M60

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
M60
M60.jpg
Tipo Metralhadora ligeira
Local de origem  Estados Unidos
História operacional
Em serviço 1957 - presente
Histórico de produção
Criador Saco Defense, U.S. Ordnance
Data de criação 1950
Variantes M60E1, M60E2, M60B, M60C, M60D, M60E3, M60E4
Especificações
Peso 10,4 kg
Comprimento 1077 mm
Comprimento 
do cano
560 mm
Calibre 7,62x51mm NATO
Ação Actuação a gás; Culatra Aberta
Cadência de tiro 550 tpm
Velocidade de saída 853 m/s
Alcance efetivo Eficaz 1100 mts Máximo 3725 mts
Sistema de suprimento cinto de munições desintegrável
Mira alça e ponto de mira
Um Navy Seal com sua M60.

A M60 (inicialmente United States Machine Gun, Caliber 7,62 mm, M60) é uma metralhadora ligeira calibre 7,62x51mm NATO, designada GPMG (General Purpose Machine Gun) que desde a sua produção tem estado ao serviço dos Estados Unidos e outros países com arma de suporte a um esquadrão ou montada em tanques, helicópteros e outros veículos. Sofreu ao longo dos anos inúmeras actualizações, e tem sido substituída pela FN MAG em várias funções.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

A M60 é uma metralhadora arrefecida por ar, operada a gás e dispara de uma culatra aberta. É municiada por um cinto de balas normalmente com 100 munições e possui um bipé. É usada maioritariamente como arma para fogo de supressão tendo alcance eficaz para alvo de área e montada num tripé de 1.100m, para um alvo de área e bipé da arma de 800m, alvo de ponto de 600m, alvo móvel de 200m. A doutrina dos US Marine Corps diz que a M60 tem alcance eficaz de 1.500m nas mãos de um atirador experiente.

Quando foi oficialmente adoptada em 1957 a M60 apresentava muitas falhas na sua construção. Quando testada no terreno era razoavelmente eficaz mas no curso da guerra do Vietnam e demonstrou vários problemas. Entre eles era o facto de ser pesada, apesar de ser a arma do seu tipo de entre as mais leves. A queixa mais comum dos soldados era que a arma era pouco fiável, tendia a encravar e tinha outras avarias quando ganhava sujidade, facto que levou as Forças Armadas Israelitas a não querer adoptar esta arma. O selector de tiro funcionava "ao contrário", dado que as posições de fogo e segurança eram no sentido contrário ao da M16 e da Colt M1911. Se certas partes no grupo do gatilho fossem mal montadas, era possível a arma disparar continuamente depois de actuado o gatilho e mesmo depois de lá tirar o dedo. Acontecia também partir invólucros no ciclo de extracção, encravando e consequentemente demorava a desencravar. O modelo original continha uma pega que podia ficar presa no equipamento do portador e fazer cair o cano, parte esta que foi sustituída por um botão. Havia também alguns problemas relativos às peças serem demasiado finas e poderem dobrar ou partir, e outras peças de fácil desgaste, algo que foi evitado construindo peças mais fortes. Havia ainda o problema do cano que, quando tinha de ser mudado devido a altos ritmos de fogo e consequente subida de temperatura, tinha de ser mudado com luvas porque as mãos tinham de segurar no próprio cano, e cada cano vinha com o seu próprio bipé o que significava um desmantelamento parcial da arma para a troca de cano. Estas falhas levaram tropas americanas a adoptar a M1918A2 BAR durante mais alguns anos como arma de apoio ao esquadrão.

Variantes[editar | editar código-fonte]

Ao longo dos anos a M60 sofreu várias revisões para rectificar problemas ou para adaptação da arma a veículos.

  • T161 - Desenho experimental da M60.
  • M60 - Modelo básico da arma, que entrou ao serviço em 1957.
  • M60E1 - Versão melhorada que não chegou a entrar em produção em larga escala. As principais diferençãs residem no manipulo para substituição do cano e no bipé que ficou integrado no tubo de gás em vez do cano. Diferenças estas aproveitadas nas versões seguintes.
  • M60E2 - Versão usada em veículos como arma co-axial. Esta versão não possui manipulos ou coronhas e é electricamente disparada, apesar de ter um disparo mecânico para redundância. O tubo de gás foi estendido a todo o comprimento da arma.
  • M60B - Versão de pouca duração substituída pela versão M60D criada para uso em helicópteros. Não era montada, simplesmente apoiada, não possuia bipé e tinha uma coronha diferente.
  • M60C - Versão para uso em aeronaves. Electricamente disparada, hidraulicamente carregada, controlada electronicamente pelo piloto, não possuia bipé, punho, e miras.
  • M60D - Resumidamente, uma versão melhorada da M60B. Similar à M60C, só que não é controlada pelo piloto.
  • M60E3 - Entrando por volta de 1986, esta versão "terrestre" melhorou muitos dos problemas iniciais da M60. Mais leve, selector de tiro ambidextro, suporte para alças universal, punho posterior, entre outros. Devido às partes serem mais leves, nomeadamente o cano, não consegue manter fogo por tanto tempo e a arma degrada-se mais facilmente.
  • M60E4 - A última geração da M60, contém subvariantes. De aspecto igual à M60E3, possui melhoramentos internos. Não é considerada outra versão mas sim um melhoramento às versões anteriores, dado que também tem as variantes para montagem em veículos. Existem versões com vários comprimentos de cano, com carris para pôr dispositivos auxiliares, etc.

Operadores[editar | editar código-fonte]

M60 no Vietnã - 1966.

Referências

  1. Norman Polmar. The Naval Institute guide to the ships and aircraft of the U.S. fleet. [S.l.]: Naval Institute Press, 15 de janeiro de 2005. p. 500. ISBN 978-1-59114-685-8. Visitado em 2 November 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]