Lynda Carter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lynda Carter
Lynda Carter em 2011 na Phoenix Pride
Nome completo Lynda Jeán Córdova Carter
Nascimento 24 de julho de 1951 (63 anos)
Phoenix, Arizona, EUA
Atividade 1974 - atualmente
Cônjuge Ron Samuels (1977-1982)
Robert A. Altman (1984 - atualmente)
Página oficial
IMDb: (inglês)

Lynda Jean Córdova Carter (Phoenix, 24 de julho de 1951) é uma atriz norte-americana. Tornou-se famosa no papel-título da amazona na série de TV de aventura e fantasia Mulher Maravilha, exibida originalmente de 1976 a 1979.

Origens[editar | editar código-fonte]

Nascida no estado do Arizona.[1] Seu pai, Colby Carter, é um caucasiano norte-americano e sua mãe, Juana Córdova, mexicana. Durante sua infância, Lynda foi uma ávida leitora das histórias em quadrinhos de Mulher-Maravilha. Freqüentou as instituições de ensino Globe High School em Globe (Arizona) e Arcadia High School em Phoenix, e daí para a Arizona State University, a qual deixou após ser eleita a aluna mais talentosa, seguindo carreira musical. Ela fez turnês como cantora para diversas bandas de rock (uma delas incluindo Gary Burghoff, o "Radar" do filme e série de TV Mash), até que voltou ao Arizona em 1972.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como Mulher Maravilha em foto de 1976

Lynda inscreveu-se em um concurso de beleza local e obteve fama nacional pela primeira vez ao ganhar o título de Miss Mundo EUA, em 1972, representando o Arizona.[2] Como candidata dos Estados Unidos ao Miss Mundo, ela chegou às semifinais. Após freqüentar aulas de interpretação em diversas escolas dramáticas de New York, ela começou a fazer aparições em programas de TV como Starsky & Hutch: Justiça em Dobro!, Cos e Nakia e "filmes B" como Bobby Jo And The Outlaw (1976). Contudo, sua carreira de atriz não decolaria até ela estrear em seu papel de protagonista na série de televisão Mulher-Maravilha. Sua interpretação perfeita ganhou-lhe a estima dos fãs e a apreciação da crítica, fazendo a série durar por três temporadas. Mais de três décadas após ter estreado neste papel, Lynda continua a ser imediatamente identificada como a Mulher-Maravilha, tanto que tornou-se difícl para os produtores encontrarem uma candidata adequada para interpretar a personagem nas subseqüentes produções canceladas (a mais recente tentativa foi anunciada em 2005). Os outros créditos de Lynda incluem o papel-título na biografia para TV de Rita Hayworth e diversos especiais para a televisão. Também estrelou em duas séries de TV de curta duração: Jogo de Damas (Partners in Crime), com Loni Anderson e Nas Garras do Falcão (Hawkeye). No final dos anos 70s, ela gravou o álbum Portrait e fez várias aparições como convidada em programas de variedades musicais. Também cantou duas de suas canções no episódio de Mulher-Maravilha Amazon Hot Wax.

Em 2001, Lynda estrelou a comédia de baixo-orçamento Os Super-Tiras, como a Governadora Jessman do Estado de Vermont. Os roteiristas do filme, a trupe cômica Broken Lizard e o membro e diretor Jay Chandrasekhar, queriam Lynda especificamente para o papel, com planos-reserva de abordar outras estrelas de TV doas anos 70s caso Lynda recusasse. Outra rara aparição de Lynda no cinema em anos foi em na refilmagem para a telona de Os Gatões: Os Gatões: Uma Nova Balada, em 2005, também dirigido por Chandrasekhar. No mesmo ano, ela também apareceu no filme Escola de Super-Heróis, como Diretora Powers. O roteiro deu à Lynda a oportunidade de fazer piada com sua personagem mais famosa quando diz: "Não sei mais o que fazer com vocês, crianças. Não sou a Mulher-Maravilha."

Lynda também dublou vários videogames, fazendo as vozes das personagens femininas Nord e Orsimer (Orc) em dois jogos para computador da série The Elder Scrolls: The Elders Scrolls III: The Morrowind e The Elders Scrolls IV: The Oblivion. Desenvolvidos pela Bethesda Softworks, da qual seu marido Robert Altman (não confundir com o falecido diretor de Hollywood homônimo) é presidente e CEO. De 26 de setembro a novembro de 2005, Lynda interpretou o papel de Mama Morton na produção do West End London de Chicago.[3]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Lynda casou-se duas vezes. Seu primeiro casamento foi com o então agente Ron Samuels a 28 de maio de 1977. Divorciaram-se em 1982. Lynda casou-se com o então advogado Robert A. Altman a 29 de janeiro de 1984. Eles tem dois filhos: James Altman e Jessica Altman.[2]

Mulher Maravilha: Nova versão 2011[editar | editar código-fonte]

Lynda Carter acha que Sandra Bullock é a escolha perfeita para interpretar Mulher Maravilha.

Ela continua:

"Ela tem exatamente o tipo de personalidade e de alguma forma ela teria sido abalada pelo rumor de que eu teria dito que ela era muito velha. Isso é um absurdo - não é verdade. Ela é forte e feminina. E a Mulher Maravilha tem de ser acessível".

2011: Novo Projeto para Televisão[editar | editar código-fonte]

Segundo notícias, em outubro de 2010, a Warner Bros. Television teria contratado o escritor-produtor David E. Kelley para lançar uma nova série de televisão de Mulher-Maravilha para exibição em rede. Todas as grandes redes recusaram a série, mas a NBC, a rede que inicialmente teria recusado o projeto, anunciou que tinha encomendado um piloto em 21 de Janeiro de 2011. A trama é descrita como "uma reinvenção do ícone da D.C. Comics, em que a Mulher Maravilha - também conhecida como Diana Prince - é uma justiceira do crime/vigilante em Los Angeles, mas também uma executiva de sucesso na vida empresarial e uma mulher moderna, tentando equilibrar todos os elementos de sua vida extraordinária".

Referências

  1. WIC Biography – Lynda Carter Women's International Center. Visitado em 2006-05-04.
  2. a b Lynda Carter: the woman behind the superhero Lifetime Television for Women. Visitado em 2006-05-04.
  3. The British Theater Guide. Visitado em 2006-05-12.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.