Luigi Giura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luigi Giura
Nascimento 14 de outubro de 1795
Maschito
Morte 1 de outubro de 1865 (69 anos)
Nápoles
Nacionalidade Itália Italiano
Ocupação engenheiro e arquiteto

Luigi Giura (Maschito, 14 de outubro de 1795 - Nápoles, 1 de outubro de 1865)[1] foi um engenheiro e arquiteto italiano.

Giura é famoso pela a concepção e construção da segunda ponte suspensa da Europa em 1832. Foi também Inspetor do Corpo de pontes e estradas do Reino das Duas Sicílias .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1795 em Maschito, filho de Francisco Xavier e Victoria Pascale. Depois de aprender os primeiros estudos ele mudou-se para Nápoles para participar de cursos universitários.

Formou-se em 1814, obtendo admissão no Corpo de pontes e estradas iniciou uma série de visitas de estudo, que durou vários anos, na Grã-Bretanha e França , onde ele foi capaz de verificar o progresso no campo da engenharia e as novas perspectivas abertas pelo desenvolvimento industrial desses países.

Em 1860, Giura retornou à Escola de Pontes e Estradas como diretor. Garibaldi reconheceu a capacidade de Giura e queria ele como o Ministro das Obras Públicas do seu governo provisório.

Giura desenvolveu um arranjo do lado leste de Nápoles que forneceu a ligação entre o real Albergo dei Poveri e Piliero permitindo uma passagem através dos terminais ferroviários nas muralhas da cidade antiga. O projeto foi parcialmente implementado após a sua morte em 1865. A fama de Giura vem principalmente de seus projetos de pontes suspensas: a ponte real Ferdinando sul Garigliano , que foi a primeira ponte suspensa construída na Europa continental, em 1832, e a Ponte Maria Cristina no Rio Calore perto de Benevento, concluída em 1835.

Essas conquistas tiveram efeitos significativos em termos econômicos e no aspecto desafiador dos projetos. Giura também criou soluções esteticamente agradáveis ​​para os problemas de construção.

Giura foi enterrado no Cemitério de Poggioreale.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • T.C.I., Capire l'Italia - Campagna e Industria, itinerari, Milano, 1981
  • Riccardo De Sanctis, La nuova scienza a Napoli tra '700 e '800, Laterza, Bari, 1986
  • Roberto Parisi, Relazione al XIII Congr. Int. TICCIH 2006 - Napoli industriale..., Terni 2006
  • Brunello de Stefano Manno; Gennaro Matacena, Le Reali Ferriere ed officine di Mongiana, casa editrice storia di Napoli e delle due Sicilie, Napoli, 1979.
  • Comune di Solopaca, Ricerca sui primi ponti sospesi in ferro, Telese Terme, 1991.

Referências

  1. Roberto Parisi. GIURA, Luigi - Dizionario Biografico degli Italiani - Volume 57 (2002) (em italiano). Treccani. Página visitada em 2 de janeiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]