Machico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Machico
Brasão de Machico Bandeira de Machico
Brasão Bandeira
Machico ( Portugal )2.jpg
Baía de Machico
Localização de Machico
Gentílico machiquense
Área 68,31 km²
População 21 828 hab. (2011)
Densidade populacional 319,54 hab./km²
N.º de freguesias 5
Presidente da
Câmara Municipal
Ricardo Franco (PS)
Mandato 2013-2017
Fundação do município Povoamento:
c. 1425 (588–589 anos)[1]
Elevação a vila e sede de concelho:
1451 (562–563 anos)
Elevação a cidade:
2 de agosto de 1996 (18 anos)
Região Autónoma Madeira
Ilha Madeira
Antigo Distrito Funchal
Feriado municipal 9 de Outubro (Nosso Senhor dos Milagres / Aluvião de 1803)
Código postal 9200 Machico
Site oficial www.cm-machico.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Machico é um município português na ilha da Madeira, Região Autónoma da Madeira, com sede na cidade e freguesia de homónima. Tem 68,31 km² de área e 21 828 habitantes (2011), subdividido em 5 freguesias. O município é limitado a sudoeste pelo município de Santa Cruz, a oeste pelo Funchal através de uma pequena faixa a norte de Santa Cruz, a noroeste por Santana e é banhado pelo oceano Atlântico a norte, sul e leste.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

O topónimo deriva segundo vários autores da semelhança com a região de Monchique (serra do Algarve), ou do nome de um marinheiro que acompanhou a expedição de Zarco, na demanda à ilha da Madeira, outros julgam ser a Roberto Machim (Lenda de Machim), que terá sido o primeiro descobridor da Madeira, quando, em 1377, ao dirigir-se para o sul de França, viu a sua embarcação ser arrastada pelos ventos para a Madeira. Esta última teoria foi muito defendida no século XVII e no século XIX, para defender interesses ingleses na ilha da Madeira.

História[editar | editar código-fonte]

Foi neste concelho que desembarcaram pela primeira vez os descobridores da Madeira, João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, entre 1418 e 1420.

O concelho recebeu foral em 1451 e foi-lhe outorgado em 1515 por D. Manuel I.

A nível de acontecimentos históricos que marcaram o concelho, destaca-se a instituição da vila como sede da primeira Capitania, na Madeira, em maio de 1440. Estas terras foram residência do oficial capitão-donatário Tristão Vaz Teixeira.

Em 1803, houve um enorme desabamento de terras que soterrou diversas casas, destruindo as muralhas da ribeira, a ponte e a Capela dos Milagres. Foi também local do confronto que pôs termo à "Revolta da Madeira", em abril de 1931.

A nível do património arquitetónico, destacam-se o Forte do Amparo, que apresenta uma planta triangular para permitir a defesa dos dois lados da baía de Machico; a Casa da Capela / Solar da Ermida, com elementos dos séculos XVII e XVIII; a Igreja Matriz de Machico, construída em 1425, e a Capela de Cristo, construída em meados do século XV, reconstruída no século XVI e, de novo, em 1883. Foi danificada pelo aluvião de 3 de novembro de 1956, tendo sido restaurada em 1957.

A sede concelhia foi elevada à categoria de cidade a 2 de Agosto de 1996.

Clima e relevo[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica da cidade.

Verificam-se diferenças entre o litoral e o interior do concelho: no litoral o clima é mais quente e seco, sendo os terrenos áridos e bravios; à medida que se caminha para o interior o clima torna-se mais fresco e húmido e prolifera a vegetação.

Apesar de ser, essencialmente, uma área de costa, banhado a norte, este e sul pelo oceano Atlântico, a sua morfologia é marcada por vários montes e serras, entre outras a do Castanho (589 m), a do Pedreiro (792 m), Pico da Coroa (738 m) e Penha de Águia (590 m).

As vertentes costeiras são abruptas, mas devido aos efeitos de erosão possui praias de areia negra. No Caniçal há uma prainha, a única de areia de origem vulcânica natural na ilha da Madeira.

