Madame de La Fayette

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Madame de La Fayette

Madame de La Fayette (18 de março de 1634 - 26 de maio de 1693) escritora francesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida Marie-Madeleine Pioche de La Vergne, em uma família da pequena nobreza, com um ano de idade se mudam para Paris. Com 16 anos foi tornada dama de honra da rainha Ana da Áustria e começou a receber educação literária de Gilles Ménage, que a introduziu nos salões de Madame de Rambouillet e Madeleine de Scudéry. Também foi amiga de La Rochefoucauld, que a fez entrar em contato com figuras importantes da literatura francesa, como Racine e Boileau.

Seu pai morreu em 1649 e em 1650 sua mãe se casa então com o cavaleiro Renaud de Sévigné, tio da Marquesa de Sévigné, a qual se tornaria sua amiga para o resto de suas vidas. Casou em 1655 com François Motier, Conde de La Fayette, com quem teve dois filhos.

Obras:

  • La Princesse de Montpensier (1662), publicado anonimamente.
  • Zaïde (1669-71), assinado como Segrais mas de atribuição relativamente segura à Madame de La Fayette.
  • La Princesse de Clèves (1678), sua obra mais famosa, a primeira novela genuinamente francesa e o protótipo da novela psicológica. Publicado anonimamente.

As seguintes obras só apareceram depois de sua morte:

  • La Comtesse de Tende (1718)
  • Histoire d'Henriette d'Angleterre (1720)
  • Memoires de la Cour de France (1731).


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.