Macaca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaMacaca[1]
Macaco-japonês (Macaca fuscata)

Macaco-japonês (Macaca fuscata)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Cercopithecidae
Subfamília: Cercopithecinae
Tribo: Papionini
Género: Macaca
Lacépède, 1799
Espécie-tipo
Simia inuus
Linnaeus, 1758 = Simia sylvanus Linnaeus, 1758
Espécies
Ver texto


Macaca é um gênero de Macacos do Velho Mundo da subfamília Cercopithecinae.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Junto com os humanos (gênero Homo), o gênero Macaca é um dos gêneros mais amplamente distribuídos de primatas, ocorrendo desde o Japão até o Afeganistão, e no caso do macaco-de-gibraltar, o Magrebe. Vinte e duas espécies são reconhecidas, incluindo algumas espécies que são bem conhecidas para não-zoólogos, como o macaco-rhesus e o macaco-de-gibraltar, que possui uma colônia no Rochedo de Gibraltar. Embora algumas espécies não possuam cauda e se pareçam com hominóides, eles não são diretamente relacionados aos chimpanzés ou gorilas.

Em algumas espécies, a pele do segundo ao quinto dedo une esses dedos.[2]

Comportamento social[editar | editar código-fonte]

Os integrantes desse gênero possuem uma complexa hierarquia. Se um macaco de posição mais baixa na hierarquia se alimenta e não deixa resto para o dominante, este último pode remover o alimento da boca do subalterno.[3]

Relações com humanos[editar | editar código-fonte]

O macaco-rhesus é um dos primatas mais utilizados como organismo modelo, principalmente na neurociência, para estudar a visão.[4]

O macaco-rhesus é um dos primatas mais utilizados como organismo modelo, principalmente na neurociência, para estudar a visão.

Entre 73% e 100% das espécies do gênero em cativeiro são vetores assintomáticos do vírus da herpes. Esse vírus não é prejudicial aos macacos, mas infecta humanos, podendo ser fatal, o que torna esses animais pouco recomendados como animais de estimação.[5] Um estudo de 2005 da Universidade de Toronto mostrou que macacos urbanos podem estar envolvidos em zoonoses virais em humanos, como por exemplo a febre amarela.[6]








Classificação[editar | editar código-fonte]

Gênero Macaca[editar | editar código-fonte]

Espécies fósseis[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Groves, C.P.. Order Primates. In: Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. 3. ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. 161–165 pp. ISBN 978-0-8018-8221-0. OCLC 62265494.
  2. Ankel-Simons, F.. Primate anatomy: an introduction. [S.l.]: Academic Press, 2000. p. 340. ISBN 0-12-058670-3.
  3. "The Life of Mammals" Hosted by David Attenborough, 2003 British Broadcasting Corporation. BBC Video
  4. doi:10.1186/1471-2202-6-67
    Esta citação será automaticamente completada em poucos minutos. Você pode furar a fila ou completar manualmente
  5. Ostrowski, S.R.; et al.. . "B-virus from Pet Macaque Monkeys: An Emerging Threat in the United States?". Emerging Infectious Diseases 4 (1). Centers for Disease Control and Prevention (CDC).
  6. University of Toronto - News@UofT - Performing monkeys in Asia carry viruses that could jump species to humans (Dec 8/05)
  7. Hartwig, Walter Carl. The primate fossil record. [S.l.]: Cambridge University Press, 2002. p. 273. ISBN 0-521-66315-6.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Macaca
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Macaca


Ícone de esboço Este artigo sobre Macacos do Velho Mundo ou Hominoidea, integrado ao WikiProjeto Primatas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.