Luiz Penido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Luiz Penido
Nascimento Luiz Alberto Penido
5 de abril de 1955 (59 anos)
Juiz de Fora, Minas Gerais Minas Gerais
Ocupação Narrador, radialista e locutor esportivo.
Etnia Caucasiano
Nacionalidade  brasileiro
Trabalhos notáveis Rádio Tupi(1988-93/97-2012)
Globo AM.png Rádio Globo (1969-88/2012-atualmente)
Rádio Nacional(1994-95),Rádio Tropical(1996-1997)

Luiz Alberto Penido , mais conhecido como Luiz Penido (Juiz de Fora, 5 de abril de 1955), é um radialista e locutor esportivo brasileiro, atualmente na Rádio Globo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O começou sua carreira em 1969, na Rádio Globo, sob o comando de Waldir Amaral. Ele trabalhou em diversas funções como locutor, apresentador, entrevistador de jornalismo.

Trabalhou simultaneamente na Rádio Eldorado (atual CBN) sempre atuando no campo desportivo. Penido foi em 1988 trabalhar na Rádio Tupi, onde ficou até o ano de 1993, saindo e fazendo breves passagens na Rádio Nacional e na extinta Rádio Tropical. Teve também uma rápida passagem pela televisão apresentando o programa esportivo Rio Bom de Bola e o policial Disque Record ambos na Record Rio.

Em 1997 retornou a Tupi comandando a equipe de esportes juntamente com Doalcei Camargo. Desde 1999 comandava sozinho a equipe. Ele narrou quatro mundiais de basquete, dezenas de GPs de Fórmula 1 em diversos países, seis Copas do Mundo e foi eleito durante oito anos consecutivamente, o melhor locutor de basquete do Brasil.

Destata-se pela forma de sua locução e alguns os consideram a sua forma de narrar um tanto quanto exagerada, gritando de forma desmesurada ao microfone. Foi um dos que narraram o milésimo gol do atacante Romário em 20 de maio de 2007 em Vasco da Gama 3x1 Sport.

Depois de de 24 anos e após vários anos na Tupi, Penido voltou à Rádio Globo, para ser o locutor principal do Rádio Globo Futebol Clube e a apresentação do Globo Esportivo, no lugar de José Carlos Araújo[1] . tendo a sua reestreia na final do Carioca 2012, quando o próprio José Carlos Araújo passou o cargo[2] .

Mais sobre os seus trabalhos[editar | editar código-fonte]

Luiz Penido é conhecido pelo apelido de O Garotão da Galera. Para se adequar ao apelido, seus bordões e temas incluem alguns trechos de músicas, a maioria infantis, que se fizeram famosas na década de 1980 além de bordões populares dos cariocas. Alguns deles são:

  • Nas ondas do rádio - Frase que Penido diz sempre após a vinheta do seu nome. É retirada da música Rádio Pirata, do grupo RPM. Por alguns anos, a parte original da citada música que diz a citada frase (desse jeito: Está no ar... nas ondas do rádio), foi ouvida como vinheta durante as transmissões de Luiz Penido.
  • É o Garotão da galera, é Luiz Penido. Ele é o fera, fera-neném - Tema musical de Luiz Penido, baseado na música Fera Neném do grupo Trem da Alegria, cantada pelo ídolo infantil dos anos 80 Juninho Bill. Atualmente este tema é raramente ouvido.
  • ...e o que resta dessa festa?- Frase dita por Penido durante partidas de futebol após alguma jogada que por pouco não resulta em gol. Possivelmente retirada da música A cruz e a espada (também do grupo RPM), onde há a frase ...daquela festa, o que me resta...[3] . Ou, mais provavelmente, da música "O homem", de Raul Seixas e Paulo Coelho, no trecho em que o Maluco Beleza diz ... mas isso é tudo o que me resta nessa festa![4] .
  • ... Bota o pé na forma, bicho! - Frase dita por Penido durante partidas de futebol após alguma jogada boa, mas o chute vai pra longe do gol.
  • "Alô Galera" - saudação inicial de Penido nas transmissões
  • "Vai pro livro de ocorrência" - frase dita por Penido quando um jogador leva um cartão amarelo
  • "ra-re-ri-ro-Rua" - frase dita por Penido quando um jogador é expulso do campo após levar o cartão vermelho
  • "Passou o cerol" - frase dita após uma jogada violenta culminando numa falta dura
  • "Rolou a bola galera" - referindo-se ao início de jogo no primeiro e no segundo tempo
  • "Acabou o primeiro tempo/o jogo" - referindo-se ao intervalo e ao término da partida
  • "Hora certa da Rádio Globo pra você" - informa a hora certa para o ouvinte e torcedor. No período que trabalhou na Tupi a frase que utilizava era o "Hora Certa Tupi"
  • "É hora de se ligar no tempo e no placar" - frase dita por Penido antes giro do placar
  • "Cravados"/"Cravadões" - informa o tempo do jogo no giro do placar
  • "O placar diz" - usada no giro do placar e após os gols antecedida do bordão "O couro come"
  • "Guardou" - quando um time marca um gol
  • "Fortalece a massa" - referindo-se a explosão da alegria do torcedor
  • "Uma obra prima que o Mengão/Vascão/Fogão/Fluzão/Brasilzão assina" - dita ao descrever a jogada do gol
  • "Me amarrei xará,me amarrei de montão com o primeiro/segundo/terceiro/quarto do Mengão/Vascão/Fogão/Fluzão/Brasilzão" - dita ao término da descrição do gol conforme a vantagem no placar
  • "Rala,rala,rala" - referindo-se ao adversário que tomou o gol
  • "A Rádio Globo comanda o futebol,abre o jogo e mostra tudo" - dita durante as transmissões
  • "Aí vem a fera" - frase dita para chamar o comentarista,plantonista,repórter ou âncora
  • "Acabooou" - frase dita quando um time conquista o título
  • "Babou" ou "Vazou" - referindo-se ao time eliminado do torneio
  • "Brota no campo de jogo" - frase dita quando os times entram no gramado
  • "Aí vem (nome do jogador)n o pique da Globo"
  • "Flamengaço" ou "Mengão queridão" - referindo-se ao Flamengo
  • "Gigantão da Colina" - referindo-se ao Vasco
  • "Todo Glorioso" - referindo-se ao Botafogo
  • "Nosso Tricolor" - referindo-se ao Fluminense
  • "Brasilzão" ou "Brazuca" - referindo-se à Seleção Brasileira de futebol

Referências

  1. ORepórter (26.04.2012). Apresentador da Rádio Globo dá boas-vindas a Luiz Penido, que sai da Tupi 10:43:00. Visitado em 26.04.2012.
  2. Tudo Rádio (11/05/2012). Rádio Globo transmite partida do Carioca com Garotinho e Penido. Visitado em 12/05/2012.
  3. Letras.Mus.Br. A cruz e a espada.
  4. Letras.Mus.Br. O homem.