Ludwig Feuerbach e o Fim da Filosofia Clássica Alemã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa do livro

Ludwig Feuerbach e o Fim da Filosofia Clássica Alemã é um livro escrito pelo filósofo Friedrich Engels, e publicado pela primeira vez em 1886, no jornal socialista alemão Die Neue Zeit ("Os Novos Tempos"). A segunda edição foi publicada em 1888 em Estugarda, com algumas alterações. Nesta segunda edição foi publicada pela primeira vez as Teses sobre Feuerbach de Karl Marx.

O livro foi escrito para refutar o ressurgimento do idealismo nos círculos neo-hegelianos da classe dominante alemã. Engels considerou a obra como o somatório ou o encerramento da crítica pós-hegeliana que ele e Marx haviam iniciado na obra A Ideologia Alemã, 40 anos antes - trabalho nunca publicado em suas vidas, apenas postumamente, em 1932.[1]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

O livro é composto de quatro partes:

  • A primeira parte trata do período que vai do idealismo de Hegel até o materialismo de Feuerbach, e, em seguida, a filosofia alemã.
  • O segundo capítulo trata sobre o desaparecimento do idealismo e o crescimento do materialismo na filosofia.
  • O terceiro capítulo trata da filosofia da religião de Feuerbach.
  • No quarto capítulo, Engels resume os três capítulos anteriores. Ele explica que não só o cristianismo tornou-se ideologia da classe dominante, mas também como a filosofia tornou-se uma ferramenta da hegemonia dessa classe.

Referências

  1. Ludwig Feuerbach and the End of Classical German Philosophy (em inglês). libcom.org (04/01/1994). Página visitada em 25/08/2012.