo que o filme era ousado, ainda mais para a época, Lucélia aceitou.

Lucélia Santos participou depois de diversos filmes, quase todos baseados em obras do dramaturgo Nelson Rodrigues como Engraçadinha e Álbum de família, que a transformaram em uma musa rodriguiana.

Posteriormente, Lucélia voltaria a ser capa da revista Playboy pela segunda vez, em novembro de 1981, para promover o filme Luz del Fuego.

Lucélia também fez diversas outras telenovelas de grande sucesso, como Locomotivas, Feijão Maravilha, Água Viva, Guerra dos Sexos e Vereda Tropical, além do seriado Ciranda Cirandinha e da minissérie Meu Destino é Pecar, outra obra de baseada em Nelson Rodrigues.

Foi casada com o maestro John Neschling, com quem tem um filho, Pedro Neschling, que também é ator.

Com a fama internacional conquistada com a novela Escrava Isaura, visitou, como convidada, vários países e inclusive integrou comitiva de Presidentes da República. Com Fernando Henrique Cardoso esteve na China, onde foi efusivamente recepcionada pelo primeiro-ministro Deng Xiao Ping.

Um de seus fãs mais ardorosos é Fidel Castro. Na coleção de vídeos do líder cubano, ocupa lugar de destaque uma fita VHS do filme Luz del Fuego.

Depois da Independência de Timor-Leste, em 2001, Lucélia Santos realizou um documentário sobre este novo país, Timor Lorosae - O Massacre Que o Mundo não Viu, que foi censurado no 8º Festival Internacional de Cinema de Jacarta.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas Ref.
1976 Escrava Isaura Isaura [1]
1977 A Ordem Natural das Coisas Ciça
Locomotivas Fernanda Cabral
1978 Ciranda Cirandinha Tati (Tatiana)
1979 Plantão de Polícia Marcela Espisódio "Despedida de Solteiro"
Malu Mulher Josineide Episódio "Ainda Não é Hora"
Feijão Maravilha Eliana
1980 Romeu e Julieta Julieta
Água Viva Janete
1981 Ciranda de Pedra Virginia Prado
1983 A Dama das Camélias Maragarite / Marina
O Inspetor Geral Criada do Governador
Alice & Alice Alice Maria
Guerra dos Sexos Carolina
1984 Vereda Tropical Silvana Rocha
Meu Destino É Pecar Leninha (Helena Castro Avelar)
1985 Armação Ilimitada Glorinha Episódio "O Melhor de Todos..."
1986 Sinhá Moça Sinhá Moça (Maria das Graças Ferreira)
1987 Carmem Carmem
1990 Brasileiras e Brasileiros Paula
1992 Você Decide Cláudia Episódio "O Álibi"
1993 Menino de Engenho Clarice / Maria Menina
1994 Você Decide Regina Episódio "O Último Desejo"
1995 Sangue do Meu Sangue Júlia
1996 Dona Anja Dona Anja
2001 Malhação Jackeline Lemos (Jackie)
2004 Linha Direta Dejanira Episódio "As Cartas de Chico Xavier"
2006 Cidadão Brasileiro Fausta Gama (Faustina de Assis Aguiar
2007 Donas de Casa Desesperadas Suzana Mayer
2008 Casos e Acasos Lucila
2011 Aline Débora
2014 Dança dos Famosos ela mesma

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
1976 Paranóia Lúcia Ricceli
Já Não Se Faz Amor Como Antigamente
O Ibraim do Subúrbio
Um Brasileiro Chamado Rosaflor
1981 Álbum de Família Gloria
Engraçadinha Engraçadinha
Bonitinha, mas Ordinária Maria Cecília
1982 O Sonho Não Acabou Lucinha
Luz del Fuego Luz del Fuego
1985 Fonte da Saudade Bárabara / Guida / Alba
1986 As Sete Vampiras Elisa Machado
Baixo Gávea Clara[2]
1989 Kuarup Lídia
1993 Vagas para Moças de Fino Trato Lúcia
2001 3 Histórias da Bahia
2008 Destino Luiza
2010 Lula, o Filho do Brasil Professora

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Precedida por:
Edna de Cássia
por Iracema - Uma Transa Amazônica
Troféu Candango de Melhor Atriz
por Engraçadinha

1981
Sucedida por:
Vera Fischer
por Amor Estranho Amor
Precedida por:
Patrícia Pillar
por A Maldição do Sanpaku
Troféu Candango de Melhor Atriz
por Vagas para Moças de Fino Trato
(com Norma Bengell e Maria Zilda Bethlem)

1993
Sucedida por:
Cláudia Mello
por A Causa Secreta
Precedida por:
Sônia Braga
por Eu Te Amo
Kikito de Ouro de Melhor Atriz
por Luz del Fuego

1982
Sucedida por:
Marília Pêra
por Bar Esperança