MTU

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em redes de computadores, MTU é o acrónimo para a expressão inglesa Maximum Transmission Unit, que em português significa Unidade Máxima de Transmissão, e refere-se ao tamanho do maior datagrama que uma camada de um protocolo de comunicação pode transmitir.

Teoria[editar | editar código-fonte]

O protocolo IP permite a fragmentação de pacotes, possibilitando que um datagrama seja dividido em pedaços, cada um pequeno o suficiente para poder ser transmitido por uma conexão com o MTU menor que o datagrama original. Esta fragmentação acontece na camada IP (camada 3 do modelo OSI) e usa o parâmetro MTU da interface de rede que irá enviar o pacote pela conexão. O processo de fragmentação marca os fragmentos do pacote original para que a camada IP do destinatário possa montar os pacotes recebidos, reconstituindo o datagrama original.

O protocolo da Internet define o "caminho MTU" de uma transmissão Internet como o menor valor MTU de qualquer um dos hops do IP do path desde o endereço de origem até ao endereço de destino. Visto de outro modo, o "caminho MTU" define o maior valor de MTU que pode passar pelo caminho sem que os seus pacotes sofram posterior fragmentação.

O RFC 2000 descreve o "Path MTU discovery", uma técnica para determinar o caminho MTU entre dois hospedeiros IP de forma a evitar fragmentação de IP. Esta técnica utiliza o feedback para o endereço fonte dos resultados de enviar datagramas de tamanhos progressivamente maiores, com o bit DF (Don't Fragment) on - qualquer dispositivo que ao longo do caminho necessite de fragmentar o pacote irá largá-lo e enviar uma resposta ICMP "datagrama demasiado grande" para o endereço de origem. Através deste teste, o hospedeiro de origem "aprende" qual o valor máximo de MTU que atravessa a rede sem que seja fragmentado.

Problemas potenciais e resolução[editar | editar código-fonte]

Infelizmente, um número crescente de redes bloqueia todo o tráfego ICMP (por exemplo, para evitar ataques denial of service - isto impede o funcionamento da técnica acima explicada. Frequentemente descobrimos esta fragmentação nos casos em que a ligação funciona com volumes baixos de tráfego mas bloqueia sempre que o host envia uma grande quantidade de dados ao mesmo tempo (por exemplo, com irc um cliente pode chegar até ao nospoof ping mas depois não obtém qualquer resposta dado que a ligação é bloqueada pela enorme quantidade de mensagens de boas vindas. Paralelamente, numa rede IP, o "caminho" desde o endereço de origem até ao endereço de destino pode ser alterado dinamicamente, em resposta a variados eventos (balanceamento de carga, congestionamento, downtimes, etc.) - isto pode resultar em que o caminho MTU se modifique (por vezes repetidamente) durante uma transmissão, o que pode introduzir ainda mais perda de pacotes antes que o host descubra o novo valor seguro de MTU.

A maioria das modernas ethernet LANs usam um MTU de 1500 bytes. Contudo, sistemas como PPPoE irão reduzir isto, causando a entrada em acção da descoberta do caminho MTU, o que pode ter como consequência fazer com que alguns sites protegidos por firewall mal configuradas se tornem inacessiveis. Podemos contudo reparar isto, dependendo do ponto da rede que controlamos: por exemplo, podemos alterar o MSS (maximum segment size) no pacote inicial que configura o TCP na firewall.

Alguns sistemas IBM (a XSeries, por exemplo), que suportam o mais velho protocolo ethernet podem necessitar que se estabeleça o valor de MTU em 1492 de modo a poderem ser utilizadas numa típica LAN.

Podemos alterar o MTU utilizando (por exemplo) o comando ipconfig (no Windows) ou ifconfig (no GNU/Linux).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.