Mônica no Castelo do Dragão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mônica no Castelo do Dragão
Produtora West One (adaptação por Tectoy)
Editora(s) Tectoy
Plataforma(s) Sega Master System
Data(s) de lançamento Brasil 1991
Gênero(s) Plataforma
Modos de jogo Single player
Número de jogadores 1
Média Cartucho
Idioma Brasil Português

Mônica no Castelo do Dragão é um jogo do Sega Master System lançado pela brasileira Tec Toy em 1991, estrelado pela personagem dos quadrinhos, Mônica. O jogo é uma reprogramação gráfica, e textual oficial feita pela Tectoy, em parceria com a Mauricio de Sousa Produções, autorizada pela Sega, do jogo original Wonder Boy in Monster Land. O jogo teve uma continuação chamada Turma da Mônica em O Resgate, e um remake para Mega Drive, chamado Turma da Mônica na Terra dos Monstros. Os dois também eram versões modificadas de jogos da série Wonderboy.

O jogo se tornou um dos grandes sucessos do Master System, tendo já acompanhado o console tanto em versão normal quanto numa versão rosa, para atrair meninas. Ele também foi adaptado para os quadrinhos da Mônica em uma edição

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O Capitão Feio e seu exército quer dominar o mundo e deixá-lo sujo. E assim, Mônica embarca para impedi-lo, comprando botas, escudos, vestidos (substituindo armaduras) e Sansões (o coelho de pelúcia, substituindo espadas) para fortalecer-se. Mas, apesar de ter o dragão do título como último chefe, o Capitão Feio não aparece no jogo, exceto na tela do título.

No início do jogo é revelado que a missão da Mônica é super-perigosa por um feiticeiro com sua bola de cristal. Só ela pode derrotar Capitão Feio e seus aliados. Para isso Mônica deve partir para uma aventura, mas se Mônica fracassar será transformada num monstro poluído e de sujeira.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogo é um plataforma em que jogadores controlam Mônica, armada com seu coelho de pelúcia Sansão (substituindo as espadas de Wonder Boy). Mônica tem que passar por doze fases, cada uma com monstros, itens e cenários próprios. As setas para esquerda e direita andam, a seta para cima entra em casa o botão para baixo ativa magia, o botão A ataca e seleciona itens em lojas, e o B pula e passa falas. Cada cidade tem uma loja para comprar itens, que incluem escudo, armaduras, botas e magia. Mônica tem inicialmente 5 pontos de vida representados por corações, que vão se desgastando quando ela é atacada por inimigos. Novos corações são conquistados a cada 100,000 pontos, que são ganhos vencendo as fases. Uma ampulheta representando o tempo para concluir a fase aparece no alto da tela, e quando é esgotada Mônica começa a perder vida. Coletar pequenas ampulhetas ou visitar hotéis e hospitais restaura o tempo.[1]

Adaptação dos Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Em 1992 o jogo foi livremente adaptada na história "Mônica contra o terrível exército do Capitão Feio". Neste quadrinho, Mônica é convocada por Jack Jacaré para ir até seu reino, localizado dentro de um cartucho de videogame, para derrotar os monstros invasores liderados por Capitão Feio.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Manual de Mônica no Castelo do Dragão, Tectoy, 1991
  2. "Mônica contra o terrível exército do Capitão Feio", Mônica nº 64, Editora Globo (Abril 1992)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.