Métrica de Kerr-Newman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A métrica de Kerr-Newman descreve um buraco negro de Kerr-Newman ou buraco negro em rotação com carga elétrica, que é aquele que se define por três parâmetros: a massa M, o momento angular J e a carga elétrica Q. Esta solução foi obtida em 1960 pelos matemáticos Roy Kerr e Erza Newman às equações de campo da relatividade para objetos massivos eletricamente carregados e com conservação de momento angular.

O buraco negro de Kerr-Newman é uma região não isotrópica que é delimitada por três regiões: um horizonte de Cauchy, um horizonte de eventos externo e uma ergoesfera. Devido à conservação do momento angular, a forma que toma o conjunto é a de um elipsoide, em cujo interior contém uma singularidade em forma de anel ou toro comprimido a volume praticamente zero (o caso contrário seria um buraco negro de Reissner-Nordstrom).

A fórmula que determina ao limite estático da ergoesfera depende da massa, a carga e o momento angular do buraco negro.

r_s = M + \sqrt{M^2 - a^{2}\cos^{2}\theta - Q^2}

Onde r_s é o perímetro da ergoesfera, M é a massa, a o parâmetro de rotação J\over M onde J é o momento angular, e Q é a carga elétrica.

Portanto o equacionamento que determina as bordas de suas horizontes de sucessos é assim:

r = r_\pm = M \pm \sqrt{M^2-a^2-Q^2}

Onde  r_\pm é a distância de cada horizonte de sucessos, sendo o valor de  r_+ para o horizonte de eventos externo, e o valor de  r_- para o horizonte de eventos interno.

Sobre Q e J em um buraco de Kerr-Newman[editar | editar código-fonte]

O que ocorre ao combinar-se Q e J

Devido a que a velocidade de rotação tende a ser muito alta, o horizonte de eventos se divide em dois horizontes tal como descritos, o que gera enormes correntes de direção única entre eles, afetando o limite estático da ergoesfera, que força a alguns fótons a serem emitidos como raios gama.

Outro fenômeno comum neste tipo de buracos negros, e cuja energia depende diretamente de sua velocidade, é a formação de intensos campos magnéticos e correntes de gás ionizado perpendiculares ao disco de acreção que forma redemoinho em torno da ergoesfera.

Sobre a relação Q e J com M no raio giromagnético

Os valores que tomam a carga elétrica e o momento angular são muito importantes na anatomia de um buraco negro de Kerr-Newman, devido a que é sua relação a que determina o limite concreto entre seus horizontes e o raio giromagnético ou momento magnético dipolar sendo sua fórmula r_g = {2Mm\over JQ} onde r_g é o raio giromagnérico e m é o momento magnético. Existem basicamente três relações:

  • | Q | ^ J < M, aqui o momento magnético dipolar é maior, o que significa que se gera um ligeiro efeito de eletro-imã fora da ergoesfera. Os horizonte se mantém a adequada distância.
  • |Q | ^ J = M, para este caso o dipolo é normal, criando-se um campo magnético moderado. Os horizontes se fundem em um único horizonte de eventos que rodeia à singularidade em forma de anel.
  • | Q | ^ J > M, este caso em particular não é o mais comum, aqui o efeito do campo magnético é muito intenso e os horizontes desaparecem deixando à singularidade visível, mas este parece estar proibido pela regra do censor cósmico idealizada por Roger Penrose que não permite singularidades nuas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.