Economia[editar | editar código-fonte]

Vale de Machico.
Baía de Machico.
Porto da Cruz.

No concelho predominam as atividades do setor terciário, ligadas às áreas do turismo, comércio, restauração e serviços de hotelaria. Com importância inferior surgem os setores secundário e primário, este último nas áreas da agro-pecuária e da pesca.

Na agricultura predomina o cultivo de cereais para grão de leguminosas também para grão, da batata, das culturas hortícolas intensivas, dos frutos subtropicais e da vinha. A agro-pecuária é um setor importante, nomeadamente na criação de aves, coelhos e caprinos. Grande parte (79 ha) do seu território é coberto de floresta.

Geminações[editar | editar código-fonte]

Machico possui as seguintes cidades-gémeas[2] :

Capitães donatários de Machico[editar | editar código-fonte]

  • Tristão Vaz, 1.º Capitão donatário de Machico c. 1395;
  • Tristão Vaz Teixeira, "Tristão das Damas", 2.º Capitão donatário de Machico;
  • Tristão Teixeira, 3.º Capitão donatário de Machico;
  • Diogo Teixeira, 4.º capitão donatário de Machico;
  • D. Afonso de Portugal, 5.º capitão donatário de Machico e 2.º conde de Vimioso c. 1519;
  • D. Francisco de Portugal, 6.º capitão donatário de Machico e 3.º conde de Vimioso c. 1550;
  • Tristão Vaz da Veiga, 7.º capitão donatário de Machico, c. 1537;
  • D. Luis de Portugal, 8.º capitão donatário de Machico e 4.º conde de Vimioso * 1555;
  • D. Afonso de Portugal; (1591 -?), 9.º capitão donatário de Machico e e 5.º conde de Vimioso;
  • D. Luís de Portugal (1620 -?), 10.º capitão donatário de Machico e 6.º conde de Vimioso;
  • D. Miguel de Portugal (1631 -?), 11.º capitão donatário de Machico e 7.º conde de Vimioso;
  • D. Francisco de Paula de Portugal e Castro (1679 -?), 12.º capitão donatário de Machico e 2.º marquês de Valença;
  • D. José Miguel João de Portugal e Castro (1706 -?), 13.º capitão donatário de Machico e 3º marquês de Valença.[3] [4]

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho do Machico (1849 – 2011)
1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
5 491 11 820 17 936 21 606 22 126 22 016 21 747 21 828

Distribuição da população[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Machico.

Segundo os censos de 2001, a população do concelho totaliza 21 747, distribuídas pelas cinco freguesias da seguinte maneira:

  1. Água de Pena: 1 759 hab.
  2. Caniçal: 3 893 hab.
  3. Machico: 11 947 hab.
  4. Porto da Cruz: 2 793 hab.
  5. Santo António da Serra: 1 355 hab.

Notas

  1. Segundo Gaspar Frutuoso, o primeiro donatário se estabeleceu em Machico com sua mulher e filhos, no mês de maio de 1425.
  2. Geminações da RAM. Geocities. Página visitada em 16 de agosto de 2009.
  3. D. António Caetano de Sousa, História Genealógica da Casa Real Portuguesa, Atlântida-Livraria Editora, Lda, 2ª Edição, Coimbra, 1946 Tomo X-pg. 464]
  4. Nobiliário das Famílias de Portugal, [Felgueiras Gayo], Carvalhos de Basto, 2ª Edição, Braga, 1989, vol. IX-pg. 575 (Teixeiras)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Madeira

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Machico


Concelhos da Região Autónoma da Madeira Bandeira da Região Autónoma da Madeira
Calheta Câmara de Lobos Funchal Machico Ponta do Sol Porto Moniz Porto Santo Ribeira Brava Santa Cruz Santana São Vicente
Calheta Câmara
de Lobos
Funchal Machico Ponta
do Sol
Porto
Moniz
Porto
Santo
Ribeira
Brava
Santa
Cruz
Santana São
Vicente
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Machico