Médico escritor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Médico escritor é o médico que escreve de forma criativa em campos fora da prática da medicina. Seus trabalhos incluem contos, romances, poemas, literatura infantil, peças teatrais, ensaios, ficção especulativa, biografias e traduções.

Encontramos médicos escritores desde a mais remota era até os tempos atuais.

Antiguidade[editar | editar código-fonte]

  • Ctesias de Cnido – médico grego, historiador.
  • São Lucas – apóstolo e autor de um dos 4 evangelhos. É o padroeiro dos médicos.

Idade Média[editar | editar código-fonte]

  • Avicena (980 – 1037) – considerado o maior filósofo do Islamismo. Precursor da introdução dos algarismos arábicos na cultura ocidental.
  • Maimônides (1138 – 1204) – filósofo muçulmano em Andaluzia, Marrocos e Egito.
  • Nicolau Copérnico (1473 – 1543) – médico, matemático, astrônomo, tradutor, jurista polonês.
  • Girolamo Fracastoro (Fracastorius) (Verona, 1478 — Incaffi, 8 de agosto de 1553) foi um médico, matemático, geógrafo e poeta italiano.
  • François Rabelais (1483 – 1553) – médico francês, sacerdote, produtor de peças satíricas e humorísticas de cunho religioso.

Idade Moderna[editar | editar código-fonte]

Idade Contemporânea[editar | editar código-fonte]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Por que o médico escreve[editar | editar código-fonte]

Ao longo da história, sempre encontramos médicos escritores. Na Grécia antiga tiveram inspiração na mitologia.

O seu contato íntimo com o drama da vida humana (nascimento, doenças, morte) faz o médico um observador em posição privilegiada desses sentimentos, fazendo com que gravem e criem histórias sob essas inspirações.

O fator que também induz o médico a escrever é a curiosidade, nata e trabalhada por sua profissão, a respeito de todos os dramas humanos. Ele tem na prática médica sua finalidade, apoiando-se na literatura, e esta se apoiando na sua prática, numa inter-relação de ações. O segredo de profissão faz do médico um ser humano de grande conhecimento do padecimento de seus pacientes, que, no entanto, não pode revelar. A literatura abre um caminho para esse escape de que se sente necessitado.[1]

Associações de médicos escritores[editar | editar código-fonte]

Em 1955 um grupo de médicos escritores criou a Federação Internacional de Sociedades de Escritores Médicos (FISEM), tendo como um de seus fundadores o médico André Soubiran, autor de “Homens de branco”. A FISEM trocou o nome, em 1973, para Union Mondiale des Écrivains Médécins (UMEM). É a célula-mãe de outras instituições semelhantes ao redor do mundo.

Há associações de médicos escritores na Alemanha, Bélgica, Brasil, Bulgária, Espanha, França, Grécia, Itália, Holanda, Polônia, Portugal, Romênia e Suíça, entre outros países.

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil foi criada, nos moldes da FISEM-UMEM, a Sociedade Brasileira de Escritores Médicos (SBEM), depois denominada Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (SOBRAMES).

Posteriormente, também foi criada a Academia Brasileira de Médicos Escritores (ABRAMES).

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal existe a Sociedade Portuguesa de Escritores e Artistas Médicos (SOPEAM).

Moçambique[editar | editar código-fonte]

Em 2013 foi criada a Associação dos Médicos Escritores e Artistas de Moçambique - AMEAM pelo médico Helder Fernando Brígido Martins, espelhada na SOPEAM, na SOBRAMES e na UMEAL.

América Latina[editar | editar código-fonte]

Na América Latina há a Liga Sulamericana de Médicos Escritores (LISAME).

CPLP[editar | editar código-fonte]

Nos países lusófonos foi criada a União de Médicos Escritores e Artistas Lusófonos (UMEAL), tomando como base a SOBRAMES e a SOPEAM.

Publicações de médicos escritores[editar | editar código-fonte]

A imprensa do Hospital Johns Hopkins publica “Literature and Medicine”, um periódico voltado à interface medicina-literatura.[2]

A Associação Médica Britânica mantém uma lista de médicos escritores em sua página virtual.[3]

A Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, através de suas filiadas regionais nos Estados brasileiros, publica alguns periódicos, entre eles:

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]