Mídia sem Máscara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mídia Sem Máscara
Lema "Qui scribit, bis legit"
Fundação agosto de 2002
Sede Estados Unidos Richmond, Virgínia, Estados Unidos
Membros Alan Keyes
Alejandro Peña Esclusa
Daniel Pipes
Heitor de Paola
Judith Reisman
Thomas Sowell
Línguas oficiais língua portuguesa
Editor-chefe Olavo de Carvalho
Fundador Olavo de Carvalho
Sítio oficial http://midiasemmascara.org

Mídia Sem Máscara (MSM) é uma página existente na internet desde 2002, estruturada ao redor de um grupo de redatores e editores, majoritariamente brasileiros. A página pertence ao Instituto Brasileiro de Humanidades[1] uma ONG que publica livros e vende palestras de seus membros,[2] é dirigida pelo jornalista Olavo de Carvalho e tem apoio financeiro da Associação Comercial de São Paulo.[carece de fontes?]

Linha editorial

De acordo com os mantenedores da página, a linha editorial do MSM é, através do media watch ou metajornalismo, abordar e analisar a mídia brasileira e internacional, de modo a evidenciar o que entendem ser a dominação dos instrumentos de comunicação públicos e privados por um viés esquerdista, usando assim seu direito de informar a partir de uma visão mais livre. Ainda que tal viés seja - de acordo com a linha editorial do MSM - particularmente presente na mídia brasileira, alega-se que tal tendência também se faria presente, em maior ou menor grau, nos meios de comunicação de outros países.

Apoiando-se em tais pressupostos, o MSM se propõe a publicar, noticiar e dar vazão a fatos e idéias que, segundo seus idealizadores, estariam sendo sistematicamente desprezados, distorcidos ou omitidos dos noticiários impressos, audiovisuais e virtuais.

A página possui uma pauta recheada de assuntos por muitos considerados politicamente incorretos, tais como os direitos dos tabagistas, o apoio manifesto a Israel no âmbito do Conflito israelo-palestino, a crítica a movimentos radicais de direitos homossexuais, apoio ao "american way of life", tendo os Estados Unidos da América como exemplo positivo para o Brasil.

A página também é divulgadora, por meio de traduções diretas, de artigos e ensaios de pensadores de outros países, como Alejandro Peña Esclusa, Daniel Pipes, Judith Reisman e Thomas Sowell e dispõe, desde 2005, de uma seção denominada Mapas Visuais, nas quais pretende organizar sistematicamente informações relativas a temas considerados mais complexos, como desarmamento e feminismo.

Perfil dos colaboradores

O grupo de articulistas, redatores e editores do MSM compõe um espectro variado de formações e profissionais, havendo desde economistas, advogados, médicos, jornalistas, administradores de empresas, militares aposentados, filósofos, magistrados, estudantes, entre outros. A página demonstra ter como editor principal o filósofo Olavo de Carvalho, embora outros editores já tenham, em maior ou menor grau, capitaneado o projeto.

Os mantenedores da página se dizem colaboradores voluntários e não-remunerados e segundo os próprios, "imbuídos de interesses intelectuais e apartidários".

A veemente contraposição do MSM a certos partidos e tendências políticas (notadamente o Partido dos Trabalhadores), definitivamente coloca o projeto no campo antipodal ao do comunismo e do esquerdismo. Embora haja certa variedade no espectro político dos colaboradores do MSM, é possível aferir que a maioria deles comunga do pensamento dito de direita, dentre os quais há conservadores,liberais, anarco-liberais, libertários e religiosos, entre outras tendências.

Temas abordados

Do ponto de vista temático, a pauta do MSM está estruturada em ensaios, artigos, pesquisas e resenhas que vão desde política e economia, passando por filosofia, humanidades, história, religião e assuntos científicos.

Dentre o que o MSM aponta como sendo exemplos de uma parcialidade da imprensa estariam a ausência de notícias desabonadoras sobre o regime de Fidel Castro em Cuba e as alegadas ligações do Partido dos Trabalhadores (PT) com a guerrilha FARC.

Projetos de cunho similar ao MSM, mas com abordagens distintas, são os websites do Centro Interdisciplinar de Ética e Economia Personalista (CIEEP), que trata das relações entre fé, cultura, política e economia; o Escola Sem Partido, voltado para debater a doutrinação política no ambiente escolar; e o De Olho na Mídia, voltado para a divulgação do conflito árabe-israelense .

Referências

  1. [1] Registro.br
  2. [2] Jornal Opção

Ligações externas