Luiz Henrique da Silveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luiz Henrique da Silveira
Luiz Henrique em 2011
Senador por  Santa Catarina
Período de governo 1º de fevereiro de 2011
até atualidade
27.º Governador de  Santa Catarina
Período de governo 1º - 1º de janeiro de 2003
até 9 de abril de 2006
2º -1º de janeiro de 2007
até 25 de março de 2010
Antecessor(a) 1º mandato: Esperidião Amin
2º mandato: Eduardo Pinho Moreira
Sucessor(a) 1º mandato: Eduardo Pinho Moreira
2º mandato: Leonel Pavan
Deputado federal por  Santa Catarina
Período de governo 1º - 1º de fevereiro de 1975
até 31 de janeiro de 1979
2º -1º de fevereiro de 1983
até 31 de janeiro de 1997
(4 mandatos consecutivos)
Prefeito de Joinville Bandeira de Joinville
Período de governo 1º -1977 a 1982
2º -1997 a 2002
Antecessor(a) 1º mandato: Pedro Ivo
2º mandato: Wittich Freitag
Sucessor(a) 1º mandato: Violantino Rodrigues
2º mandato: Marco Tebaldi
Ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil Bandeira do Brasil
Período de governo 23 de outubro de 1987
até 29 de julho de 1988
Antecessor(a) Renato Archer
Sucessor(a) Luiz André Rico Vicente
Vida
Nascimento 25 de fevereiro de 1940 (74 anos)
Blumenau, Santa Catarina
Dados pessoais
Cônjuge Ivete Appel da Silveira
Partido MDB (1969-1980)
PMDB (1980-presente)
Profissão Advogado e professor

Luiz Henrique da Silveira (Blumenau, 25 de fevereiro de 1940) é um advogado e político brasileiro.

Vida[editar | editar código-fonte]

Filho de Moacir Iguatemy da Silveira e de Delcides Clímaco da Silveira. Descendente de Luís Maurício da Silveira. Bacharelou-se em direito pela Universidade Federal de Santa Catarina, em 1965. Casado com Ivete Appel da Silveira, tem dois filhos e netos.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Foi deputado estadual à Assembleia Legislativa de Santa Catarina na 7ª legislatura (1971 — 1975), como suplente convocado.

Foi deputado federal por Santa Catarina na 45ª legislatura (1975 — 1979) e na 50ª legislatura (1995 — 1999).

Foi presidente nacional do PMDB, prefeito de Joinville e governador de Santa Catarina por dois mandatos: o primeiro de 1 de janeiro de 2003 a 9 de abril de 2006, quando renunciou para se dedicar à reeleição. Reeleito, o segundo mandato iniciou em 1 de janeiro de 2007, e perdurou até 25 de março de 2010, quando renunciou para ser candidato a senador.

Iniciou sua militância na política estudantil na Universidade Federal de Santa Catarina, onde se formou em direito. Foi professor de História Geral do Colégio Coração de Jesus, em Florianópolis. Em 1966 mudou-se para Joinville, onde montou banca de advocacia e ministrou aulas de língua portuguesa e história geral no Colégio Bom Jesus e de Direito Público e Privado na atual Univille. Assumiu o Ministério da Ciência e Tecnologia entre 1987 e 1988, durante o governo José Sarney. Em 1971 foi eleito presidente do Diretório Municipal do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) de Joinville. Exerceu a presidência do Diretório Nacional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) entre 1993 e 1996.

Seu governo foi marcado pela criação de trinta secretarias de Desenvolvimento Regional em diversas regiões do estado, ato muitas vezes criticado devido à possibilidade de criação de cargos comissionados, onerando os cofres públicos.

Primeiro governador reeleito da história do estado de Santa Catarina, conseguiu a marca histórica em 29 de outubro de 2006 com 52,7% dos votos válidos, tendo sido derrotado em 108 municípios, destacando-se as principais cidades como Blumenau, São José, Itajaí, Jaraguá do Sul, Palhoça e Tubarão. Renunciou ao cargo em 25 de março de 2010 em favor de Leonel Pavan para concorrer ao Senado Federal do Brasil nas Eleições gerais no Brasil em 2010.

Correu no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um recurso que pedia a cassação do mandato do ex-governador Luiz Henrique da Silveira. Ele era acusado por adversários de abuso de poder econômico na divulgação de propaganda institucional durante a campanha eleitoral de 2006. Em 15 de fevereiro de 2008, o julgamento foi interrompido por um pedido de vista do ministro Marcelo Ribeiro, sendo que três dos sete ministros do TSE já haviam votado a favor da cassação do governador.[2] Em 28 de maio de 2009, por seis votos a um, o TSE absolveu o governador da acusação.[3] Em 3 de outubro de 2010 se elegeu-se para ocupar uma das 2 vagas no senado de SC a 2° vaga foi preenchida pelo Deputado Federal e ex secretário de educação Paulo Roberto Bauer.

Referências

  1. Folha Eleições 2010
  2. "TSE: três ministros votam pela cassação do governador de SC", G1, 15/02/2008. Página visitada em 17/02/2008.
  3. Escandiuzzi, Fabricio (28/05/2009). TSE absolve governador de SC em processo de cassação (em português) Terra Networks. Visitado em 29 de maio de 2009.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Piazza, Walter: Dicionário Político Catarinense. Florianópolis : Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1985.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Pedro Ivo Campos
Prefeito de Joinville
1977 — 1982
Sucedido por
Violantino Rodrigues
Precedido por
Renato Archer
Ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil
1987 — 1988
Sucedido por
Luiz André Rico Vicente
Precedido por
Wittich Freitag
Prefeito de Joinville
1997 — 2002
Sucedido por
Marco Tebaldi
Precedido por
Esperidião Amin
Governador do Estado de Santa Catarina
2003 — 2006
Sucedido por
Eduardo Pinho Moreira
Precedido por
Eduardo Pinho Moreira
Governador do Estado de Santa Catarina
2007 — 2010
Sucedido por
Leonel Pavan