Män som hatar kvinnor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Män som hatar kvinnor
Os Homens que Odeiam as Mulheres (PT)
Os Homens que Não Amavam as Mulheres (BR)
Autor (es) Stieg Larsson
Idioma sueco
País  Suécia
Género Romance criminal
Série Trilogia Millennium
Espaço onde decorre a história Suécia
Editora Norstedts
Lançamento 2005
ISBN 978-91-1-301408-1
Edição portuguesa
Tradução Mário Dias Correia
Editora Oceanos
Lançamento 2008
Páginas 539
ISBN 978-989-23-0237-9
Edição brasileira
Tradução Paulo Neves
Editora Companhia das Letras
Lançamento 2008
Páginas 528
ISBN 9788535913248
Cronologia
Último
Último
Flickan som lekte med elden
Próximo
Próximo

Män som hatar kvinnor (lançado no Brasil como Os Homens que Não Amavam as Mulheres,[1] e em Portugal como Os Homens que Odeiam as Mulheres[2] ) é um livro do escritor sueco Stieg Larsson, o primeiro da Trilogia Millennium.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Os homens que odeiam as mulheres é um enigma a portas fechadas - passa-se na vizinhança de Hedestad, Suécia. Em 1966, Harriet Vanger, jovem herdeira de um império industrial, some sem deixar vestígios. No dia de seu desaparecimento, fechara-se o acesso à ilha onde ela e diversos membros de sua extensa família se encontravam. Desde então, a cada ano, Henrik Vanger, o velho patriarca do clã, recebe uma flor emoldurada, em seu aniversário - o mesmo presente que Harriet lhe dava, até desaparecer. Henrik está convencido de que ela foi assassinada. E que um Vanger a matou, provavelmente por ganância pelo facto de ela ser a possível herdeira de todo o império industrial de Henrik.

O livro desenvolve-se apresentando vários personagens e apresentando factos pouco a pouco, deixando o leitor curioso sobre o desfecho da história e sobre o verdadeiro culpado.[3]

Personagens principais[editar | editar código-fonte]

Mikael Blomkvist é um jornalista e co-fundador da revista Millenium, que se dedica principalmente a desmascarar escândalos na alta finança, mas que acabou de ser declarado culpado de um caso de difamação a uma as mais influentes personalidades suecas.

Lisbeth Salander é uma investigadora excepcional e irreverente,que trabalha em uma empresa de segurança, com muitos trunfos na manga, que irá juntar forças com Mikael para desvendar o mistério da família Vanger.É considerada dependente do ponto de vista da Justiça, pelo fato de ser desequilibrada, o quê se revela sendo um equívoco ao longo do livro, tendo em vista que é uma jovem muito astuta e inteligente, já teve várias famílias adotivas e fugiu de todas.

Henrik Vanger é um grande empresário na reforma com um passado familiar conturbado que anda obcecado há 40 anos com o desaparecimento da menina dos seus olhos, a sua sobrinha Harriet Vanger. Desapareceu sem deixar testemunhas, qualquer prova, mas Henrik está convencido que foi assassinada. Aproveitando-se da problemática situação em que se encontra Mikael, Henrik pede-lhe para escrever um livro sobre a biografia da família Vanger, como desculpa para investigar o desaparecimento de Harriet.

Dragan Armanskij é dono da empresa na qual Lisbetht trabalha, a Milton Security. Ele tem um afecto especial por sua funcionária,que a trata gentilmente.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Stieg Larsson recebeu o Prémio Chave de Vidro para o Melhor Romance Criminal da Academia Sueca de Ficção Criminal, em 2006, pelo livro Män som hatar kvinnor.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]